Bolsas

Ibovespa cai, mas fica longe da mínima entre exterior e nova investida contra os “jcp”

Resultados piores que o esperado pressionaram o índice, em dia de nova investida de Gleisi Hoffman contra os juros sobre capital próprio

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa fecha em queda nesta quinta-feira (25), dia de forte volatilidade com o índice abrindo em queda, virando para alta, e oscilando entre extremos durante todo o dia até firmar baixa durante a tarde puxado por Vale, Ambev e bancos. No caso da mineradora e da cervejaria, o desempenho fraco pode ser atribuído aos resultados destas empresas, que decepcionou os investidores. O investidor fica atento para os desdobramentos no noticiário político e também da nova fase da Operação Zelotes deflagrada pela Polícia Federal e que tem como foco o grupo Gerdau. Também faz preço o projeto de lei representado pela senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) para extinguir os juros sobre capital própria.    

O benchmark da bolsa brasileira registrou perdas de 0,47%, aos 41.887 pontos após chegar a subir 0,58% na máxima do dia e cair 1,53% na mínima. O volume financeiro negociado na Bovespa neste pregão foi de R$ 4,872 bilhões. Enquanto isso, o dólar comercial recuou 0,17%, cotado a R$ 3,9485 na compra e R$ 3,9500 na venda. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 teve alta de 4 pontos-base a 14,22%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 subiu 15 pontos-base a 15,72%. No exterior, os índices nos Estados Unidos fecharam em altas de 1,29% o Dow Jones e 1,15% o S&P 500. 

A Polícia Federal realizou buscas em sedes do grupo siderúrgico Gerdau nesta quinta-feira, no âmbito da operação Zelotes, que investiga fraudes em julgamentos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). As buscas estão sendo feitas em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Pernambuco.

Além disso, fica no radar do mercado o resultado da votação ocorrida ontem no Plenário do Senado, que aprovou o projeto de lei que acaba com a participação obrigatória da Petrobras na exploração dos campos do pré-sal. O texto, que agora será votado na Câmara,  estabelece que a estatal terá a prerrogativa de escolher se quer ser operadora do campo ou se prefere se abster da exploração mínima de 30% a que a lei a obriga atualmente.

Gleisi Hoffman e os JCP
A senadora Gleisi Hoffman reapresentou projeto de lei para extinguir gradualmente o benefício fiscal para empresas por meio da distribuição de JCP (juros sobre capital próprio). O projeto de lei altera a legislação do imposto de renda das pessoas jurídicas, bem como da contribuição social sobre o lucro líquido, para extinguir, em etapas, até o exercício fiscal encerrado em dezembro de 2018, a faculdade de dedução pelas pessoas jurídicas do JCP. 

De acordo com o PL da senadora, a saída desse mecanismo se dará pela redução gradual do percentual de dedução admitido, da seguinte forma: (i) 50% da TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo), para o período de apuração encerrado em dezembro de 2017, em respeito ao princípio constitucional da anterioridade plena que rege o aumento do IRPJ; (ii) 25% da TJLP para o período de apuração encerrado em dezembro de 2018; (iii) 0%, para os períodos posteriores.

42 ações que têm muito a perder com o fim dos juros sobre capital próprio.

Resultado primário e desemprego
O governo central – Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social – registrou superávit primário de R$ 14,835 bilhões em janeiro, primeira vez no azul desde abril do ano passado por conta de receitas extraordinárias vindas do leilão de hidrelétricas.

No total, a receita líquida do governo central somou R$ 123,967 bilhões em janeiro, crescimento real de 6,3% sobre igual mês de 2015, informou o Tesouro Nacional nesta quinta-feira. No mesmo período, as despesas totais subiram 3,8%, a R$ 109,132 bilhões.

PUBLICIDADE

Além disso, a PME (Pesquisa Mensal do Emprego) divulgada hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostrou uma alta de 7,6% na taxa de desemprego em janeiro, o pior resultado para um início de ano desde 2009. A mediana das expectativas dos analistas era de um aumento de 7,5%.

Destaques de ações
Na ponta negativa, a Vale (VALE3, R$ 11,02, -5,89%; VALE5, R$ 8,15, -5,23%) pressionou o índice após divulgar seu resultado. A companhia teve um prejuízo de R$ 44,2 bilhões em 2015, revertendo o lucro de R$ 954 milhões do ano anterior. Apenas no quarto trimestre, o resultado da companhia foi negativo em R$ 33,2 bilhões, uma piora expressiva sobre o prejuízo de R$ 4,8 bilhões do mesmo período de 2014. Entre os fatores para essa piora a companhia cita os maiores “impairments” no ano passado – instrumento que adequa o ágio pago nas aquisições no exterior à realidade atual do mercado – e à depreciação de 47% do real contra o dólar.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 OIBR4 OI PN1,41-16,57-27,69
 GOAU4 GERDAU MET PN1,15-10,85-30,72
 BRAP4 BRADESPAR PN3,85-7,45-22,85
 VALE3 VALE ON11,02-5,89-15,43
 VALE5 VALE PNA8,15-5,23-20,49

 


Outra “blue chip” que apresentou seu balanço e caiu nesta quinta foi a Ambev (ABEV3, R$ 17,71, -2,59%), que teve um lucro líquido de R$ 4,35 bilhões no quarto trimestre, o que representa uma queda de 7,9% em relação ao mesmo período de 2014, quando registrou R$ 4,72 bilhões. No acumulado do ano passado, o lucro líquido da empresa ficou em R$ 13,24 bilhões, um avanço de 6,3% sobre os R$ 12,45 bilhões de 2014.

As ações da Gerdau (GGBR4, R$ 3,59, -4,77%) também foram um destaque de queda nesta sessão por conta das investigações da Lava Jato. 

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 CMIG4CEMIG PN6,00+5,08+0,48
 ENBR3ENERGIAS BR ON12,80+4,07+6,31
 RENT3LOCALIZA ON23,29+3,79-5,56
 CPFE3CPFL ENERGIAON17,02+2,96+12,12
 LAME4LOJAS AMERICPN19,85+2,53+2,51

PUBLICIDADE

 

 

A Petrobras (PETR3, R$ 6,98, -0,71%; PETR4, R$ 4,89, +0,41%), por sua vez, operou estável. Na noite de ontem o Senado aprovou o fim da obrigatoriedade da exploração das áreas do pré-sal pela estatal. “A extinção do modelo de partilha ajuda, mas não resolve o problema da companhia que tem R$ 506 bilhões de dívida e 73% desse montante em dólar e com o preço do petróleo em baixa. Seguimos céticos com o ativo”, afirma a XP Investimentos.

Também no noticiário da estatal, Tribunal de Contas da União (TCU) quer acompanhar a negociação da revisão do contrato de cessão onerosa entre a petroleira e o governo federal, firmado em 2010, nas áreas de Búzios, Entorno de Iara, Florim e Nordeste de Tupi, todas no pré-sal. O órgão de controle determinou que todas as atas das reuniões entre as partes sejam encaminhadas ao Tribunal. O acórdão é assinado pelo relator do processo, ministro José Múcio.  

Ainda no radar da companhia, agência de classificação de risco Moody’s rebaixou ontem a nota de crédito da Petrobras para “B3” ante “Ba3”. A perspectiva para o rating é negativa. Segundo a agência, o rebaixamento reflete a deterioração de liquidez da empresa, o fluxo de caixa negativo, o alto nível de endividamento, o risco de desvalorização do real e desafios operacionais no atual ambiente econômico do Brasil.

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 CódigoAtivoCot R$Var %Vol1
 PETR4PETROBRAS PN4,89+0,41346,67M
 VALE5VALE PNA8,15-5,23299,76M
 ABEV3AMBEV S/A ON17,71-2,59271,82M
 ITUB4ITAUUNIBANCOPN EDJ24,70+0,08262,16M
 BBDC4BRADESCO PN20,62-0,29218,76M
 BBSE3BBSEGURIDADEON ED23,60+0,85173,23M
 CIEL3CIELO ON30,75-0,65149,75M
 SBSP3SABESP ON22,15+2,07146,92M
 ITSA4ITAUSA PN EDJ6,71+0,75129,34M
 BBAS3BRASIL ON13,12+0,38128,13M

* – Lote de mil ações 
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)
 

Bolsas internacionais
As bolsas chinesas despencaram mais de 6% nesta quinta-feira, a maior queda diária em um mês, com os investidores realizando lucros após a recente recuperação do mercado e esperando por indicações dos líderes que estão em Xangai para o encontro do G20. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, despencou 6,14%, enquanto o índice de Xangai teve forte queda de 6,4%, sua maior perda em um único dia desde 26 de janeiro.

PUBLICIDADE

Entre os temores, está o de uma liquidez mais apertada no sistema financeiro, preocupações com o esfriamento da economia e a ansiedade com a iminente liberalização de ofertas públicas iniciais de ações, que alguns investidores temem que possa resultar em uma crise de liquidez.

No restante do continente, as ações também caíram em sua maioria, com a queda do petróleo, com o brent em queda de cerca de 1%, e o tombo das ações chinesas reacendendo a ansiedade sobre o impacto da alta volatilidade do mercado sobre a economia global na véspera da reunião do G20.

Já na Europa, as ações tiveram suas primeiras altas em três dias, ajustando-se ao avanço de ontem à tarde das ações em NY e do petróleo: o DAX subiu 1,78%, FTSE teve alta de 2,49% e o CAC 40 teve ganhos de 2,23%. Entre os dados econômicos, o PIB do Reino Unido teve crescimento de 0,5% no quarto trimestre, enquanto a Espanha teve avanço de 0,8%. 

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa