Farmacêutica

Hypera anuncia aquisição de marcas da Sanofi, como AAS e Cepacol, por US$ 190,3 milhões

Na avaliação da XP, empresa será capaz de aproveitar as sinergias de custos integrando a produção dos medicamentos da farmacêutica francesa

SÃO PAULO – A farmacêutica brasileira Hypera Pharma (HYPE3) anunciou nesta terça-feira (13) um acordo para adquirir 12 marcas de medicamentos isentos de prescrição (“OTC”) e de prescrição da francesa Sanofi no Brasil, México e Colômbia por US$ 190,3 milhões.

De acordo com fato relevante, os produtos a serem adquiridos incluem, no segmento de “consumer health” no Brasil, o analgésico AAS, o fitoterápico Naturetti e o antisséptico Cepacol, além dos medicamentos de prescrição Buclina, para estímulo do apetite, e Hidantal, indicado para tratamento de epilepsia, entre outros.

Em 2020, o Brasil representou aproximadamente 67% da receita líquida desse portfólio.

Segundo a companhia, a transação está alinhada com a estratégia de fortalecer sua presença no mercado brasileiro por meio de produtos com alto potencial de crescimento.

“Com a conclusão dessa aquisição, a Hypera Pharma incrementará sua atuação nas categorias de ‘consumer health’ e ‘produtos de prescrição’, com destaque para sistema nervoso central e gastrointestinal”, escreveu a Hypera.

Ainda de acordo com o comunicado, a Hypera e a Sanofi assinarão acordo de fabricação e fornecimento, por meio do qual a Sanofi continuará a fornecer produtos à companhia pelo período de até três anos. A transação também está sujeita a certas condições precedentes, entre elas a aprovação pelas autoridades antitrustes competentes.

Na avaliação da XP, a aquisição de marcas da Sanofi pela Hypera foi um “movimento ousado” no mercado de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês).

Em comentário divulgado nesta terça, os analistas da XP escrevem que o portfólio da Sanofi teve vendas de R$ 250 milhões em 2020 e, portanto, o valuation implícito de valor da empresa sobre vendas (EV/Vendas) é de cerca de 4,0 vezes, em comparação com o EV/Vendas  de 2020 da Hypera de 6,5 vezes.

“Além das marcas, acreditamos que a companhia será capaz de aproveitar as sinergias de custos integrando a produção dos medicamentos da Sanofi, bem como as sinergias fiscais dos benefícios que a Hypera tem em Goiás”, escreve o time de análise.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eles destacam ainda que a Hypera será capaz de diluir mais suas despesas operacionais, pois está apenas adicionando as marcas e produtos ao seu portfólio, tornando a transação altamente atrativa também na perspectiva de Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês).

A XP reitera a recomendação de compra para os papéis HYPE3, com preço-alvo de R$ 48 por ação – o que implica potencial de alta de 40% ante o fechamento do último pregão.

Já o Credit Suisse destaca em breve nota que as marcas adquiridas devem se beneficiar dos recursos comerciais da Hypera.

Quer trabalhar como assessor de investimentos? Entre no setor que paga as melhores remunerações de 2021. Inscreva-se no curso gratuito “Carreira no Mercado Financeiro”.