Bolsa

Ibovespa sobe mais de 1% em meio a chegada de delegação chinesa aos EUA e ata do Fed

China se ofereceu a comprar US$ 10 bilhões em mercadorias dos Estados Unidos, o que impulsiona os mercados lá fora

(Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa atinge a máxima do dia nesta quarta-feira (9) com notícias positivas aqui e no exterior. A delegação chinesa que irá discutir um acordo comercial com os Estados Unidos já está em Washington para começar as tratativas, lideradas pelo vice-primeiro-ministro chinês, Liu He. Mais cedo, a China se ofereceu a comprar US$ 10 bilhões em mercadorias dos Estados Unidos.

Apesar disso, o dólar sobe, refletindo o dado de inflação menor que o esperado em setembro no Brasil, que aumenta as chances de corte de juros.

Por aqui, governo e Congresso chegaram finalmente a um acordo na distribuição dos R$ 106,5 bilhões do megaleilão do pré-sal que ocorre em novembro. Serão 15% aos municípios e 15% aos estados, sendo que essa última fatia está dividida em 10% ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) e 5% aos estados produtores e exportadores de petróleo.

PUBLICIDADE

Com essa polêmica fora do caminho, não deve haver mais obstáculos para reforma da Previdência ser votada em segundo turno no plenário do Senado, como apontou o líder do governo na Casa, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

Às 15h24 (horário de Brasília) o Ibovespa subia 1,27% a 101.363 pontos.

Entre os indicadores, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu 0,04% em setembro, contra o avanço de 0,03% esperado de acordo com o consenso Bloomberg. Em agosto, a inflação havia crescido 0,11%. A inflação oficial brasileira acumula 2,49% de aumento no ano e 2,89% em 12 meses.

Por conta do número, o dólar comercial tem ganhos de 0,26% a R$ 4,097 na compra e a R$ 4,0977 na venda. O dólar futuro para novembro vira para leve variação positiva de 0,05% a R$ 4,103.

Em relatório, os analistas do Goldman Sachs escreveram que o grande hiato de produto, a fraqueza no mercado de trabalho e as revisões para baixo nas projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano devem contribuir para manter a inflação ancorada.

“Baixo núcleo e inflação de serviços moderada também devem dar ao Banco Central um conforto significativo. O dado de inflação divulgado hoje valida as perspectivas de que o [Comitê de Política Monetária] Copom vai cortar a Selic em mais 50 pontos-base na próxima reunião, levando os juros a mais uma mínima histórica, em 5% ao ano”, avalia a equipe do Goldman.

PUBLICIDADE

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 recua nove pontos-base a 4,72%, ao passo que o DI para janeiro de 2023 tem queda de 12 pontos-base a 5,85%.

Às 15h foi divulgada a ata da última decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), que mostrou uma visão pouco alentadora de alguns dirigentes do Federal Reserve, para os quais os mercados estão precificando relaxamento monetário demais.

Diversos membros do banco central dos EUA entendeu que a melhor postura é manter as taxas de juros em setembro. Outros manifestaram a opinião de que o Fed deveria trazer mais clareza acerca do fim do ciclo de queda nos juros.

Por outro lado, muitos oficiais do Fed citaram que a inflação já justifica um corte de juros em setembro e que a situação do comércio global é preocupante.

Sobre guerra comercial, a notícia divulgada no Financial Times sobre as compras da China ajudou a mitigar o ambiente de aversão a risco no mercado financeiro global, que refletia mais cedo a tomada de medidas mais agressivas dos EUA contra a superpotência asiática.

Depois de incluir 28 empresas chinesas na “lista negra”, que dificulta os negócios com os americanos, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeu, proibiu funcionários e altos oficiais da China de tirarem visto para viajar aos Estados Unidos. A explicação oficial para barrar a entrada dessas pessoas é que elas estariam ligadas às detenções em massa de muçulmanos na província de Xinjiang.

Noticiário Corporativo

O presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Roberto Castello Branco, declarou que a venda de ativos da estatal petrolífera não representa o “desmonte” da empresa, conforme críticos da decisão apontam. Segundo o executivo, o “processo de desinvestimento” visa fortalecer a estatal, concentrando os recursos humanos e financeiros de que a empresa dispõe em atividades mais rentáveis e sustentáveis a longo prazo.

Ainda sobre a Petrobras, a companhia finalizou a venda da totalidade da sua participação nos campos de Pargo, Carapeba e Vermelho, localizados em águas rasas na Bacia de Campos (RJ) para a Perenco Petróleo e Gás do Brasil. A operação foi concluída com o pagamento de cerca de US$ 324 milhões para a Petrobras, com os ajustes previstos no contrato. Esse valor se soma a US$ 74 milhões pagos à Petrobras na assinatura dos contratos de venda.

O Estadão destaca também que três licitações de áreas de exploração e produção de petróleo e gás nas próximas semanas devem render R$ 237 bilhões à União e à Petrobras. Cerca de R$ 120 bilhões devem ser direcionados à petroleira por investimentos realizados nas áreas e R$ 117 bilhões virão do bônus de assinatura.

A JBS (JBSS3) é alvo dos senadores Marco Rubio (Republicano) e Robert Menendez (Democrata), que enviaram uma carta ao secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, pedindo a abertura de investigação sobre aquisições feitas pela companhia no país, entre 2007 e 2015, por conta do suposto envolvimento da empresa em casos de corrupção no Brasil e na Venezuela. No período, a JBS comprou Swift, Smithfied Foods, Pilgrim’s Pride e o braço de suínos da Cargill.

O governo federal sancionou a lei que altera a legislação de telecomunicações no Brasil. Segundo o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, a regulamentação do novo Marco Legal das Telecomunicações do país deve levar cerca de um ano. “Já tem sido feito pela Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações]. Aproximadamente um ano para a gente ter isso completo”, projetou.

A joalheria Vivara estreia amanhã na B3, cotada a R$ 24, o que representou uma captação de R$ 2,3 bilhões. Do total, R$ 453 milhões vieram da oferta primária, que servirá para injetar recursos no caixa da companhia. A empresa deverá usar os recursos ainda para abertura de lojas e possíveis pequenas aquisições.

(Com Agência Estado, Agência Brasil, Agência Câmara, Agência Senado e Bloomberg)

 

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos