RADAR INFOMONEY Usiminas lucra R$ 1,2 bi: mas por que não empolga tanto? Confira no programa desta sexta

Usiminas lucra R$ 1,2 bi: mas por que não empolga tanto? Confira no programa desta sexta

Destaques da bolsa

Imobiliárias disparam com FGTS e Manguinhos despenca 14%; veja destaques

Papéis do Santander apresentam forte volume financeiro com possibilidade de venda; Embraer, frigoríficos e Santos Brasil também chamaram atenção

SÃO PAULO – Novo dia volátil na BM&FBovespa terminou com leve queda de 0,04% do Ibovespa, que fechou a quinta-feira (6) aos 57.656 pontos. Nesta sessão, destaque para os frigoríficos: o JBS (JBSS3) liderou os ganhos com alta de 6,46%, aos R$ 5,60, enquanto o Marfrig (MRFG3) ocupou a ponta negativa ao perder 3,86% de valor de mercado, vendo suas ações fecharem aos R$ 8,46. 

O JBS se recupera da forte alta da véspera, após a Justiça do Trabalho interditar a caldeira e o sistema de refrigeração da unidade da empresa em Juruena, no Mato Grosso. Já o Marfrig continua o movimento de queda dos últimos dias, antes e depois do anúncio da precificação das novas ações de sua emissão. Contudo, vale destacar que as “novas” ações da companhia estrearam na Bovespa com forte alta de 5,75%, visto que esses papéis foram precificados a R$ 8,00 na oferta.

Rumores sobre venda do Santander para o Bradesco ressurgem
As units do Santander (SANB11) viram seu volume disparar por volta das 15h00 (horário de Brasília), atingindo os R$ 156,71 milhões no final do pregão, bastante acima dos R$ 27,13 milhões da média diária dos últimos 21 pregões.

Rumores no mercado de que o Bradesco (BBDC4) poderia vir a comprar a operação do banco espanhol no Brasil voltaram a ganhar força no mercado, estimulando a procura dos investidores por esses papéis. Os ativos SANB11 fecharam com leve alta de 0,77%, aos R$ 14,46.

Por volta das 15h40, algumas negociações envolvendo os units do banco espanhol chegaram a até 388.000 SANB11 de uma única vez. Para efeitos de comparação, os papéis preferenciais da Petrobras (PETR4), um dos mais líquidos do mercado e com preço de face não muito superior à SANB11, tiveram uma negociação máxima de 100.000 ações de uma única vez nessa sessão, mostrando que houve, de fato, uma corrida para adquirir esses papéis. 

“Realmente sairam uns boatos da venda dos ativos no Brasil, possivelmente para o Bradesco, que é o que tem impulsionado o volume e trazido volatilidade nesse pregão”, afirma Luiz Gustavo Pereira, analista da Futura Investimentos. Nesse pregão, os papéis chegaram a cair 2,93% e a subir 1,73%. Embora em menor escala, houve algumas operações envolvendo até 300.000 ações do Bradesco.

Procurado pelo Portal InfoMoney, o Santander e o Bradesco disseram, através de suas assessorias de imprensa, que esses rumores “não procedem”. “Há muita pouca informação verídica circulando, há quem diga que é o sindicato dos bancários que estaria implementando esses boatos, não tem nenhuma certeza nesses rumores”, afirma o analista da Futura. Para ele, essa venda não faz o menor sentido: o banco espanhol estaria se livrando de um dos seus principais ativos no mundo. “A não ser que isso fosse realizado por um prêmio muito alto”, completa.

Imobiliárias sobem com possível novo limite do FGTS…
A possível elevação do limite do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) jogou para cima as ações do setor imobiliário no pregão desta quinta. As ações da PDG Realty (PDGR3) tiveram alta de 3,93%, aos R$ 3,17, enquanto os da Brookfield (BISA3) subiram 1,52%, para R$ 3,35. O papel da MRV (MRVE3) valorizou-se 2,67%, aos R$ 11,90 enquanto os da Cyrela (CYRE3) tiveram ganhos de 2,75%, aos R$ 18,70. A Rossi Residencial (RSID3) teve alta mais modesta, de apenas 0,23%, para R$ 4,28.

