Números de fechamento

Ibovespa fecha abaixo dos 112 mil pontos após discurso de Putin; dólar cai para R$ 5,10

Mesmo com disparada de ações ligadas ao petróleo, Bolsa sucumbiu à aversão dos investidores com o risco cada vez maior de uma guerra

Por  Equipe InfoMoney

A Bolsa brasileira fechou próximo das mínimas do dia após um discurso hostil do presidente russo Vladimir Putin , que reconheceu a independência de dois territórios separatistas da Ucrânia. Hoje, com o feriado nos EUA, a B3 operou sem a referência dos índices em Nova York e o volume de negócios ficou abaixo da média. O Ibovespa caiu 1,02%, aos 111.725 pontos, após oscilar entre 111.657 e 113.404. O volume financeiro foi de R$ 18,3 bilhões.

Enrico Cozzolino, head de análise e sócio da Levante, lembra que estamos na semana antes do Carnaval e é comum haver realização de lucros. Isso não quer dizer que  Bolsa deve continuar cando no longo prazo. “O investidor realiza uma partes dos lucros dado o cenário de incertezas”, acrescenta.

Casa Branca: Biden proibirá comércio e investimento com regiões separatistas da Ucrânia

O destaque positivo ficou com as ações da 3R Petroleum (RRRP3) , com alta de 3,87%, seguidas pela Petrorio (PRIO3), subindo 3,65%.  As ações da Petrobras (PETR3;PETR4), também fecharam entre as maiores altas do dia.

As petroleiras subiram acompanhando o movimento positivo do preço do barril de petróleo, que vem sendo sustentado pelas tensões entre Rússia e Ucrânia possível. Apesar de positivo para empresas ligadas ao petróleo, Bruno Komura, analista da Ouro Preto Investimento, diz que “para todos os outros ativos, [uma guerra] é um cenário bastante complicado, com aumento da incerteza”.

Os destaques negativos ficaram com Qualicorp (QUAL3) e Positivo (POSI3) que recuaram, respectivamente, 8,64% e 7,11%, seguidas pela Americanas (AMER3) , que caíram 6,61%. A varejista teve forte queda após suspender as operações de seus sites devido a identificação de uma falha de segurança.

O agravamento das tensões entre Rússia e Ucrânia não foi suficiente para interromper a trajetória de queda do dólar frente ao real, apesar da liquidez reduzida devido ao feriado nos EUA.

Mais uma vez, o fluxo de capital externo falou mais alto, com o investidor estrangeiro de olho em ações de commodities na B3 e no carry trade atraente da renda fixa, com o cenário de Selic acima de 12% neste ano se consolidando diante da persistência da inflação.

A moeda americana fechou em baixa de 0,64%, a R$ 5,1070, após oscilar entre R$ 5,0754 e R$ 5,1550.

Segundo Komura, o fluxo de capital estrangeiro deve continuar entrando no país, ainda mais como a perspectiva de que a Rússia pode se tornar um mercado mais complicado de investir, podendo haver bastante realocação de investimentos, com investidores saindo da Rússia para outros países emergentes, como o Brasil.

A curva de juros recuou na maioria dos vencimentos: DIF23, estável, a 12,36%; DIF25, -0,05 pp, a 11,35%; DIF27, -0,08 pp, a 11,22%; DIF29, -0,09 pp, a 11,38%.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe