Aviação

Embraer (EMBR3) reverte prejuízo e registra lucro líquido ajustado de R$ 327,2 milhões no quarto trimestre

Com melhora de cenário com arrefecimento da pandemia, companhia conseguiu ainda reverter prejuízo operacional

Por  Vitor Azevedo, Felipe Moreira -

A Embraer (EMBR3) lucrou de forma líquida e ajustada – ignorando efeitos não recorrentes – um total de R$ 327,2 milhões no quarto trimestre de 2021, revertendo prejuízo de R$ 70,3 milhões no quarto trimestre de 2020. Ao levar em conta, porém, o resultado não ajustado, a companhia trouxe um lucro de R$ 11,1 milhões, número também melhor do que o déficit de R$ 7,7 milhões do mesmo período de 2020.

A receita líquida da Embraer entre outubro e dezembro foi de R$ 7,824 bilhões e de R$ 22,6 bilhões em todo o ano. No quarto trimestre de 2020 a receita foi de R$ 9,812 bilhões e, neste ano inteiro, de R$ 19,64 bilhões.

Da receita do último quarto trimestre, a aviação comercial ficou responsável por R$ 2,3 bilhões, a executiva por R$ 2,5 bilhões e o setor de defesa e segurança por R$ 639 milhões. Serviços e suporte somaram R$ 1,7 bilhão. Todos os setores registraram crescimento de receita em 2021.

A Embraer entregou 55 jatos no quarto trimestre, dos quais sendo 16 aeronaves comerciais e 39 jatos executivos. Em 2021, a companhia entregou um total de 141 jatos, sendo 48 aeronaves comerciais e 93 jatos executivos. A carteira de pedidos encerrou dezembro em US$ 17,0 bilhões, seu maior nível desde o junho de 2018.

A companhia destaca ainda que sua margem bruta, com a porcentagem do lucro bruto em relação ao faturamento total, descontando os gastos com os produtos vendidos, saiu de 12,1% no quarto trimestre de 2020 para 15% em 2021. No ano, a margem bruta foi de 15,6% versus 12,3% nos 12 meses imediatamente anteriores.

A Embraer registrou no último quarto trimestre um lucro antes de juros e imposto de renda (Ebit, na sigla em inglês) ajustado de R$ 891,1 milhões, com uma margem de 3,9% – ante prejuízo operacional de R$ 523,7 milhões no mesmo período de 202 e uma margem negativa de 2,7%.

“O Ebit ajustado no quarto trimestre foi impactado pela despesa de R$ 49,9 milhões decorrente do programa OneEmbraer, que visa a reintegração do negócio de Aviação Comercial e seus serviços relacionados, em conexão com a parceria estratégica, agora encerrada, com a Boeing”, explicou a companhia no documento publicado na noite desta quarta-feira (9).

No ano, a companhia ainda registrou uma série de outros efeitos não recorrentes – o prejuízo líquido ajustado em 2021 foi de R$ 162,6 milhões enquanto o resultado líquido foi de R$ 274,8 milhões. Entre os “itens especiais”, destaque para o ganho de R$ 318,6 milhões de reversão de impairment da aviação executiva e para o gasto de R$ 254,8 milhões em impairment de ativos mantidos para venda.

A Embraer encerrou dezembro com uma posição de dívida líquida de R$ 7,7 bilhões, em comparação aos R$ 9,8 bilhões ao final do terceiro trimestre e aos R$ 8,8 bilhões em dezembro de 2020. “Essa queda da dívida líquida foi resultado da geração significativa de fluxo de caixa livre no trimestre”, comentam. O fluxo de caixa livre foi de R$ 1,6 bilhão.

Em 2022, Embraer espera avançar em entregas

A Embraer espera entregar entre 60 a 70 aeronaves comerciais neste ano e estima entregar de 100 a 110 entregas no segmento de aviação executiva.

Para receita líquida, a fabricante de jatos projeta entre US$ 4,5 a US$ 5 bilhões, com a margem Ebitda ficando entre 8% e 9%. O fluxo de caixa livre projetado é de R$ 50 milhões para o período.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe