Pré-mercado

Ibovespa futuro abre com viés de baixa, descolado do exterior; dólar aponta para terceiro dia seguido de alta

O mercado continua acompanhando os movimentos do Banco Central dos Estados Unidos e sua política de aperto monetário

Por  Mitchel Diniz

O Ibovespa futuro opera com viés negativo nos primeiros negócios desta sexta-feira (8), descolado dos índices no exterior. Em um dia de poucos indicadores econômicos, o mercado segue em busca de novas pistas sobre os próximos passos do Banco Central dos Estados Unidos e sua política de aperto monetário. Também monitora o andamento da guerra na Ucrânia e o impacto de sanções à Rússia nos preços das commodities.

“A reação dos mercados globais continua a ser pautada pela perspectiva de ação do Federal Reserve nos juros americanos e como isso pode impactar tanto na atividade econômica global, como na inflação vigente”, diz relatório da Infinity Asset, assinado por Jason Vieira, economista-chefe.

Para ele, o movimento de busca de emergentes, em especial o Brasil, passou por uma breve correção nas últimas sessões, mas não deu sinal de esgotamento.

“Muito se discute sobre a dimensão que os mercados emergentes suportariam, em termos de aperto, mas o ponto mais importante seria o foco em um possível aumento da velocidade de redução do balanço e não necessariamente do aumento da taxa”, escreveu Vieira. O Fed sinalizou que poderá reduzir esse balanço em US$ 95 bilhões nos próximos três meses.

Às 9h11 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro para abril operava em ligeira queda de 0,28%, aos 118.620 pontos.

O dólar comercial, por sua vez, abriu em tendência de alta após dois dias consecutivos de valorização. A moeda americana era negociada com ligeira alta de 0,06%, a R$ 4,743 na compra e R$ 4,744 na venda.

Os juros futuros voltam a subir depois que o Inflação medida pelo IPCA de março avançou 1,62%, acima do esperado, e com a maior variação para o mês desde 1994: DIF23, +0,16 pp, a 12,90%; DIF25, +0,20 pp, a 11,68%; DIF27, +0,15 pp, a 11,39%; e DIF29, +0,12 pp, a 11,45%.

Os futuros em Nova York indicam uma abertura em alta para as Bolsas por lá: o Dow Jones futuro avança 0,4%, enquanto os futuros do S&P 500 e da Nasdaq sobem, respectivamente, 0,34% e 0,35%.

Análise técnica por Pamela Semezatto, analista de investimentos e especialista em day trader da Clear Corretora

Ibovespa

“Candle de ontem confirma um fundo da correção desses últimos dias, mas ainda não mostrou força suficiente para retomada da tendência. A confirmação de uma nova alta se dá pelo rompimento dos 121.500, e, enquanto estivermos acima dos 115.000, segue mais altista.”

Dólar

“Segue no movimento de repique da ultima queda. E a formação do gráfico semanal nos indica que pode acontecer um movimento de alta mais forte caso, semana que vem, dê continuidade na alta. Ainda cedo para falar em reversão de tendência para alta, mas os sinais de que esse repique (movimento de alta) pode ser mais longo, estão ficando mais fortes.”

Compartilhe