Fechamento

Ibovespa fecha em alta de 2% e encosta nos 115 mil pontos com exterior e PEC Emergencial; dólar cai a R$ 5,54

Mercado estendeu os ganhos da véspera em meio à melhora no cenário fiscal

Stock market or forex trading graph chart suitable for financial investment concept. Economy trends background for business idea. Abstract finance background. Vector illustration
(berya113/Getty Images)

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em alta nesta quinta-feira (11) após o plenário da Câmara dos Deputados aprovar em segundo turno o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial. Foram 366 votos a favor, 127 contra e 3 abstenções. O governo conseguiu 25 votos a mais pela matéria em relação ao apoio conquistado no primeiro turno.

A proposição é apontada pelo governo federal como fundamental para viabilizar a concessão de uma nova rodada do auxílio emergencial, diante do recrudescimento da crise do novo coronavírus no país.

Quem também animou os investidores por aqui foi o dia positivo em Wall Street. Os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq subiram, renovando máximas após o presidente Joe Biden sancionar o pacote de US$ 1,9 trilhão em estímulos contra os impactos econômicos do coronavírus que foi aprovado ontem pela Câmara de Representantes.

A lei irá estender o auxílio de US$ 300 a desempregados e outros programas voltados a essa população. Assim, milhões de americanos se tornarão elegíveis para auxílios do tipo até 6 de setembro.

O índice Nasdaq, de ações de tecnologia, destacou-se entre as altas, com ganhos de mais de 2%, uma vez que os rendimentos dos títulos dos Estados Unidos recuavam para mínimas em uma semana com a redução das preocupações sobre uma forte aceleração da inflação.

Vale lembrar que empresas de tecnologia sofrem mais com o aumento dos juros dos treasuries, uma vez que possuem um fluxo de caixa mais longo e são menos sensíveis ao ciclo da economia.

Os EUA ainda tiveram um dado melhor que o esperado do mercado de trabalho. Os pedidos por seguro-desemprego somaram 712 mil na semana passada, abaixo dos 725 mil esperados.

Além disso, os investidores ficaram atentos à piora do cenário da Covid-19 no País, que bateu recorde de mortos novamente na quarta-feira. Nesta quinta, o governador de São Paulo, João Doria, anunciou que o estado entrará em uma fase mais restritiva de seu plano de quarentena, limitando ainda mais o funcionamento do comércio e paralisando eventos esportivos na região.

Entre os indicadores brasileiros, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) cresceu a 0,86% em fevereiro na comparação com janeiro, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta terça-feira (9). A estimativa, segundo consenso Refinitiv, era de alta de 0,72% na comparação com janeiro, após dado anterior com alta de 0,25%.

PUBLICIDADE

O Ibovespa teve alta de 1,96%, a 114.983 pontos com volume financeiro negociado de R$ 41,02 bilhões.

Enquanto isso, o dólar comercial fechou em queda de 1,94% a R$ 5,5423 na compra e a R$ 5,5428 na venda. Já o dólar futuro com vencimento em abril registra perdas de 2,34% a R$ 5,545 no after-market.

O dólar já havia acentuado a queda no início da tarde após o Banco Central vender todos os 16 mil contratos de swap cambial ofertados em rolagem do vencimento de abril. Do total, 3 mil papéis foram alocados para o vencimento de junho e outros 13 mil, para dezembro.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 subiu oito pontos-base a 4,13%, o DI para janeiro de 2023 teve alta de sete pontos-base a 5,90%, o DI para janeiro de 2025 recuou dois pontos-base a 7,37% e o DI para janeiro de 2027 registrou variação negativa de oito pontos-base a 7,90%.

Na Europa, o Banco Central Europeu (BCE) decidiu deixar sua política monetária inalterada, como se previa, mas prometeu acelerar suas compras de bônus e ser flexível para evitar um aperto “das condições financeiras”.

As principais taxas de juros do BCE, a de refinanciamento e a de depósitos, permaneceram em 0% e -0,50%, respectivamente. Além disso, o BCE manteve o volume de seu Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) em 1,85 trilhão de euros.

Já as bolsas da China continental avançaram apesar de terem o desempenho prejudicado pelo anúncio feito pelo premiê Li Keqiang de que o país focará em crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de cerca de 6% para o ano, o patamar mais baixo de muitas estimativas de economistas, e relativamente modesto para padrões chineses.

O premiê afirmou que o governo não pretende emitir mais títulos em resposta à pandemia, e que as metas de déficit e inflação devem ficar mais baixas do que no ano passado.

PUBLICIDADE

Por outro lado, dados de empréstimos bancários em fevereiro melhores do que o esperado impulsionaram o sentimento do mercado e aliviaram algumas preocupações de aperto da política monetária.

Os números mostraram que os novos empréstimos bancários na China caíram menos do que o esperado em fevereiro ante janeiro uma vez que o banco central buscou aliviar o crescimento do crédito para conter os riscos de dívida, enquanto mantém o suporte para pequenas empresas.

Brasil tem 2 mil mortes por Covid em um dia

Pelo 12º dia seguido, o país bateu na quarta (10) seu recorde na média móvel de mortes por Covid em 7 dias, com a marca de 1.645, alta de 43% em comparação com a média de 14 dias antes. O patamar de 1.500 mortes na média de 7 dias foi ultrapassado pela primeira vez há dois dias.

Pela primeira vez, o país ultrapassou, com folga, a marca de 2.000 mortes por Covid em um único dia, com 2.349 casos.

Este patamar foi atingido apesar de o Distrito Federal não ter divulgado o seu número de mortes. Por outro lado, foram contabilizados dados a mais de Goiás, que não havia divulgado o número de mortes na terça.

As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias estaduais de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h de quarta o avanço da pandemia em 24 h no país.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 69.107, alta de 32% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia houve 80.955 diagnósticos.

Até a segunda, 9.013.639 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a covid no Brasil, o equivalente a 4,26% da população. A segunda dose foi aplicada em 3.166.189 pessoas, ou 1,5% da população. Analistas vêm apontando a velocidade da imunização como um dos fatores a influenciarem a retomada da economia.

PUBLICIDADE

Segundo levantamento do jornal Folha de S. Paulo em todas as capitais do país, apenas Maceió e Macapá têm taxa de ocupação das UTIs abaixo de 80%. 16 capitais têm ocupação acima de 90%. Em Rio Branco e Aracaju, a ocupação é de 99%. Porto Velho tem ocupação de 100%, e Porto Alegre, de 102%.

Em uma cerimônia na quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou duas leis e uma medida provisória dedicadas a impulsionar a compra de vacinas pelo Brasil.

O PL 534 de 2021 facilita a compra de vacinas por União, governos estaduais e pela iniciativa privada A MP 1.026 de 2021 permite a compra de vacinas antes de aval da Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária). O PL 2.809 de 2020 prorroga até 31 de dezembro de 2020 a suspensão de manutenção de metas por prestadores de serviços de saúde no SUS.

Ao contrário do habitual, tanto Bolsonaro quanto outras autoridades utilizavam máscara. Segundo levantamento do portal G1, a última vez em que o presidente havia utilizado uma máscara em evento oficial fora em 3 de fevereiro, na sessão solene de abertura do ano legislativo no Congresso.

Pela quinta vez, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, reduziu a previsão de vacinas disponíveis no Brasil para o mês de março, para entre 22 milhões e 25 milhões de doses. Na segunda, o general Pazuello havia estimado entre 25 milhões e 28 milhões o número de doses. Em fevereiro, havia falado em 46 milhões de doses.

Em São Paulo, o governo anunciou a previsão de que a segunda dose da vacina comece a ser aplicada em idosos de entre 72 anos e 74 anos no dia 22 de março.

Radar corporativo

A Braskem teve lucro líquido atribuível aos acionistas majoritários de R$ 846 milhões no quarto trimestre de 2020, ante prejuízo líquido de R$ 2,92 bilhões registrado no mesmo trimestre de 2019.

Já a Eneva teve lucro líquido de R$ 686,5 milhões no quarto trimestre, alta de 88% na base anual. Enquanto isso, a receita líquida operacional totalizou R$ 1,22 bilhão, alta de 10% na mesma base de comparação.

Maiores altas

AtivoVariação %Valor (R$)
CVCB310.226618
ECOR38.920211.6
CCRO38.879312.63
CSNA38.579837.08
BRML38.03789.14

Maiores baixas

AtivoVariação %Valor (R$)
PRIO3-2.277592.25
JBSS3-1.899426.34
TOTS3-1.635827.66
RADL3-1.601623.96
KLBN11-1.57128.82

A Ecorodovias teve crescimento do tráfego nas principais rodovias por ela administradas no quarto trimestre, mas uma grande baixa contábil levou a operadora de concessões de infraestrutura ao prejuízo. A companhia anunciou prejuízo de R$ 630,7 milhões entre outubro e dezembro, ante lucro de R$ 79,2 milhões no mesmo intervalo de 2019. A última linha do resultado foi afetada por uma baixa contábil de R$ 616 milhões referente ao contrato de concessão do Ecoporto Santos, que não foi prorrogado. A companhia havia há anos que contava com a prorrogação do contrato por mais 25 anos, mais o Ministério da Infraestrutura negou o pedido.

Já a Vale aprovou nesta quarta-feira a lista de candidatos para a composição do Conselho de Administração durante o mandato de 2021 a 2023.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Estagnado em sua profissão? Série gratuita do InfoMoney mostra como você pode se tornar um Analista de Ações em 2021. Clique aqui para se inscrever.