Ibovespa sobe no pregão marcado por dados que mostram alívio de inflação

Investidores brasileiros tiveram dados que mostraram desaceleração dos preços; destaque de alta para MRV

Por  Flávia Furlan Nunes

SÃO PAULO – O Ibovespa apresenta alta de 1,04% nesta terça-feira (7), acompanhando os mercados externos, que sobem devido a notícias mais positivas sobre a dívida fiscal dos países europeus e à espera de um anúncio que será feito pelo presidente do Fed (Federal Reserve), Ben Bernanke. O índice atinge 63.721 pontos e o volume financeiro da bolsa na sessão é de R$ 1,721 bilhão.    

Por aqui, o mercado analisa diversos dados sobre a inflação. Pela manhã, a FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgou que o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), variou 0,01% em maio, taxa inferior à registrada em abril, de 0,50%. Já o IPC-C1 (Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1) de maio apresentou variação de 0,56%. Com este resultado, o indicador acumula alta de 3,97% no ano e 6,09% nos últimos 12 meses. Em maio, o IPC-BR registrou variação de 0,51%. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 6,37%, nível acima do registrado pelo IPC-C1.

Indicando nova desaceleração no ritmo inflacionário, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), medida oficial da inflação no País, registrou taxa de 0,47% em maio, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Apontando também queda da inflação, o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) marcou taxa de 0,57% em maio, variação 0,15 ponto percentual menor do que a apurada no mês anterior.

Altas e baixas
O principal destaque positivo fica com as ações ordinárias da MRV (MRVE3), que registram valorização de 3,49% e são cotadas a R$ 14,83. Apesar dessa variação, a baixa acumulada desde o início do ano chega a 3,77%. 
As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 MRVE3 MRV ON14,83+3,49-3,7717,54M
 BTOW3 B2W VAREJO ON22,15+2,78-28,784,40M
 SANB11 SANTANDER BR UNT ED N217,69+2,73-20,0419,94M
 HYPE3 HYPERMARCAS ON15,72+2,68-29,8311,45M
 LAME4 LOJAS AMERIC PN15,96+2,57+6,8413,74M

O pior desempenho fica com os papéis ordinários da Brasil Ecodiesel (ECOD3), que são cotados a R$ 0,72 e apresentam baixa de 1,37%. A empresa comunicou nesta terça que o fundo Vila Rica I alienou 8,79% de seu capital social, reduzindo assim sua fatia que em 31 de maio era de 19,95%.

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 ECOD3 ECODIESEL ON0,72-1,37-28,007,00M
 ELET3 ELETROBRAS ON21,88-1,00-1,595,73M
 CPLE6 COPEL PNB40,17-0,99-1,485,38M
 UGPA4 ULTRAPAR PN26,81-0,45+3,896,25M
 ELET6 ELETROBRAS PNB28,27-0,28+5,824,81M
* – Lote de mil ações
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)

Mercados externos
Nos EUA, os principais índices acionários avançam, em meio à espera do discurso de Ben Bernanke, que só ocorre às 16h45, de Brasília, e que pode dar sinais de como o Federal Reserve irá se comportar no futuro próximo. Espera-se que Bernanke aponte sinais dos próximos passos da autoridade monetária, principalmente com o fim do QE2 (Quantitative Easing 2) no próximo dia 30, que pode retirar uma dose considerável de liquidez do mercado. Além do discurso, o mercado receberá apenas dados do crédito ao consumidor, acerca do qual projeta-se volume de US$ 6 bilhões em abril – mesmo valor registrado no mês anterior.

Na Europa, as bolsas também seguem otimistas, após registrarem desempenho negativo nos últimos pregões. Entre os destaques do dia, aparecem as ações do setor de mineração, financeiro e de algumas empresas do setor energético. No campo econômico, as incertezas em torno da economia na região continuam. A agenda de indicadores econômicos europeus desta data é fraca. Nesta terça-feira, o presidente do BCE (Banco Central Europeu), Jean-Claude Trichet, mostrou uma avaliação positiva sobre um possível prolongamento no prazo dos títulos públicos gregos. Segundo Trichet, um plano de solução para os problemas na Grécia que envolvesse esse tipo de medida não poderia ser considerado um default.

Na Ásia, o índice Nikkei encerrou a sequência de três pregões consecutivos em queda e terminou a sessão desta terça em alta. Entre os destaques positivos, as ações da Tokyo Electric Power recuperaram parte das perdas da véspera, depois que um oficial do governo negou a possibilidade de decretar a companhia em proteção à falência. Na China, este é o primeiro dia de negociações na semana, por conta de um feriado nacional na segunda-feira. A bolsa por lá fechou em alta favorecida pelo fato de que a expectativa de um aumento na taxa básica de juro durante o feriado – como é comum acontecer na China – não se concretizou, em uma semana que contará com indicador de inflação referente a maio.

Câmbio e juros
O dólar comercial cai 0,38% nesta terça, cotado a R$ 1,5750 na venda. Os investidores seguem atentos ao cenário econômico no exterior, mas também avaliam o resultado de maio do IPCA.

As taxas dos principais contratos de juros futuros operam nesta terça em tendência de baixa, com o mercado atento ao início da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), e repercutindo o resultado de maio do IPCA. O contrato de juros de maior liquidez nesta terça-feira, com vencimento em janeiro de 2012, aponta uma taxa de 12,38%, 0,01 ponto percentual acima do fechamento de segunda-feira. O número de contratos negociados chega a 110.180.

Compartilhe