Central de FIIs

Ifix cai 0,18% e emenda quarta sessão seguida de perdas; FII RBRF11 é destaque de alta

O fundo RBR Alpha (RBRF11) liderou a lista das maiores altas desta quinta-feira (9), com elevação de 1,6%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – fechou a sessão desta quinta-feira (9) com queda de 0,18%, aos 2.817 pontos. Na sessão anterior, o índice fechou com baixa de 0,07%. O fundo RBR Alpha (RBRF11) liderou a lista das maiores altas do dia, com elevação de 1,6%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs. 

O Pátria Investimentos, um dos líderes em gestão de ativos na América Latina, confirmou, em fato relevante, que formalizou acordo de associação nesta quinta-feira (9) e passa a contar com 50% de participação na VBI Real Estate, gestora focada no mercado imobiliário brasileiro.

De acordo com o documento, a transação prevê a incorporação, pela VBI, de parcela do patrimônio do Pátria Logística (PATL11) e do Pátria Edifícios Corporativos (PATC11), além das atividades de gestão dos fundos.

“Desta forma, a partir da conclusão da transação, a VBI sucederá o Pátria em tais atividades e passará a ser uma sociedade integrante do grupo do Pátria”, destaca o comunicado.

Os sócios do Pátria atualmente responsáveis pela área imobiliária passarão a integrar o comitê de investimentos e o conselho de administração da VBI.

O fato relevante, divulgado nesta quinta-feira (9), não detalha os valores do negócio e lembra que a conclusão da transação depende da superação de condições comuns a este tipo de acordo.

Com cerca de R$ 5,7 bilhões sob gestão, a VBI tem atualmente cinco fundos imobiliários no portfólio: VBI Logístico (LVBI11), VBI CRI (CVBI11), VBI Reits FoF (RVBI11), VBI Prime Properties (PVBI11) e o VBI Consumo (EVBI11).

Maiores altas desta quinta-feira (9)

TickerNomeSetorVariação (%)
RBRF11RBR AlphaTítulos e Val. Mob.1,6
RCRB11Rio Bravo Renda CorporativaLajes Corporativas1,42
CARE11Brazilian Graveyard and Death CareOutros1,41
RZTR11Riza TerraxHíbrido1,07
PVBI11VBI Prime PropertiesLajes Corporativas1,05

Maiores baixas desta quinta-feira (9):

TickerNomeSetorVariação (%)
TORD11Tordesilhas EIOutros-1,99
RBRP11RBR PropertiesOutros-1,61
LVBI11VBI LogísticoLogística-1,42
XPPR11XP PropertiesOutros-1,34
HSLG11HSI LogísticaLogística-1,21

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Dividendos de hoje

Confira quais são os três fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta quinta-feira (9):

TickerFundoRendimento
TBOF11TB Office R$  0,82
ELDO11BEldorado R$  0,37
RMAI11REAG Multi Ativos Imobiliários R$  0,26

Fonte: InfoMoney

Obs.: Tickers com final diferente de 11 se referem aos recibos e direitos de subscrição dos fundos.

Giro Imobiliário: FII de cemitério sobe 55% e ainda negocia com desconto; Elon Musk está certo sobre home office?

Elon Musk está certo sobre home office? Chegou a hora de investir em FIIs de escritório?

Um dos segmentos mais afetados pelas restrições impostas pela pandemia da Covid-19, os fundos imobiliários de lajes corporativas acompanham de perto as discussões sobre o eventual retorno dos trabalhadores aos escritórios. Recentemente, a defesa pelo fim do home office ganhou o apoio do homem mais rico do mundo, o empresário Elon Musk.

O tema foi destaque da edição desta terça-feira (7) do Liga de FIIs, que teve apresentação de Maria Fernanda Violatti, analista da XP, Thiago Otuki, economista do Clube FII, e Wellington Carvalho, repórter do InfoMoney. O programa também contou com a participação de Marcos Baroni, head de pesquisas em FIIs da Suno Research.

Com o início da pandemia, em 2020, as empresas tiveram de optar pelo trabalho remoto e, na época, a adoção definitiva do home office foi dada como certa. Meses depois, o segmento corporativo começou a discutir um modelo híbrido – parte em casa e parte no escritório.

O movimento pressionou as cotas dos FIIs de escritório que, até hoje, negociam com desconto, ou seja, abaixo do valor patrimonial da carteira.

“Os preços das vendas diretas de imóveis estão acima do valor das cotas dos fundos imobiliários que possuem edifícios semelhantes aos que estão sendo negociados”, pontua Maria Fernanda, que utiliza o P/VPA (preço sobre valor patrimonial) para medir o desconto da cota.

Após a discussão sobre a adoção do trabalho remoto e, mais tarde, sobre um modelo híbrido, a defesa pelo fim do home office ganhou força com o posicionamento de Elon Musk, presidente da Tesla, que praticamente convocou os funcionários a retornarem ao trabalho presencial.

A postura do homem mais rico do mundo pode influenciar as grandes companhias pelo mundo e acionou o gatilho para a recuperação do segmento corporativo, que beneficiaria os FIIs do segmento.

CARE11: FII de cemitérios avança 55% e é o que mais sobe em 2022, mas ainda tem desconto acima de 40%

Na contramão da maior parte dos fundos imobiliários, o Brazilian Graveyard And Death Care (CARE11) não distribui dividendos, atua em um setor – de cuidados com a morte – pouco comum e muito sensível, e ter acesso às informações da carteira não é tarefa das mais fáceis. Mesmo assim, o fundo parece contar com a simpatia dos investidores e tem, até o momento, a maior valorização de 2022 entre os FIIs. O que explica o desempenho?

Primeiro fundo imobiliário focado no segmento de cuidados com a morte, o Brazilian Graveyard atua na comercialização de cessões de direito de uso de jazigos temporários e perpétuos, cremações, serviços e planos funerários, além da cremação de animais.

De janeiro para cá, o fundo acumula valorização de 55%, contra leve alta de 0,87% do IFIX – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa. Para efeito de comparação, a segunda carteira com melhor desempenho no ano é o FII Campus Faria Lima (FCFL11), com ganhos de 12%.

Os ganhos começaram a acelerar especialmente a partir de abril, depois que o CARE11 passou a figurar nas prévias da carteira do IFIX que passou a vigorar em maio. O fundo, de fato, entrou no índice.

As cotas do fundo passaram da casa de R$ 2,60 no início de maio para os atuais R$ 4,30, chegando ao pico de R$ 5,40 no mês passado, conforme mostra a página do Brazilian Graveyard no InfoMoney.

Francisco Garcia, sócio e diretor da Zion Invest, gestora responsável pelo fundo, não se mostra surpreso com a performance  e lembra que, antes da disparada recente, o fundo estava sendo negociado ao equivalente a 25% do valor patrimonial.

Na avaliação de Garcia, além da possibilidade do IPO (sigla em inglês para oferta inicial de ações), a emissão de um certificado de recebíveis imobiliários (CRI) de R$ 200 milhões pela Cortel acionou o gatilho do mercado para o potencial do fundo.

“Houve ainda a entrada do fundo no Ifix, que trouxe um volume grande de novos investidores e ajudou nessa alta expressiva da carteira em 2022”, pontua Garcia, que vê espaço para uma alta ainda maior. “O fundo ainda continua valendo 60% do valor patrimonial. Segue com um desconto importante”.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Compartilhe