Briga judicial

Fintech processa exchange Gemini por roubo de US$ 37 milhões em criptomoedas

Empresa alega que os protocolos de segurança da corretora são falhos e facilitaram o ataque

Por  CoinDesk -

O IRA Financial Trust, provedor de contas de aposentadoria cripto que em fevereiro perdeu US$ 37 milhões em um roubo, processou a exchange Gemini, seu custodiante e parceiro comercial. A fintech alega que os protocolos de segurança supostamente falhos da corretora levaram à drenagem das contas de seus clientes.

Em uma ação civil movida na segunda-feira (6) em um tribunal distrital federal, a empresa com sede na Dakota do Sul, nos Estados Unidos, apontou o dedo diretamente para a Gemini por um hack que deixou dezenas de aposentados transtornados.

Alguns clientes disseram anteriormente ao CoinDesk que escolheram o IRA Financial em grande parte por causa de sua associação com a exchange de criptomoedas dos gêmeos Winklevoss.

No processo, o IRA Financial disse que a Gemini falhou em proteger os ativos de seus clientes, alegando que uma série de medidas de segurança falharam quando os ladrões exploraram a “chave mestra” do provedor em 8 de fevereiro.

“O IRA aprendeu desde então – da maneira mais difícil, como explicado abaixo – que quem possui a chave mestra pode ignorar todas as supostas proteções de segurança”, diz a queixa. “A Gemini nunca informou o IRA sobre o poder dessa chave mestra”.

  • Assista: Você sabe o que é tokenização? Entenda a tecnologia por trás das criptoações

“Rejeitamos as alegações no processo”, falou um porta-voz da exchange ao ConDesk. “Nossos padrões de segurança estão entre os mais altos do setor e os atualizamos constantemente para garantir que nossos clientes estejam sempre protegidos. Sobre o caso, assim que o IRA Financial nos notificou sobre seu incidente de segurança, agimos rapidamente para mitigar a perda de fundos de suas contas.”

Detalhes do roubo

O processo lança pouca luz sobre como os ladrões conseguiram a chave mestra, mas corrobora uma reportagem do CoinDesk de fevereiro que mostrou que uma equipe da SWAT desceu à sede do IRA Finanical no dia do hack.

“A polícia mais tarde informou ao IRA que acreditava que a visita era uma manobra para distrair os funcionários do provedor”, diz o processo.

No hack os ladrões drenarem as contas dos clientes do IRA Financial, uma a uma. Esse furto fragmentado ocorreu em 8 de fevereiro, e durou duas horas. Naquele dia, o provedor alegou que tentou e não conseguiu fazer com que a Gemini congelasse todas as contas. Milhões de dólares foram roubados nesse intervalo, afirmou o IRA Financial.

O processo do IRA Financial adiciona outra dor de cabeça aos problemas crescentes da Gemini. Além disso, os clientes também podem partir para a briga contra a exchange; quando o CoinDesk fez contato pela última vez com um grupo de vítimas do hack em fevereiro, eles estavam procurando advogados na tentativa de recuperar seu dinheiro.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe