Sobe e desce

Ibovespa futuro abre outubro em alta acompanhando virada em índices dos EUA; inflação global no radar

Risco de shutdown nos EUA diminuiu com acordo no Congresso, mas os investidores seguem atentos a índices de inflação que confirmam escalada global de preços

Por  Mitchel Diniz -

SÃO PAULO – Depois de um mês ruim para a Bolsa brasileira, que teve em setembro o pior desempenho em 18 meses, o Ibovespa futuro inicia outubro em alta. A situação não é muito diferente no exterior: os índices futuros em Nova York, que mais cedo operavam em baixa, inverteram sinal e apontam abertura em alta para as bolsas americanas. Já as europeias operam no terreno negativo. Os mercados asiáticos também fecharam em queda.

Os investidores acompanham novos dados de inflação na Europa e Estados Unidos, em meio a preocupações com a escalada dos preços e gargalos nas  cadeias globais de abastecimento. A redução de estímulos pelos bancos centrais também continua no radar.

Nos Estados Unidos, a possibilidade de paralisação de uma parte do governo foi afastada ao menos pelos próximos dois meses. Tanto o Senado quanto a Câmara dos Estados Unidos passaram uma lei de curto prazo que deve manter o governo em funcionamento até 3 de dezembro. O texto foi assinado ontem à noite pelo presidente democrata Joe Biden.

A novela dos gastos no Congresso, porém, está longe do fim. Os parlamentares ainda precisam votar uma outra lei que prevê US$ 1 trilhão de investimentos em infraestrutura e tem dividido os políticos, inclusive dentro da própria ala democrata.

Leia mais: Negociações por infraestrutura seguem e todos devem ter que ceder, diz Casa Branca

Ainda nos Estados Unidos, o núcleo de índice de gastos pessoais referente a agosto subiu 0,3% ante julho. Em 12 meses, o indicador acumula alta de 4,3%. O dado veio acima da previsão dos economistas ouvidos pela Dow Jones. O núcleo de índice de gastos pessoais é usado como base para decisões do Federal Reserve e por isso é acompanhado com muita atenção.

Cada vez mais, o Fed tem sinalizado que pode aumentar juros e reduzir medidas de estímulos, diante do avanço da inflação nos Estados Unidos.

Às 9h12 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro com vencimento em outubro de 2021 operava em alta de 0,41% aos 111.120 pontos.

O real começou o mês de outubro ganhando do dólar. No terceiro trimestre, a moeda brasileira teve o pior desempenho desde o início da pandemia de Covid-19. Agora de manhã, o dólar comercial opera em queda de 0,37%,  a R$ 5,425 na compra e  R$ 5,426 na venda. O dólar futuro com vencimento em novembro de 2021 cai 0,41% a R$ 5,445.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ontem, o Banco Central fez um leilão extraordinário de swaps, com a sessão ainda em curso, pela primeira vez desde 8 de julho, mas ainda assim o dólar fechou em alta.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 opera próximo da estabilidade a 7,18%, DI para janeiro de 2023 opera em leve alta de dois pontos-base 9,18%, DI para janeiro de 2025 também sobe dois pontos-base a 10,27% e DI para janeiro de 2027 registra variação positiva de quatro pontos-base a 10,67%.

O S&P 500 futuro, que também fechou setembro com o pior desempenho desde março do ano passado, avançava 0,43%; Dow Jones futuro avançava 0,51% e o Nasdaq futuro operava em alta de 0,31%.

As bolsas na Europa começaram o mês de outubro em baixa. A inflação na zona do euro, que já vinha sendo observada com preocupação, aumentou 3,4% em setembro, maior variação em 13 anos. O índice foi impulsionado pela alta dos custos de energia, com a demanda por gás na Europa se intensificando, à medida que o inverno no hemisfério norte se aproxima.

Às 9h, o índice pan-europeu Stoxx 600 recuava 0,24%. Em Londres, o FTSE 100 operava estável com leve queda de 0,06% enquanto o DAX, da Bolsa de Frankfurt, operava em baixa de 0,64%.

