Construção civil

Em dia negativo, imobiliárias se mantêm no positivo após medidas de estímulo

Ativos do setor vêm registrando alta, apesar de perderem forças ao longo do dia; analista considera medidas do governo como positivas, mas ainda vê cautela no mercado acionário

SÃO PAULO – As ações do setor imobiliário, a despeito do Ibovespa, vêm registrando desempenho positivo na sessão desta terça-feira (4), na esteira das medidas tomadas pelo governo para o setor.

Na véspera, os papéis do setor já haviam registrado expressiva alta, na expectativa por estímulos econômicos em meio aos dados do PIB (Produto Interno Bruto) mais fracos. Já nesta sessão, o desempenho não está sendo tão expressivo, em meio à consolidação de quedas do benchmark da bolsa.

Nesta terça-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou um pacote com diversas medidas de estímulo, dentre elas a desoneração na folha de pagamentos, que poderá chegar a R$ 2,85 bilhões; atualmente, o setor gasta R$ 6,28 bilhões com pagamento de 20% da folha ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e, com a nova medida, passará a pagar 2% do faturamento bruto. Outra medida é a redução da alíquota do RET (Regime Especial de Tributação) da construção civil de 6% para 4%. 

Na esteira dessas medidas, as ações das empresas de construção civil têm um desempenho positivo nesse pregão, apesar de terem perdido forças ao longo da sessão. Com isso, o índice IMOB, que acompanha os papéis do setor registra alta de 0,07% às 16h30 (horário de Brasília), após chegar a registrar alta de 2,22% na máxima do dia, enquanto o Ibovespa registra queda de 0,73% aos 57.725 pontos.  

No mesmo horário, os papéis da Rossi (RSID3, R$ 4,27) avançavam 2,40%, enquanto os papéis da PDG Realty (PDGR3, R$ 3,20) subiam 1,27% , da MRV (MRVE3) tinham ganhos de 0,68% e da Gafisa (GFSA3) subiam 0,23%, aos R$ 4,44. Do lado negativo, estiveram os papéis da Cyrela (CYRE3, R$ 18,22), com baixa de 0,49%.

Fora do Ibovespa, os ativos da Tecnisa (TCSA3, R$ 7,99), Even (EVEN3, R$ 8,90), Helbor (HBOR3, R$12,01) e Ez Tec (EZTC3, R$ 25,86) subiam no mesmo horário 4,21%, 2,06%, 0,92% e 0,58%, nesta ordem. 

Medidas são catalisadores, mas não são tão positivas
De acordo com o analista da Geral Investimentos, Carlos Müller, as medidas do governo foram bastante positivas, mas também não foram tão determinantes para o setor, ainda mais considerando o ambiente econômico atual. Müller ressalta ainda que os papéis já precificaram na sessão anterior as medidas de estímulo. Deste modo, por registrarem um desempenho acima do índice nesta data, ainda sinaliza que o anúncio de Mantega tornou o cenário mais positivo para as imobiliárias.

Entretanto, aponta o analista, como o ambiente para o mercado acionário como um todo ainda é de cautela, as medidas de estímulo foram recebidas com certa timidez pelos investidores, que ainda seguem céticos em relação ao desempenho econômico brasileiro e às resoluções externas, como a questão do abismo fiscal nos EUA. “Num ambiente mais altista da bolsa, as altas das ações do setor poderiam ter sido até maiores”, avalia, apesar de ressaltar que as novas medidas impactarão positivamente na formalização dos empregos, entre outros.