Pré-mercado

Ibovespa futuro acompanha exterior e abre em alta; dólar é negociado abaixo de R$ 4,80

Investidores digerem crescimento do PIB menor que o esperado no Brasil, dados de trabalho nos EUA e inflação europeia

Por  Mitchel Diniz

O Ibovespa futuro opera em alta nesta terça-feira (2), acompanhando a tendência do pré-mercado no exterior. Os investidores começam o dia digerindo dados como o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, que cresceu menos que o esperado, a criação de vagas de trabalho no setor privado dos Estados Unidos e o avanço da inflação na Europa.

Às 9h23 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro para junho operava em alta de 0,53%, aos 112.390 pontos.

O dólar comercial caía 0,15% a R$ 4,796 na compra e R$ 4,797 na venda.

Os juros futuros operam em alta nos vencimentos mais longos: DIF23, estável, a 13,44%; DIF25, + 0,06 pp, a 12,46%; DIF27, + 0,07 pp, a 12,35%; e DIF29, +0,07 pp, a 12,45%.

Futuros em Nova York operam em alta. destaque para dados do mercado de trabalho, às vésperas da divulgação do payroll.

Após a divulgação do Livro Bege, na tarde de ontem, ressaltando o “aperto” no mercado de trabalho americano e seu impacto no inflação, investidores olham para os números de criação de vagas no setor privado e de pedidos semanais de auxílio desemprego.

Leia mais: EUA criam 128 mil empregos no setor privado em maio, mostra ADP, abaixo do esperado

O Dow Jones futuro sobe 0,30%, enquanto os futuros do S&P 500 e Nasdaq avançam, respectivamente, 0,37% e 0,46%.

Na Europa, as Bolsas também operam em alta, com o índice Stoxx 600 subindo 0,52%. O índice de preços ao produtor (PPI) da zona do euro subiu para 37,2% em abril (na comparação com um ano antes), mas veio abaixo do esperando pelos analistas, que esperavam que o PPI alcançasse 38,6%. Em relação a março, a alta foi de 1,2%.

Os investidores estão acompanhando de perto o  Banco Central Europeu (BCE) em busca de pistas sobre o ritmo do aumentos das taxas de juros necessários para conter os preços. O ajuste deve começar em julho.

As Bolsas no Reino Unido estão fechadas hoje com o feriado bancário – começaram as comemorações pelo Jubileu de Platina da Rainha Elizabeth II, seus 70 anos de reinado.

Na Ásia, a maioria das Bolsas fecharam em baixa com expectativa de alta de juros pelo mundo e o temor sobre a pandemia. O governo chinês determinou que bancos estatais disponibilizem 800 bilhões de yuans para financiar projetos de infraestrutura, em sua principal iniciativa para a estimular a economia afetada pelos recentes lockdowns.

As medidas restritivas foram suspensas em Xangai, porém estão sendo retomadas em Hong Kong, com um aumento no número de casos de Covid-19 na cidade.

A perspectiva de alta de juros nos Estados Unidos pelo Federal Reserve, na reunião que acontecerá daqui a duas semanas, também voltou a impactar os mercados.

Análise técnica por Pamela Semezatto, analista de investimentos e especialista em day trader da Clear Corretora

Ibovespa

“Segue estável sem mostrar força para compra ou para venda. No curtíssimo prazo, em tendência de alta, ainda acima do suporte de 109.000 pontos. Espero por testes na resistência de 115.000.”

Dólar

“O dia de ontem mostrou força para o repique depois do candle de reversão do dia 30/05 e o fechamento foi bem na resistência de R$ 4,860. Se der continuidade na alta, podemos esperar por teste no R$ 4,980. Para considerarmos reversão de tendência, a princípio precisa romper a resistência de R$ 5.300.”

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe