Elétrica

Eletrobras (ELET3;ELET6) lucra R$ 2,716 bi no 1º trimestre, alta de 69% na base anual

O resultado foi impulsionado pelo desempenho financeiro, com destaque para o efeito da variação cambial e aumento de 12% da receita bruta.

Por  Equipe InfoMoney -

O lucro líquido da Eletrobras (ELET3;ELET6) chegou a R$ 2,716 bilhões nos três primeiros meses do ano, uma alta de 69% na comparação com o mesmo período de 2021.

O resultado do 1T22 foi impulsionado pelo desempenho financeiro da companhia, com destaque para o efeito positivo da variação cambial e aumento de 12% da receita bruta.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) IFRS caiu 2,7% no 1T22, totalizando R$ 3,752 bilhões.

A margem Ebitda atingiu 41% no primeiro trimestre de 2022, um recuo de 6,1 p.p. na comparação ano a ano.

A receita líquida somou R$ 9,181 bilhões entre janeiro e março deste ano, alta de 12% na comparação com igual etapa de 2021, influenciada pela melhor performance nos contratos bilaterais e pelo reajuste das receitas de transmissão.

O resultado financeiro líquido foi positivo em R$ 478,1 milhões no primeiro trimestre de 2022, revertendo perdas financeiras de R$ 583,7 milhões na mesma etapa de 2021.

O lucro bruto atingiu a cifra de R$ 5,486 milhões no primeiro trimestre de 2022, ante lucro bruto de R$ 5,269 bilhões da mesma etapa de 2021.

As despesas gerais e administrativas somaram R$ 3,052 bilhões no 1T22, contra R$ 2,299 bilhões do mesmo período de 2021.

Mais sobre balanço Eletrobras

O destaque negativo foi o registro de R$ 1,226 bilhão em Provisões para Crédito de Liquidação Duvidosa, decorrente da inadimplência da Amazonas Energia D, sendo R$ 867 milhões referentes à compra de energia elétrica provenientes dos produtores independentes de energia (PIE) localizados no Amazonas e R$ 359 milhões referente a contratos de empréstimo devidos pela referida distribuidora.

A Eletrobras investiu R$ 523 milhões no primeiro trimestre deste ano, um aumento de 1% na comparação com igual etapa de 2021.

A dívida líquida recorrente da companhia ficou em R$ 20,554 bilhões no final de março de 2022, mantendo-se praticamente estável em relação ao mesmo período de 2021.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 1 vez em março/22, queda de 0,9 vez em relação ao mesmo período de 2021.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe