5 assuntos

Futuros dos EUA sobem, Hang Seng avança 3% com techs; falas de Powell e Lagarde e mais assuntos do mercado hoje

Por aqui, atenção para a repercussão da reta final da temporada de balanços e também para as falas do BC sobre o patamar da Selic

Por  Equipe InfoMoney -

Os índices futuros de Nova York operam em alta na manhã desta terça-feira (17) após uma sessão volátil na segunda, mas com o S&P 500 e o Nasdaq Composite fechando mais uma vez no vermelho.

Já nesta data, as bolsas asiáticas fecharam no campo positivo, com destaque para alta de mais de 3% do índice Hang Seng de Hong Kong, impulsionado pelas ações de tecnologia. O pregão no continente também foi impulsionado por notícias positivas sobre a contenção da Covid da China. A terça-feira marcou o terceiro dia consecutivo em que Xangai – importante centro econômico do país que foi atingido por um rigoroso bloqueio de Covid – não registrou uma infecção por vírus fora das zonas de quarentena da cidade.

A agenda externa está movimentada com discursos de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu, (13h30) e de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (15h). Ainda nos Estados Unidos, vários “Fed boys” também falam hoje, incluindo James Bullard (de Saint Louis) e Loretta Mester (Cleveland), que diminuíram o tom e passaram a defender aumentos de 50 pontos-base para o juro, descartando, por ora, um aperto mais agressivo.

Entre os dados econômicos, as vendas no varejo e a produção industrial medem o pulso da economia norte-americana.

As preocupações com a inflação têm sido um vento contrário para as ações, com alguns investidores preocupados que a economia entre em recessão caso haja um avanço nos juros que limite o crescimento.

No Brasil, atenção para os dado do IGP-10 e com a sequência da repercussão das falas do Banco Central. Na véspera, o diretor de política monetária do Banco Central, Bruno Serra, disse preferir um cenário de taxa de juros Selic parada num patamar alto por mais tempo para atingir a meta de inflação, mas que nem sempre isso é possível, em meio a especulações sobre os próximos movimentos do BC no combate à inflação.

Confira mais destaques:

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam em alta nesta terça-feira, após S&P e Nasdaq começarem a semana no vermelho. O desempenho ocorre em meio à expectativa pelos dados de varejo e com os investidores buscando recuperação após semanas de fortes perdas.

Enquanto a maior parte da temporada de balanços já passou, várias empresas do setor varejista divulgam seus resultados, incluindo Walmart, Home Depot e JD.com.

Ainda no noticiário de empresas, Elon Musk declarou que não prosseguirá com sua aquisição de US$ 44 bilhões do Twitter Inc., a menos que a gigante da mídia social possa provar que os bots (robôs) representam menos de 5% de seus usuários, lançando ainda mais incertezas sobre o acordo. O bilionário twittou “este acordo não pode avançar” a menos que o Twitter forneça provas de suas alegações, reiterando sua própria opinião de que a proporção de bots é muito maior.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), +1,11%
  • S&P 500 Futuro (EUA), +1,54%
  • Nasdaq Futuro (EUA), +2,13%

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam com ganhos nesta terça-feira, com o índice de Hong Kong liderando os ganhos regionalmente, puxadas pelo salto das ações de tecnologia chinesas. A Tencent subiu 5,26%, enquanto o Alibaba subiu 7,03% e o Meituan ganhou 6,24%.

O pregão no continente também foi impulsionado por notícias positivas sobre a contenção da Covid da China. A terça-feira marcou o terceiro dia consecutivo em que Xangai – importante centro econômico do país que foi atingido por um rigoroso bloqueio de Covid – não registrou uma infecção por vírus fora das zonas de quarentena da cidade.

  • Shanghai SE (China), +0,65%
  • Nikkei (Japão), +0,42%
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +3,27%
  • Kospi (Coreia do Sul), +0,92%

Europa

Os mercados europeus sobem com investidores tentando aproveitar algum momento positivo visto no início da nova semana de negociações.

Contudo, a guerra na Ucrânia continua sendo um foco importante para o sentimento do mercado na Europa, com combates no leste e sudeste do país.

Com a Finlândia e a Suécia anunciando suas propostas para se juntar à aliança militar ocidental OTAN, todos os olhos estão voltados para a Rússia e como ela pode reagir. Moscou já expressou indignação com a ideia de sua antiga inimiga OTAN se expandir, e o presidente russo, Vladimir Putin , disse na segunda-feira que a expansão da OTAN “é um problema”. Embora a Rússia tenha prometido medidas de retaliação, não se sabe como agirá.

  • FTSE 100 (Reino Unido), +0,61%
  • DAX (Alemanha), +1,43%
  • CAC 40 (França), +1,54%
  • FTSE MIB (Itália), +1,58%

Commodities

As cotações do petróleo avançam nesta segunda-feira com otimismo de que a China verá uma recuperação significativa da demanda após sinais positivos de que a pandemia de coronavírus está recuando nas áreas mais atingidas.

Xangai pretende reabrir amplamente e permitir que a vida normal dos 25 milhões de habitantes da cidade seja retomada a partir de 1º de junho, disse uma autoridade da cidade na segunda-feira, depois de declarar que 15 de seus 16 distritos eliminaram casos fora das áreas de quarentena.

  • Petróleo WTI, +0,21%, a US$ 114,44 o barril
  • Petróleo Brent, +0,32%, a US$ 114,60 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,91%, a 829,00 iuanes, o equivalente a US$ 122,87

Bitcoin

  • Bitcoin, +3,80% a US$ 30.666,36 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

Entre os indicadores de atividade econômica são esperados nos Estados Unidos: as vendas do varejo e a produção industrial de abril. Para o varejo, o consenso Refinitiv aponta para uma alta de 0,9% na comparação com março. Já para a produção industrial é esperada variação mensal positiva de 0,4%, desacelerando o ritmo em relação à março (quando a atividade avançou 0,9%).

Brasil

8h00: IGP-10 mensal

EUA

9h30: Vendas no varejo de abril, consenso Refinitiv aponta alta de 0,8% em relação ao mês anterior

10h15: Produção industrial de abril, consenso Refinitiv é de alta de 0,4% em relação ao mês anterior

11h: Estoques empresariais de março, consenso Refinitiv projeta alta de 1,9% na comparaçaõ com o mês anterior

15h: Discurso do presidente do Fed, Jerome Powell

17:30: Variação de estoques de petróleo semanal – API

Japão

20h50: PIB trimestral

3. Petrobras segue em foco

O presidente Jair Bolsonaro voltou nesta segunda-feira (16) a criticar a Petrobras pelas sucessivas altas nos preços dos combustíveis e disse que lamenta o atual preço do diesel.

O mandatário reclamou que a Petrobras busca o lucro máximo, “em vez fazer como as petrolíferas do mundo todo tiveram , reduziram suas margens de lucro”, disse.

“Nada contra a empresa ter lucro, tem que ter lucro. De outro lado, a gente sabe que não dá certo, e vê-se obrigado a mexer nas peças do tabuleiro”, acrescentou o presidente. “A gente lamenta o preço do diesel altíssimo”, afirmou.

Guedes classifica encargos como “bomba de destruição em massa de empregos”

O ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou os encargos trabalhistas como “bomba de destruição em massa de empregos”. Em discurso na 36ª Edição da Apas Show, evento com empresários do setor de alimentos, ele voltou a prometer “atacar esse problema”.

“Temos que remover a bomba de destruição em massa de empregos, que são os encargos trabalhistas, vamos ter que atacar esse problema também”, declarou Guedes, que reiterou sua defesa em torno da política econômica do governo.

4. Covid

Na última segunda-feira (16), o Brasil registrou 89 mortes e 14.873 casos de covid-19 em 24h, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h.

A média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 115, recuo de 2% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 18.329, o que representa alta de 23% em relação ao patamar de 14 dias antes.

Chegou a 165.135.241 o número de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 76,87% da população.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 177.708.742 pessoas, o que representa 82,72% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 89.426.499 pessoas, ou 41,63% da população.

5. Radar Corporativo

EDP (ENBR3)

A EDP procederá a partir de 27 de maio de 2022, ao pagamento de dividendos no valor total bruto de R$ 1,258 bilhão, sendo: R$ 454,8 milhões, como juros sobre capital próprio, equivalente a R$ 0,7892318369 para  cada  ação  ordinária, a serem pagos sem ajuste aos acionistas titulares de ações ordinárias da companhia na data-base de 04 de janeiro de 2022;e R$ 803,1 milhões, equivalente a R$ 1,404434994 para cada ação ordinária. Os dividendos a serem pagos sem ajuste aos acionistas titulares de ações ordinárias da companhia na data-base de 05 de abril de 2022.

Vale (VALE3)

A Vale concluiu o programa de recompra de ações ordinárias de sua emissão iniciado em  outubro de 2021, com 200 milhões de ações recompradas, ao preço médio de US$  17,56 por ação, perfazendo US$ 3,513 bilhões.

A Vale também iniciou  as  recompras  no  âmbito  do  novo  programa,  que  está  limitado  a aquisição de no máximo 500 milhões de ações ordinárias da Vale e seus respectivos  ADRs. O novo programa será implementado ao longo dos próximos 18 meses, contados da data da deliberação do CA, que ocorreu em 27 de abril de 2022.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A Eletrobras (ELET3;ELET6) registrou lucro líquido de R$ 2,716 bilhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), desempenho 69% superior ao registrado no mesmo trimestre de 2021.

O resultado do 1T22 foi impactado, positivamente, pelo desempenho financeiro da companhia, com destaque para o efeito positivo da variação cambial e aumento de 12% da receita bruta.

Magazine Luiza (MGLU3)

A varejista Magazine Luiza (MGLU3) registrou prejuízo líquido de R$ 161,3 milhões no balanço do primeiro trimestre, revertendo lucro de R$ 258,6 milhões de um ano antes.

Em termos ajustado, a Magalu teve prejuízo de 98,8 milhões, revertendo lucro de R$ 81,5 milhões do primeiro trimestre de 2021.

Itaúsa (ITSA4)

A holding Itaúsa (ITSA4) anunciou ter registrado um lucro líquido recorrente de R$ 3,836 bilhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), alta de 59,1% na comparação com igual período do ano passado (1T21).

IRB (IRBR3)

O IRB (IRBR3) registrou lucro líquido de R$ 80,5 milhões no balanço do primeiro trimestre deste ano, ampliando o lucro em 58,4% na comparação anual.

(Com Estadão, Reuters e Agência Brasil)

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe