Fundador da FTX se declara inocente de acusações de fraude e conspiração

Indiciado no mês passado por oito acusações, já era esperado que Sam Bankman-Fried declarasse inocência

CoinDesk

O fundador da FTX, Sam Bankman-Fried, deixa o tribunal federal em Nova York após audiência em 22 de dezembro (Michael M. Santiago/Getty Images)

Publicidade

O fundador da FTX, Sam Bankman-Fried, se declarou “inocente” de oito acusações em um tribunal federal dos Estados Unidos nesta terça-feira (3), incluindo fraude eletrônica e alegações de financiamento de campanha.

O ex-CEO da agora falida exchange de criptomoedas fez sua segunda aparição em um tribunal de Nova York hoje.

A primeira aparição de Bankman-Fried na semana passada resultou em sua libertação sob fiança pessoal e, pouco depois, em um voo de volta para a casa de seus pais na Califórnia. Sua declaração de inocência hoje era esperada, segundo havia informado o Wall Street Journal.

Continua depois da publicidade

O juiz Lewis Kaplan, o juiz presidente do caso, também estabeleceu uma data prevista para o início do julgamento em 2 de outubro, podendo sofrer alterações, de acordo com a Inner City Press.

A procuradora-assistente dos EUA, Danielle Sassoon, disse ao tribunal que a promotoria esperava que a maior parte de sua investigação fosse concluída nas próximas semanas. O governo produzirá materiais nas próximas semanas, disse ela. Isso inclui documentos compartilhados pelos advogados de falências da FTX.

Em nome do governo, Sassoon pediu ao tribunal que modificasse as condições da fiança de Bankman-Fried, solicitando que ele fosse proibido de acessar ou transferir quaisquer ativos vinculados à FTX ou suas entidades afiliadas.

Continua depois da publicidade

Ela fez referência à descoberta da semana passada de que várias carteiras da Alameda começaram a mover milhares de dólares em criptomoedas para outras carteiras. “Esse dinheiro agora está inacessível para fins de apreensão do governo”, disse Sassoon.

Enquanto a defesa argumentou que Bankman-Fried não estava envolvido nessas transações e, de fato, estava cooperando com a acusação – o que Sassoon reconheceu – o juiz decidiu que ele não deveria ser capaz de acessar ou transferir quaisquer fundos relacionados à FTX ou Alameda.

Sassoon também disse que, embora Bankman-Fried tenha tuitado que não estava envolvido nessas transações, ele já havia “tuitado declarações falsas” antes.

Continua depois da publicidade

Bankman-Fried foi preso no mês passado nas Bahamas após um pedido dos promotores federais, que revelaram oito acusações diferentes contra ele no dia seguinte.

Os promotores alegaram que Bankman-Fried “apropriou-se indevidamente” de depósitos de clientes, usando os fundos deles para pagar as despesas e dívidas da empresa irmã da FTX, Alameda Research, e mentiu sobre a saúde financeira da FTX no processo.

A declaração de hoje, que Bankman-Fried pode mudar, pelo menos por enquanto estabelece um futuro julgamento em tribunal, onde os promotores explicarão como eles acreditam que ele violou as leis federais ao fraudar seus clientes, investidores e credores, bem como acusações relacionadas ao financiamento de campanha.

Continua depois da publicidade

O juiz Kaplan também concedeu o pedido de Bankman-Fried para não revelar os nomes dos co-signatários adicionais, além de seus pais, em sua fiança de $ 250 milhões. Seus advogados argumentaram que havia preocupações de segurança e privacidade ao revelar os nomes dessas pessoas.

Tópicos relacionados

CoinDesk

CoinDesk é a plataforma de conteúdos e informações sobre criptomoedas mais influente do mundo, e agora parceira exclusiva do InfoMoney no Brasil: twitter.com/CoinDeskBrasil