Fraude

Ex-funcionário da Coinbase preso por insider trading se declara inocente, diz Reuters

Ishan Wahi, seu irmão e outro comparsa são acusados de ganhar US$ 1,5 milhão compartilhando informações privilegiadas

Por  CoinDesk -

O ex-gerente de produtos da exchange Coinbase, Ishan Wahi, se declarou inocente das acusações de insider trading. A informação foi publicada pela agência de notícias Reuters nesta quarta-feira (3).

Wahi é acusado de compartilhar com seu irmão Nikhil Wahi e uma terceira pessoa chamada Sameer Ramani informações antecipadas sobre listagens de criptoativos antes de eles terem negociações abertas.

A Securities and Exchange Commission (SEC, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA) também apresentou acusações contra os três.

Ishan Wahi supostamente compartilhou informações sobre pelo menos 14 listagens de tokens diferentes na exchange de criptomoedas.

Os réus faturaram até US$ 1,5 milhão com o esquema, de acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ). A SEC, por outro lado, coloca o valor mais próximo de US$ 1,1 milhão.

Esse é o segundo caso de insider trading envolvendo criptomoedas analisado pelas autoridades dos EUA.

O episódio também chamou atenção porque a SEC disse que nove dos 14 tokens citados são valores mobiliários, mas não acusou os emissores ou a Coinbase por listá-los.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe