Ibovespa volta a 120 mil pontos, mas ameniza; Petrobras e CSN sobem, Sabesp cai

Em véspera de decisão de juros pelo Banco Central no Brasil, investidores também repercutiam declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Reuters

Publicidade

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa avançava nesta terça-feira, tocando os 120 mil pontos no melhor momento, apoiado principalmente nas ações da Petrobras após acordo tributário, enquanto os papéis da CSN (CSNA3) disparavam na esteira de decisão do STJ favorável à companhia em pleito bilionário contra a Ternium envolvendo a Usiminas (USIM5).

Por volta de 11:50 , o Ibovespa subia 0,41%, a 119.622,23 pontos, tendo chegado a 120.108,98 pontos na máxima da sessão até o momento. Na mínima, marcou 118.872,22 pontos. O volume financeiro somava 5,78 bilhões de reais.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

“A expectativa de uma recuperação existe, mas o índice encontra dificuldade em ultrapassar os 120.700 pontos que é a resistência inicial”, afirmaram analistas do Itaú BBA no relatório Diário do Grafista, enviado mais cedo a clientes nesta terça-feira.

Em véspera de decisão de juros pelo Banco Central no Brasil, investidores também repercutiam declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusando o titular da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, de trabalhar “muito mais para prejudicar o país do que para ajudar”.

Campos Neto foi indicado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro e ocupará o cargo até o fim deste ano. Há receios no mercado sobre quem será seu sucessor. “O mercado tem dúvidas sobre qual será a postura do novo BC frente a eventuais pressões políticas e desancoragem das expectativas de inflação”, ponderou um gestor.

Continua depois da publicidade

No exterior, Wall Street mostrava variações modestas, com o S&P 500 registrando acréscimo de 0,05%, enquanto os rendimentos dos títulos do Tesouro norte-americano recuavam, tendo no radar dados mais fracos sobre as vendas no varejo dos Estados Unidos em maio.

DESTAQUES

CSN ON (CSNA3) disparava 12,09% antes de ter negociação suspensa por divulgação de fato relevante, reagindo à decisão da maioria dos ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta terça-feira de acatar um recurso da companhia para reconhecer seu direito a uma indenização no valor de cerca de 5 bilhões de reais a ser paga pela Ternium em uma questão referente à entrada desta última na Usiminas. USIMINAS PNA (USIM5) valorizava-se 2,96%.

Continua depois da publicidade

PETROBRAS PN (PETR4) subia 1,9%, após anunciar que aderiu a um acordo para encerrar disputa judicial envolvendo dívidas tributárias relacionadas a contratos de afretamento de embarcações, o que terá um impacto de 11,9 bilhões de reais no lucro líquido do segundo trimestre. “Embora o impacto do acordo seja marginalmente negativo para os dividendos da Petrobras no curtíssimo prazo, acreditamos que o anúncio será bem recebido pelos investidores”, afirmaram analistas do BTG Pactual, destacando que o acordo implica desembolsos inferiores aos especulados pelo mercado nos últimos meses.

SABESP ON (SBSP3) recuava 2,58%, tendo como pano de fundo reportagem publicada do blog Pipeline do jornal Valor Econômico, citando que a gestora IG4 decidiu não entrar como candidata à acionista de referência da companhia de saneamento do Estado de São Paulo, e que a francesa Veolia, que avaliava oferta sozinha ou consórcio, também desembarcou. De acordo com o texto, que cita fontes, a disputa está cada vez mais concentrada entre Aegea e Equatorial nesta primeira fase do processo envolvendo uma oferta de ações que privatizará a Sabesp.

VALE ON (VALE3) mostrava acréscimo de 0,55%, com os futuros do minério de ferro fechando em alta na China, embora abaixo da máxima da sessão, em meio a realização de lucros após rumores de mercado sobre um controle da produção de aço na província de Fujian, no sul daquele país. O contrato mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian (DCE) encerrou as negociações com alta de 0,24%, a 820,5 iuanes (113,08 dólares) a tonelada, após chegar a 840 iuanes por tonelada na máxima do dia.

Continua depois da publicidade

EMBRAER ON (EMBR3) caía 3,13%, mesmo após declarações positivas do CEO da companhia ressaltando que a empresa tem observado um aumento na demanda por seus jatos comerciais e está trabalhando ativamente em diversas campanhas de vendas que espera concluir nos próximos meses. Ele também destacou que espera que o Farnborough Airshow deste ano, no próximo mês, seja “o melhor de todos os tempos” para a empresa.

ITAÚ UNIBANCO PN (ITUB4) mostrava acréscimo de 0,25%, enquanto BRADESCO PN (BBDC4) cedia 0,27%.