Gás natural: consumidores de SP poderão pagar até 4% mais caro em 2008

Elevação deve acontecer em razão do aumento anunciado pela estatal boliviana YPFB e a brasileira Petrobras

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A estatal boliviana YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos) anunciou na última segunda-feira (1) um reajuste de 7,9% no gás importado pela Petrobras. A estatal brasileira, por sua vez, afirmou que aumentará em 9% o preço cobrado aos distribuidores do combustível da Bolívia.

De acordo com o diretor e vice-presidente do mercado de grandes consumidores de GNV e suprimento de gás da Comgás, Sérgio Luiz da Silva, o repasse às distribuidoras contribuirá para que o valor do produto para o consumidor final também sofra elevação, que pode chegar a aproximadamente 4%.

“Haverá repasse ao consumidor sim, mas não agora. A Comgás tem contrato de aquisição de gás da Petrobras até 2019 e nesse contrato está previsto que a estatal faça reajustes trimestrais, mas a distribuidora só pode aumentar o valor do produto aos clientes uma vez por ano, sempre em maio”, explica.

Aumento

Apesar de afirmar que haverá aumento, o montante de elevação ainda é indefinido. “Eu acredito em algo em torno de 3% a 4%, mas é impossível ser preciso, porque esse aumento não depende apenas do aumento do repasse da Petrobras”.

Silva explica que a revisão tarifária anual depende do valor do IGP-M no ano, do Índice de Eficiência, da taxa de câmbio da cesta de óleos.

A Comgás é hoje a maior distribuidora de gás natural canalizado do país. Conta com mais de 5 mil quilômetros de rede e fornece gás natural para mais de 550 mil consumidores nos segmentos residencial, comercial e industrial, em 64 cidades. Sua área de concessão abriga 177 municípios das regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas, além da Baixada Santista e do Vale do Paraíba.

Gás boliviano

O aumento de 7,9% tem como base a alta do preço do barril de petróleo cotado em aproximadamente US$ 80. O Brasil passará a pagar US$ 4,50 por milhão de BTU – medida calorífica do gás – que antes do reajuste custava US$ 4,17.

O contrato da YPFB com a Petrobras prevê uma nova elevação nos preços em janeiro de 2008.

Compartilhe