Efeito do cerco

China restringe regras para empresa privada de educação e cerco ao setor preocupa; Bolsas da região caem forte

Cerco regulatório ao setor é mais recente a uma parte em rápido crescimento da economia chinesa.

arrow_forwardMais sobre
(Getty Images)

A China confirmou que tomará medidas drásticas para conter o boom da indústria de tutoria privada pós-escola do país. As restrições, publicadas no fim de semana pela mídia estatal, são o cerco regulatório mais recente a uma parte em rápido crescimento da economia chinesa.

No sábado (24) Pequim divulgou regras que forçariam os serviços de tutoria que ensinam disciplinas escolares aos alunos durante os anos obrigatórios a serem administrados como operações sem fins lucrativos. Além disso, as autoridades chinesas baniram esses serviços de levantamento de capital e propriedade estrangeira e proibiram aulas nos finais de semana e feriados públicos ou escolares.

Os investidores estão cada vez mais preocupados com as perspectivas do setor, à medida que Pequim se empenha em enfrentar os crescentes custos educacionais que ajudaram a impedir que muitas famílias tivessem mais filhos.

Os movimentos ocorrem após uma repressão em vários setores da indústria de tecnologia da China que abalou empresas como Alibaba e Didi Global.

Em meio a esse cerco, as ações da China e de Hong Kong caíram com força nesta segunda-feira para o nível mais baixo do
ano.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 3,22%, para o menor nível de fechamento desde dezembro, enquanto o índice de Xangai teve queda de 2,34%, em uma mínima de fechamento de mais de dois meses. Já o índice Hang Seng, de Hong Kong, teve fortes perdas, de 4,13%, apagando novamente os ganhos acumulados em 2021.

As vendas levaram a ações da Scholar Education Group 1769.HK, listada em Hong Kong, a despencar mais de 45%. As ações em Hong Kong da New Oriental Education & Technology Group Inc caíram mais de 47%. A empresa fornece serviços de tutoria e preparação para testes na China.

Confira o desempenho das bolsas asiáticas:

*Nikkei (Japão), +1,04% (fechado)
*Shanghai SE (China), -2,34% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -4,13% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,91% (fechado)

PUBLICIDADE

(com Dow Jones, Reuters e Estadão Conteúdo)

Guilherme Benchimol revela os segredos de gestão das maiores empresas do mundo na série gratuita Jornada Rumo ao Topo. Inscreva-se já.