Na Ásia, algumas bolsas vão ficar fechadas por uma semana a partir desta sexta-feira por conta de um feriado. Mas, as preocupações com a crise energética na China devem seguir pautando os mercados. Os investidores também devem continuar monitorando a situação da Evergrande, gigante do setor imobiliário chinês, que tem enfrentado sérios problemas financeiros.

O Nikkei do Japão caiu 2,31% nesta sexta-feira. Na Coreia do Sul, o Kospi perdeu 1,62%.

Fundo com dividendos da Petrobras

Em sua transmissão semanal pelas redes sociais na quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender votação de projeto que fixa o ICMS cobrado sobre os combustíveis nos Estados e falou sobre a possibilidade da criação de um fundo que possa amortecer a flutuação do preço dos combustíveis.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Criar um fundo regulador. Ver o lucro da Petrobras (PETR3;PETR4), aquele que vem para o governo federal, para nós, ninguém vai meter a mão em nada. Será que esse dinheiro da Petrobras que vem para nós será, eu estou perguntando, será, eu não estou afirmando que é um lucro bilionário, nós não podemos converter e ir para esse fundo regulador?”, questionou Bolsonaro.

O presidente aproveitou a live para deixar claro que não irá interferir na política de preços: “se eu tabelar, complica a situação”.

Segundo reportagem de capa do jornal O Globo, após a Petrobras aportar R$ 300 milhões para subsidiar o GLP a famílias pobres, o governo avalia criar um vale-gás para famílias de baixa renda, em especial beneficiários do Bolsa Família.

A proposta de criação do vale-gás é estudada pelo Ministério da Cidadania, e não há previsão de custo do programa.

A alta dos preços do botijão de gás é um dos principais fatores que vêm impulsionando a inflação, ao lado da alta dos preços da energia elétrica. O país passa por uma grave crise hídrica que afeta a produção de hidrelétricas.

Radar corporativo

BRF (BRFS3)

O Conselho de Administração da BRF aprovou nesta quinta-feira a criação de um programa de recompra de até 3.696.858 de ações ordinárias, mediante determinadas condições, informou a companhia em fato relevante.

Segundo a empresa, o objetivo do programa é cumprir obrigações e compromissos assumidos no âmbito de planos de outorga de opções, já aprovados em assembleias.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras confirmou no final do pregão da véspera que recebeu ofertas vinculantes de dois consórcios pelos campos de Albacora e Albacora Leste, com lances que podem superar US$ 4 bilhões para ambos os ativos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os consórcios que participam da fase vinculante são PetroRio/Cobra e EIG Global Energies Partners/Enauta/3R Petroleum.

A Petrobras disse ainda que está analisando as ofertas e que o início da fase de negociação será submetido à deliberação da diretoria executiva da companhia, após a conclusão da análise das ofertas.

“A companhia esclarece que a celebração da transação dependerá do resultado das negociações, bem como das aprovações corporativas necessárias”, disse a empresa.

A venda dos campos de Albacora representaria uma vitória para a Petrobras, que está vendendo dezenas de ativos em uma tentativa de reduzir a dívida e concentrar os investimentos nas prolíficas áreas do pré-sal.

Ultrapar (UGPA3)

Em assembleia geral extraordinária, a Ultrapar apresentou aos acionistas a oferta de direito de preferência para a subscrição de ações resgatáveis e aquisição de ações alienadas de emissão da subsidiária Oxiteno, vendida em agosto para Indorama por US$ 1,3 bilhão.

Os acionistas terão 30 dias para, na proporção de suas participações, subscreverem no mínimo 36.457.574 e no máximo 42.891.264 ações emitidas e adquirir 35.102.127 ações alienadas. Segundo a companhia, as duas transações tem que ser adotadas conjuntamente, ou seja, os acionistas não podem optar por uma ou por outra transação.

