Radar InfoMoney

Gol tem até hoje para pagar dívida de US$ 300 mi com Delta; Klabin tem recomendação elevada, balanços e mais destaques

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta segunda-feira (31)

Aeronave da Gol parada em aeroporto
(Shutterstock)

No noticiário corporativo, destaque para os resultados do segundo trimestre das Lojas Renner e da IMC. Ambos serão divulgados hoje após o fechamento do mercado.

Começam hoje as negociações das novas ações do Banco Pan, após oferta secundária (follow on) realizada pelo banco. A operação levantou R$ 734 milhões, recursos que irão para o acionista vendedor, a Caixa.

O mercado acompanha o caso da Gol, que tem até hoje para pagar um empréstimo de US$ 300 milhões garantidos pela ex-sócia Delta Air Lines. Também devem repercutir hoje os resultados divulgados na sexta-feira pelo IRB e pela EDP Energias do Brasil, assim como a aquisição anunciada pela Arco.

PUBLICIDADE

Serão precificadas hoje as ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) da Pague Menos e da incorporadora Lavvi.

Confira os destaques:

IRB (IRBR3)

O mercado reagirá hoje aos dados trimestrais do IRB, que divulgou na sexta-feira o resultado do segundo trimestre. A companhia teve um prejuízo de R$ 685,1 milhões no período, ante um lucro líquido de R$ 397,5 milhões um ano antes.

Segundo a empresa, o prejuízo é explicado por despesas com sinistros maiores que as normais e efeito de desvalorização cambial. Os prêmios emitidos somaram R$ 2.543,6 bilhões, o que representa um avanço ante o resultado de R$ 2,355 bilhões um ano antes.

O Credit Suisse esperava um lucro de R$ 118 milhões para a empresa, e destacou o índice de sinistralidade total de 135%, bem acima do esperado. Segundo o banco, o mercado deve reagir ao resultado de forma negativa devido à perspectiva de menor lucratividade.

No primeiro trimestre, o índice de sinistralidade era de 76%; no segundo trimestre de 2019, era de 58%. “Segundo a empresa, a direção agora está no processo de revisar contratos não lucrativos, o que pode afetar o crescimento do prêmio e a sinistralidade no curto prazo, mas também pode melhorar a lucratividade no longo prazo.”

PUBLICIDADE

A companhia realiza teleconferência sobre os resultados hoje, às 11h30. Confira mais sobre o resultado clicando aqui. 

EDP (ENBR3)

Outro resultado que repercutirá hoje é o da EDP Energias do Brasil. A empresa reportou lucro líquido de R$ 237,2 milhões no segundo trimestre, alta de 25,5% sobre o resultado do mesmo período de 2019. O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) avançou 5,5% para R$ 586,4 milhões.

A receita líquida consolidada somou R$ 2,6 bilhões, queda de 2,8%. De acordo com o Credit Suisse, o resultado foi fraco, mas isso já era esperado em função dos efeitos da Covid-19. No entanto, o banco destacou que estes efeitos foram parcialmente compensados pelo eficiente controle de custos.

A empresa anunciou ainda um programa de recompras de até 4,1% das ações, num montante de 24,8 milhões de ações. A política de dividendos também foi alterada, prevendo a distribuição de 25% do lucro líquido reportado, 50% do lucro ajustado, ou R$ 1 por ação. A empresa se comprometeu a manter a Dívida Líquida/EBITDA Ajustado entre 2,5 vezes e 3 vezes, com o limite mínimo de 2 vezes.

Já o Itaú BBA avaliou o resultado como positivo, e disse esperar uma reação favorável do mercado neste pregão, em função do anúncio de recompra e da nova política de dividendos. Segundo o banco, o Ebitda ajustado de R$ 526 milhões veio em linha com a sua estimativa, enquanto o lucro líquido ajustado superou as expectativas.

Renova Energia (RNEW11)

A Renova Energia, em recuperação judicial, teve prejuízo líquido de R$ 51,4 milhões no segundo trimestre de 2020, 88% menor frente à perda de R$ 426,5 milhões registrada no mesmo período de 2019.

Segundo a companhia, a redução do prejuízo foi causada pela queda nos custos, pela revisão de provisão de despesas administrativas e pelo aumento do resultado de equivalência patrimonial. Além disso, a empresa destacou que houve um impairment (ajuste contábil) no ano anterior, que impactou negativamente os resultados.

O Ebtida somou R$ 37,2 milhões (positivo), ante um Ebitda negativo de R$ 334,25 milhões no mesmo intervalo de 2019. A receita operacional líquida foi de R$ 11,2 milhões, queda de 28% na comparação anual.

Gol (GOLL4)

PUBLICIDADE

O mercado acompanha o caso da Gol, que tem até hoje para pagar um empréstimo de US$ 300 milhões garantidos pela ex-sócia Delta Air Lines, segundo a Reuters. Se a Gol não pagar, a Delta teria que honrar a dívida em nome da empresa.

Segundo a agência de notícias, as agências de rating dizem ser “provável” que a Gol não pague a dívida.

Mas, assim como a Gol, a operadora com sede em Atlanta, que disse em julho estar queimando US$ 27 milhões por dia nos EUA, tem pouco dinheiro para gastar devido à pandemia do coronavírus.

B3 (B3SA3)

A B3 vai pagar R$ 140 milhões para encerrar o caso com a Spread Corretora. O acordo encerra litígio com a massa falida da Spread Corretora, segundo comunicado da B3.

O risco de perda era classificado como provável, e montante provisionado era de R$ 379 milhões em junho. O principal objeto da reclamação, por parte da Spread, estava relacionado a direito relacionados a títulos patrimoniais da BM&F, correspondentes, atualmente, a 4,9 milhões de ações da B3.

Arco Educação (ARCO)

A Arco anunciou a compra de 100% da Escola da Inteligência. Primeiro, a empresa vai comprar 60% da companhia por R$ 288 milhões. Os outros 40% serão pagos somente no segundo trimestre de 2023. O negócio está sujeito à aprovação do Cade. A Arco espera concluir a transação até o final do ano.

Para o Credit Suisse, a notícia é positiva. O preço pago implica um múltiplo de EV/ACV (Valor de mercado/ valor de contrato anual) de 6 vezes e um EV/Ebitda de 12,5 vezes. Segundo o banco, a Arco deve continuar a entregar resultados fortes nos próximos anos. “Embora a compra eleve a alavancagem para 3,5 vezes, isso não é uma preocupação devido à forte posição de caixa e fluxo de caixa sólido.” A recomendação para Arco foi mantida em outperform (desempenho acima da média do mercado).

Já o Itaú BBA destacou a compatibilidade estratégica das duas operações. Segundo o banco, o modelo de negócios e receitas da Escola da Inteligência é similar ao da Arco. O Morgan Stanley avaliou o negócio como atrativo, e destacou que a empresa está usando novas tecnologias e processamento de dados para melhorar os resultados acadêmicos.

Aço

PUBLICIDADE

O governo dos Estados Unidos decidiu reduzir a cota de importações de aço semi-acabado brasileiro. A medida altera um limite estipulado em 2018, mas a nova cota ainda não foi detalhada. Segundo o Morgan Stanley, a empresa que tem uma exposição relevante a esta cota é a Ternium, que tem um contrato com a Calvert para entregar. Mesmo assim, o banco destacou que o efeito sobre a Ternium será limitado.

O Credit Suisse destacou que as siderúrgicas exportam menos de 5% do volume total para os Estados Unido. Além disso, o banco destacou que o estímulo é temporário e que as principais exportadoras locais são Arcelor Mittal e CSA.

Klabin (KLBN11)

O Itaú BBA elevou a recomendação de Klabin para Outperform. Segundo o banco, o potencial de alta vem do projeto Puma II, que deve começar em meados de 2021 e tem potencial para gerar um Ebtida adicional de R$ 1,5 bilhão a R$ 2 bilhões (quando chegar a plena capacidade, em 2025).

O preço-alvo para a companhia em 2021 foi estipulado em R$ 31. Para 2020, o preço-alvo é de 23. Segundo relatório, o Puma II pode destravar um valor de R$ 4,4 bilhões para a companhia.

Light (LIGT3)

O Bradesco BBI atualizou suas estimativas para a Light, com preço-alvo de R$ 18 por ação em 2021. Para 2020, o preço-alvo é de R$ 13. O banco manteve rating neutro.

Em relatório, o BBI afirmou que a empresa teve melhorias operacionais recentemente, com cortes de custos, enquanto a demanda tem se recuperado no Brasil. Em sua visão, os riscos relativos à pandemia estão praticamente concluídos.

CCR (CCRO3)

A CCR divulgou dados sobre o tráfego nas rodovias sob sua administração na semana de 21 a 27 de agosto. Houve uma queda de 0,5% na comparação com a mesma semana de 2019. Desconsiderando a ViaSul, a queda foi de 6%. Já no acumulado do ano, o tráfego total recua 5,9%.

Sabesp (SBSP3)

A Sabesp informou na sexta-feira que fará um resgate antecipado aos detentores de títulos com vencimento em 2020, chamados 6,250% Notes due 2020. O resgate será no montante de US$ 350 milhões, equivalente ao valor total do das Notas existentes. Segundo a empresa, o resgate está em linha com a sua estratégia de redução da exposição cambial. A liquidação financeira do resgate ocorrerá em 30 de setembro de 2020.

Le Biscuit

Mais uma empresa pediu registro para uma oferta inicial de ações. A rede de lojas de departamento Le Biscuit, sediada na Bahia, pretende fazer uma operação que será coordenada pelos bancos Bank of America, XP, Itaú BBA, Santander e Citi.

De acordo com a Reuters, o grupo de investimentos Vinci Partners vai vender uma fatia no negócio, junto com cerca de outros 15 investidores pessoa física. A empresa também emitirá novas ações, com o objetivo de pré-pagar dívidas, reformar e expandir lojas, investir em TI, logística e reforçar o capital de giro.

Regra dos 10 tiros: aprenda a fazer operações simples que podem multiplicar por até 10 vezes o capital investido. Inscreva-se!