Rede social

Elon Musk volta a condicionar compra do Twitter a problema com robôs

Declaração aumenta a incerteza sobre o acordo de US$ 44 bilhões entre o CEO da Tesla e da SpaceX e a rede social

Por  Equipe InfoMoney -

O bilionário Elon Musk, homem mais rico do mundo, voltou a dizer nesta terça-feira (17) que não vai prosseguir com a compra do Twitter (TWTR34) por US$ 44 bilhões se a empresa não conseguir provar que os robôs (bots) representam menos de 5% dos seus usuários.

A declaração aumenta a incerteza sobre o acordo. Na sexta-feira (13), o CEO da Tesla (TSLA34) e da SpaceX já havia dito que a aquisição da rede social estava temporariamente suspensa devido ao mesmo problema. Apesar de Musk ter recuado depois e dito que estava comprometido com a compra, as ações do Twitter despencaram.

A rede social estimou em um documento publicado na SEC (a CVM americana) no início do mês que menos de 5% de seus usuários ativos diários monetizáveis eram bots ou contas de spam no primeiro trimestre deste ano. Mas o bilionário diz que cerca de 20% das contas são falsas ou spam — e que o número pode ser ainda maior.

Musk disse na manhã desta terça que o negócio “não pode avançar” até que a empresa prove a informação. “Minha oferta foi baseada na precisão dos registros da SEC do Twitter. Ontem, o CEO do Twitter se recusou publicamente a mostrar prova dos menos de 5% [de robôs]. Este acordo não pode avançar até que ele o faça”.

Musk escreveu o novo tuíte horas após o CEO do Twitter, Parag Agrawal, postar um longo fio na própria rede social sobre a questão. Um dos tópicos da argumentação de Agrawal foi rebatido por Musk com um emoji de cocô.

Entenda o impasse

No começo de maio, o Twitter afirmou em um documento público que as contas falsas ou de spam representavam menos de 5% de toda a sua base de usuários ativos, mas que os cálculos podiam ser inconstantes. Musk, por sua vez, vem reiterando que retirar os bots da rede social será sua prioridade.

Para especialistas, há duas questões: a primeira é que o número usuários reais e ativos do Twitter é parte importante da precificação da companhia., e a segunda é que Musk pode também estar usando a questão para diminuir o preço da aquisição.

Para além da questão dos robôs, analistas apontam que o negócio pode não fazer sentido financeiramente para o bilionário e que a compra pode gerar problemas para suas outras empresas — principalmente a Tesla, pois as ações da montadora foram dadas em garantia em parte do empréstimo que está viabilizando o negócio.

Ainda não investe no exterior? Estrategista da XP dá aula gratuita sobre como virar sócio das maiores empresas do mundo, direto do seu celular – e sem falar inglês

Compartilhe