Abertura do mercado

Ibovespa futuro opera entre perdas e ganhos, na contramão de ânimo no exterior; dólar tem leve alta

Repercussão dos resultados corporativos ganham destaque, assim como dados de inflação nos EUA

Por  Felipe Moreira -

O Ibovespa futuro opera em baixa nesta sexta-feira (29), na contramão pré-mercado em Nova York e bolsas da Europa, após resultados fortes das gigantes Apple e Amazon, além do PIB da zona do euro acima do esperado.

O otimismo nos EUA ocorre numa semana de um surpreendente declínio de 0,9% no PIB americano no segundo trimestre, na quinta-feira. Ao mesmo tempo em que aprofundou os temores de uma possível recessão, também reforçou análises de que o Federal Reserve possa desacelerar o ritmo de alta dos juros.

Por aqui, a taxa de desemprego (PNAD Contínua) no Brasil caiu para 9,3% no trimestre encerrado em junho, resultado levemente abaixo do esperado pelo mercado (o consenso Refinitiv projetava que a taxa de desocupação cairia de 9,4%).

Às 9h12 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro com vencimento para agosto operava em baixa de 0,07%, aos 103.435 pontos.

A maioria dos juros futuros operam em baixa: DIF23 (janeiro para 2023), -0,01 pp, a 13,83%; DIF25, -0,01 pp a 12,82%; DIF27, 0,00 pp, a 12,74%; e DIF29, -0,01pp, a 12,87%.

Em Wall Street, o Dow Jones futuro subia 0,22%, enquanto o futuro do S&P 500 avançava 0,64% e o Nasdaq futuro operava com alta de 0,99%. Os investidores aguardam pelos dados de inflação nos EUA, com o PCE de junho, medida preferida do Fed.

Já as bolsas da Europa operam em alta com os investidores repercutindo resultados corporativos e crescimento do PIB da zona do euro acima do esperado.

O bloco registrou alta de 0,7% no PIB, superando as expectativas de crescimento de 0,2% e contrastando fortemente com as leituras negativas dos Estados Unidos no primeiro e segundo trimestre.

Os mercados asiáticos fecharam sem direção definida nesta sexta-feira, com destaque para baixa de 2% do índice Hang Seng, de Hong Kong, pressionado por ações de tecnologia.

As ações de Alibaba e Meituan caíram 7,01% e 7,18%, respectivamente. O Alibaba caiu pela terceira sessão consecutiva após as notícias no início desta semana de que vários executivos do Ant Group deixaram o cargo de parceiros do Alibaba.

Já os papéis da Meituan caíram depois que a empresa foi convocada pelo regulador de mercado de Hangzhou sobre segurança alimentar e concorrência de preços.

Os líderes chineses sinalizaram na quinta-feira que é improvável que Pequim tente impulsionar a economia e minimizou a meta do PIB do país de “cerca de 5,5%”.

As cotações do minério de ferro sobem e engatam a sexta alta consecutiva em Dalian.

Por outro lado, o contrato de minério de ferro mais negociado em setembro na Bolsa de Cingapura caiu 3,7%, a US$ 114,30 a tonelada, após ter atingido na sessão anterior seu maior nível desde 30 de junho, a 119,90 dólares. A China indicou que controlar os surtos de Covid-19 ainda era uma prioridade, conforme disse a mídia estatal após uma reunião do Partido Comunista na quinta-feira.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe