Bolsas mundiais

Índice Hang Seng, de Hong Kong, cai mais de 8% em duas sessões com temores regulatórios; Europa e futuros dos EUA têm baixa

Atenção ainda para a reunião do Fomc, que terá início nesta terça-feira com decisão na quarta

As bolsas asiáticas fecharam a terça (27) com desempenhos variados entre si, prejudicadas por temores regulatórios na China. Os índices futuros americanos e os europeus recuam.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, caiu mais de 5% na tarde de terça antes de recompor parte dos ganhos, fechando em queda de 4,22%. Nos últimos dois dias, o índice recuou mais de 8% em meio a temores sobre a regulação dos setores de tecnologia e educação privada na China, que prejudicaram o sentimento dos investidores.

As ações da gigante de tecnologia Tencent recuaram 8,98%, enquanto que as da Alibaba caíram 6,35%, e as da Meituan, 17,66%.

Na segunda, o índice Hang Seng havia caído mais de 4%, após o regulador antitruste da China anunciar uma série de diretrizes para o setor de plataformas de entrega de comidas, que incluem pagar ao pessoal das entregas pelo menos o salário mínimo local. Esse movimento pode prejudicar os lucros de empresas como Meituan e Ele.me, do Alibaba.

A China também confirmou que tomará medidas drásticas para conter o boom da indústria de tutoria privada pós-escola do país. As restrições, publicadas no fim de semana pela mídia estatal, são o cerco regulatório mais recente a uma parte em rápido crescimento da economia chinesa.

No sábado (24) Pequim divulgou regras que forçariam os serviços de tutoria que ensinam disciplinas escolares aos alunos durante os anos obrigatórios a serem administrados como operações sem fins lucrativos. Além disso, as autoridades chinesas baniram esses serviços de levantamento de capital e propriedade estrangeira e proibiram aulas nos finais de semana e feriados públicos ou escolares.

Por outro lado, dados divulgados na terça indicam que os lucros industrias na China subiram em junho 20% na comparação anual, uma desaceleração em relação à alta de 36,4% de maio.

Na China continental, o índice Shanghai caiu 2,49%, e o componente Shenzhen caiu 3,672%; no Japão, o Nikkei subiu 0,49%; na Coreia do Sul, o Kospi subiu 0,24%.

Na segunda-feira, as principais bolsas dos Estados Unidos fecharam em patamares elevados. O Dow subiu 0,24%, a 82,76 pontos; o S&P ganhou 0,24%, e o Nasdaq composto teve alta de 0,03%.

PUBLICIDADE

Nos Estados Unidos, as ações da Tesla subiram 1% no after market, após a divulgação de resultados acima do esperado para o segundo trimestre. A fabricante carros elétricos ultrapassou a marca de US$ 1 bilhão no lucro líquido trimestral pela primeira vez.

Nesta terça, a empresa dona do Google, Alphabet, além de Microsoft e Apple divulgam seus resultados após o fechamento, com perspectiva de resultados fortes. Outras empresas que devem divulgar os resultados nesta terça são JetBlue, UPS, General Electric e Starbucks.

Nesta terça, ainda terá início a reunião de dois dias de discussão de políticas pelo Federal Reserve. Investidores aguardam por informações sobre a política monetária do banco central americano.

O Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc na sigla em inglês) e a Junta dos Governadores do Fed devem divulgar uma declaração após o fim da reunião na quarta.

Na Europa, a maioria das bolsas tem quedas. Investidores continuam a monitorar a divulgação de resultados, além de eventos climáticos e a propagação da Covid no continente.

O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, com destaque negativo para o setor automotivo. Todas as principais bolsas e setores operam no negativo.

No Reino Unido, Gerhan Vliege, do Banco da Inglaterra, afirmou que o banco central deve evitar reduzir o seu programa de estímulos por ao menos diversos trimestres, mesmo em meio a uma alta da inflação, que a instituição trata como temporária, e a continuidade da ameaça da Covid.

Na terça, a Dassault Systems divulgou suas previsões para 2021 por conta da alta das vendas de software. A empresa de itens de luxo, LVMH divulgou uma forte alta nas vendas no segundo trimestre, após o fechamento do mercado, em meio à redução de restrições contra o coronavírus. As ações sobem 0,9%.

PUBLICIDADE

Entre as outras empresas que divulgam resultados nesta terça estão Telecom Italia, Campari e FirstGroup.

Veja os principais indicadores às 6h40 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,48%
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,38%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,19%
Europa
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,82%
*Dax (Alemanha), -0,81%
*CAC 40 (França), -0,6%
*FTSE MIB (Itália), -0,87%
Ásia
*Nikkei (Japão), +0,49% (fechado)
*Shanghai SE (China), -2,49% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -4,22% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,24% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,042, a US$ 71,88 o barril
*Petróleo Brent, +0,19%, a US$ 74,64 o barril
*Bitcoin, -1,72%, a US$ 37.445,84
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 1,75%, cotados a 1.109,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 170,77 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,50

Entre no grupo do InfoMoney no Telegram para ter acesso a este conteúdo e faça parte de uma comunidade de mais de 170 mil pessoas que acompanham a plataforma.

O Telegram do InfoMoney oferece gratuitamente uma cobertura em tempo real do mercado financeiro. Traz também análises e as principais notícias que movimentam as Bolsas, aqui e no exterior.