MRV (MRVE3)

A construtora MRV  anunciou que concluiu a venda de um empreendimento na Flórida, EUA, por US$ 123 milhões em Valor Geral de Venda (VGV).

De acordo com fato relevante, a venda das unidades do Banyan Ridgee Tamiami Landings, trouxe para a MRV uma receita líquida de US$ 57,5 milhões e um lucro bruto de US$ 33,1 milhões.

Oncoclínicas (ONCO3)

A Oncoclínicas assinou memorando de entendimentos vinculante para a aquisição da Unity, grupo de clínicas oncológicas no Brasil, com 24 unidades em 5 Estados e no Distrito Federal. O valor acordado é de R$ 558 milhões pagos em dinheiro e 45.765.246 ações.

“Caso concluída, a operação permitirá o incremento da presença do Grupo Oncoclínicas no Distrito Federal e nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Pernambuco, além de marcar o ingresso da companhia na região Norte do Brasil (Estado do Amazonas)”, afirma a empresa em fato relevante. Segundo o grupo, a compra também permitirá a expansão da companhia para o interior do estado de São Paulo.

Considerando a conclusão da operação, o Ebitda ajustado da Oncoclínicas estimado para os 12 meses seguintes ao fechamento, após a incorporação das sinergias estimadas, será de aproximadamente R$ 145 milhões. A transação precisa ser aprovada pelos acionistas da Oncoclínicas e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Unifique (FIQE3)

A Unifique anunciou a compra de três provedores de internet e ativos de fibra ótica em Santa Catarina: a MKS NET SC, a TVC e a Fibramaxx. As aquisições somam juntas cerca de 33 mil clientes, o que representa em conjunto 10% da base de clientes atuais da companhia no Estado, e fazem parte de sua estratégia de crescimento onde já possui liderança de mercado na tecnologia fibra ótica, e de abranger o maior número de cidades possível. Não foram divulgados os valores das transações.

A MKS NET SC possui mais de 20 anos de atuação no segmento internet banda larga em Itapema, Balneário Camboriú, Navegantes, Bombinhas e Porto Belo. Possui aproximadamente 21 mil clientes atendidos por tecnologia fibra ótica. Segundo o fato relevantem a Unifique, que já possui presença nas cidades acima, amplia sua atuação com grande potencial de sinergia decorrente da diluição de custos fixos de sua operação e do aumento de receitas pelos serviços a serem ofertados à nova base de clientes e potenciais clientes da rede de fibra ótica adquirida.

Estapar (ALPK3)

A Estapar informou que mantém negociações em estágio avançado para a potencial aquisição da Zul Digital, por meio de compra de uma parcela de ações da empresa e incorporação das ações de emissão da Zul Digital pela companhia.

“As características da potencial aquisição, incluindo o preço por ação, relação de troca e a estrutura definitiva, estão sujeitas à conclusão das negociações dos documentos definitivos em termos satisfatórios para as partes envolvidas, bem como da eventual aprovação dos acionistas das companhias envolvidas, de forma que não há qualquer garantia de que a Potencial Aquisição será concluída com sucesso”, afirma a companhia em fato relevante.

Neogrid (NGRD3)

A Neogrid fechou contrato de compra da Lett, companhia especializada em trade marketing digital (estratégia de venda online), e tem como objetivo conectar marcas e consumidores para criar jornadas de compras no e-commerce.

O valor da aquisição é de R$ 38,454 milhões, o que representa 3,6 vezes o ARR (receita recorrente anual), e é composto por um pagamento inicial de aproximadamente 57% do valor e três parcelas com vencimentos em 120, 360 e 720 dias.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil confirmou na quinta que fez uma captação internacional no dia 13 de setembro de US$ 750 milhões em títulos de dívida sênior (bonds), com vencimento em 30 de setembro de 2026 e cupom de 3,25% ao ano, cuja liquidação financeira ocorreu ontem.

Especialistas certificados das maiores corretoras do Brasil ensinam como ir do básico à renda extra crescente operando como trader na Bolsa de Valores. Inscreva-se Grátis.

Compartilhe