“Aumentar o limite do teto do FGTS seria o principal driver dos papéis, já que trará um novo estímulo para o setor, que vem passando por um período de desaquecimento na demanda”, disse o analista Eduardo Machado, da Amaril Franklin. O governo avalia elevar de R$ 500 mil para R$ 700 mil o valor máximo dos imóveis que o trabalhador pode comprar com o seu saldo do FGTS, segundo matéria desta edição da Folha de S. Paulo. O valor aumentaria tanto para aquisições à vista quanto para financiamento do SFH (Sistema Financeiro de Habitação), que tem juros menores.

PUBLICIDADE

…e recomendação de compra
Por sua vez, a Gafisa (GFSA3) viu suas ações ganharem 3,15% de valor de mercado, terminando o dia aos R$ 4,58. Além do FGTS, esses papéis também refletem a avaliação mais otimista do Bank of America sobre a companhia, que voltou a recomendar a compra desses ativos.

Pet Manguinhos cai forte 
As ações da Refinaria de Petróleo Manguinhos (RPMG3RPMG4) chegam a cair cerca de 14% após a Real Srr Publicidade e Marketing entrar com pedido de falência, conforme publicado no jornal Valor Econômico desta quinta-feira.

O ativo RPMG3 recuou 6,67%, aos R$ 0,28, enquanto o RPMG4 desvalorizou 6,90%, aos R$ 0,27. Na mínima do dia as desvalorizações foram de 10,00% e 13,79%, respectivamente, o que equivale a perdas de 3 centavos e de 4 centavos sobre o último fechamento.

O pedido de falência foi registrado na 3ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro. Em comunicado, a Pet Manguinhos afirma que a requisição movida pela Real SRR Publicidade ocorre por conta de uma ação execução no valor de R$ 76,99 mil.

“O valor em questão é objeto de uma discussão entre as partes relativa ao preço cobrado por serviços de publicação de editais”, explica o comunicado da Pet Manguinhos. O documento ainda afirma que, se a justiça considerar necessário, fará o depósito para garantir o juízo sobre o valor, mas que continuará a discutir a questão por entender que o valor cobrado é indevido.

Embraer reduz perdas com perda de concorrência
Após o anúncio de que a companhia aérea norte-americana Delta Air Lines encomendou aproximadamente 70 jatos da Bombardier, as ações da Embraer (EMBR3) iniciaram um movimento de forte queda, chegando a cair 7,38%, a R$ 12,55 na mínima do dia.

Os papéis se recuperaram durante a sessão, e terminaram com queda de 3,32%, cotadas a R$ 13,10. Vale destacar que os papéis da fabricante de aeronaves movimentaram R$ 93,85 milhões, bem acima da média diária dos últimos 21 pregões (cerca de R$ 30 milhões).

Segundo informações da Reuters, a  Delta Air Lines anunciou nesta quinta que fechou a compra de até 70 jatos regionais da canadense Bombardier. A notícia decepciona pois a Embraer disputava o contrato e confiava em conquistar a encomenda para ajudar a garantir os níveis de produção de aviões comerciais em 2013 no mesmo nível deste ano.

PUBLICIDADE

Santos Brasil acelera ganhos com estímulos do governo
As units da Santos Brasil (STBP11) subiram 7,45% nesta sessão, terminando aos R$ 29,00. Isso ocorre após o governo anunciar um plano de investimentos de R$ 54,2 bilhões no setor de portos entre 2014 e 2017. O papel movimentou R$ 43,60 milhões, mais de quatro vezes superiores aos R$ 9,7 milhões da média dos últimos 21 dias. 

“Isso é um dos gargalos que o Brasil tem, e era esperado que o governo agisse nisso”, afirma João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos. Nos últimos meses, as intervenções do governo Dilma Rousseff acabaram prejudicando o desempenho de alguns setores na bolsa – em especial os bancos e as elétricas. Contudo, com a notícia de novos investimentos no segmento portuário, é natural uma reação positiva dos investidores com o setor, avalia Brugger.