Abertura

Ibovespa Futuro sobe e dólar cai com expectativas por encontro de Trump com vice-premiê da China

Mercado opera com fortes ganhos à espera de uma solução na guerra comercial

Home brokers com gráficos de ações (Crédito: Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa Futuro abre em alta nesta sexta-feira (11) impulsionado pelas expectativas de que não haja surpresas negativas no encontro entre o presidente americano, Donald Trump, e o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, para tratar da guerra comercial.

Espera-se que pelo menos sejam adiadas as tarifas de importação sobre US$ 250 bilhões em produtos chineses que os Estados Unidos colocariam em vigor na terça-feira (15). As notícias são de que os chineses estão dispostos a comprarem mais produtos agrícolas dos EUA, mas as questões relativas a subsídios industriais, propriedade intelectual e transferência de tecnologia são temas mais sensíveis para a superpotência asiática.

Também fica no radar a alta do petróleo, que reflete a explosão de dois mísseis em um petroleiro iraniano no Mar Vermelho. A empresa do Irã sugeriu que a responsabilidade no ataque era da Arábia Saudita. O barril do tipo Brent tem alta de 1,35% a US$ 59,90 e o barril do WTI registra ganhos de 1,55% a US$ 54,36.

PUBLICIDADE

Às 9h05 (horário de Brasília) o contrato futuro do Ibovespa para outubro sobe 0,79% a 103.120 pontos, enquanto o dólar futuro para novembro cai 0,24% a R$ 4,106.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 avança um ponto-base a 4,65% e o DI para janeiro de 2023 fica estável a 5,71%.

Sobre a guerra comercial, Liu He disse que a China está disposta a fazer concessões. “O lado chinês veio com grande sinceridade e está disposto a fazer sérias trocas com os EUA em questões de interesse comum, como balança comercial, acesso a mercados e proteção a investidores, e promover progressos positivos nas consultas”, disse Liu à estatal chinês agência de mídia Xinhua. O secretário do Tesouro Steven Mnuchin e o representante comercial dos EUA Robert Lighthizer lideraram a equipe de negociadores americanos.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro negou que o governo dos Estados Unidos tenha preterido o ingresso do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Em live semanal, no Facebook, Bolsonaro afirmou que o apoio dos norte-americanos à entrada de Romênia e Argentina já era conhecido e que o Brasil terá sua oportunidade de integrar o chamado “clube dos ricos”, como a OCDE é conhecida.

Ontem à noite, Trump reiterou a posição favorável ao ingresso do Brasil na OCDE. “A declaração conjunta divulgada com o presidente Bolsonaro em março deixa muito claro que eu apoio que o Brasil inicie o processo para se tornar membro pleno da OCDE. Os EUA apoiam essa declaração e apoiam Jair Bolsonaro”, escreveu, classificando ainda a informação da Bloomberg como “fake News”.

A agência de notícias Bloomberg informou que governo dos Estados Unidos, por meio do secretário de Estado, Mike Pompeo, rejeitou um pedido para discutir o aumento de integrantes na OCDE, grupo que reúne 36 países, a maioria da Europa e América do Norte.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, em meio à briga dentro do PSL, Bolsonaro afirmou que a legenda deve ser investigada pelo uso de recursos públicos recebidos por conta do fundo partidário. “Vamos pedir uma auditoria nas contas do partido nos últimos cinco anos”, disse ao jornal O Estado de S.Paulo.

Entre os indicadores, destaque nos EUA para a divulgação do Índice do sentimento do consumidor da Universidade de Michigan e do índice de preços de importação. No Brasil, está prevista apenas a publicação da pesquisa mensal do setor de serviços pelo IBGE.

Noticiário Corporativo

Fica no radar a má notícia de que foi registrado um caso de peste suína no Alagoas, que embora não seja a mesma variedade da doença que afeta os plantéis chineses, deve causar alguma preocupação para JBS (JBSS3), Marfrig (MRFG3) e BRF (BRFS3).

A 16ª Rodada de Licitações da ANP arrecadou R$ 8,915 bilhões em bônus de assinatura, um novo recorde nas recentes rodadas de concessões. Foram arrematados 12 dos 36 blocos oferecidos para exploração e produção de petróleo e gás natural em regime de concessão, sendo dez na Bacia de Campos. Ao todo, dez empresas diferentes compuseram as propostas vencedoras. O ágio foi de 322% para o bônus de assinatura.

A Braskem (BRKM5) informou que o Juiz da 7ª Vara do Trabalho de Maceió negou os pedidos liminares do Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT-AL) na Ação Civil Pública proposta contra a Companhia no contexto do fenômeno geológico ocorrido em Maceió, incluindo o pedido de bloqueio no montante de R$ 2,5 bilhões.

(Com Agência Estado, Agência Brasil e Bloomberg)

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos