Eletrobras e Copel têm rating mantido por Fitch; BMG vende carteira de saque FGTS

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta segunda-feira (27)

Ana Paula Ribeiro

Publicidade

O radar corporativo desta segunda-feira (27) traz a Eletrobras (ELET3) e Copel (CPLE6), que tiveram classificação de crédito reiterada pela agência Fitch.

O BMG (BMGB4) fará a venda de uma carteira de crédito de até R$ 1,5 bilhão composta por operações de empréstimo da modalidade saque aniversário FGTS.

O Banco do Brasil (BBAS3) vai distribuir R$ 1,166 bilhão em JCP. Petrobras (PETR4) fecha contratos para aquisição de mais duas plataformas. JBS levanta quase R$ 1,9 bilhão com emissão de CRAs. A Operadora Desktop (DESK3) nega ter decidido sobre operação de M&A.

Continua depois da publicidade

Confira mais destaques:


Eletrobras (ELET3)


A agência de classificação de riscos Fitch confirmou a nota de crédito da Eletrobras (ELET3) e manteve a perspectiva da empresa em negativa, segundo comunicado feito na sexta-feira.

A nota de crédito de longo prazo em moeda estrangeira, que vale para as emissões feitas no exterior, ficou em BB-. Já o rating nacional ficou em AA para a Eletrobras e a subsidiária Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco).

Continua depois da publicidade

De acordo com a Fitch, a perspectiva negativa reflete a expectativa de modesta geração de caixa adicional proveniente da venda dos altos volumes de energia descontratada.

Copel (CPLE6)

A Copel (CPLE6) divulgou que a agência de classificação de risco Fitch Ratings reafirmou seu rating de longo prazo mais alto possível na escala da Fitch – ‘AAA (bra)’. A perspectiva dos ratings corporativos também foi mantida como estável.

BMG (BMGB4)


O BMG (BMGB4) fará a venda de uma carteira de crédito de até R$ 1,5 bilhão composta por operações de empréstimo da modalidade saque aniversário FGTS, segundo comunicado enviado ao mercado na sexta-feira.

Continua depois da publicidade

Segundo a instituição, a cessão para um fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) foi feita sem a retenção de risco para o banco e a operação faz parte da gestão de ativos e otimização do retorno do capita alocado.


Banco do Brasil (BBAS3)


O Banco do Brasil (BBAS3) irá pagar R$ 1,166 bilhão aos acionistas na forma de juros sobre o capital próprio (JCP), segundo divulgou a instituição financeira nesta sexta (24).

O pagamento antecipado referente ao segundo trimestre será feito com base na posição acionária do dia 13 de junho. O valor a ser pago será de R$ 0,20424044440.

Continua depois da publicidade


Petrobras (PETR4)


A Petrobras (PETR4) fechou acordo com a Seatrium O&G Americas para a aquisição de mais dois navios plataforma que serão usados nos campos do pré-sal de Atapu e Sépia, localizados na Bacia de Santos.

A expectativa é que o início da produção das plataformas P-84 e P-85, do tipo FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência), ocorra entre 2029 e 2030. Cada uma terá capacidade de proJdução diária de 225 mil barris de petróleo e 10 milhões de metros cúbicos de gás.

JBS (JBSS3)

A JBS (JBSS3) concluiu na sexta-feira a emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) com prazo de até 20 anos. A empresa levantou quase R$ 1,9 bilhão, mas a demanda chegou a R$ 2,5 bilhões.

Continua depois da publicidade

Os CRAs são lastreados em debêntures simples, e o valor obtido inclui o lote adicional de 25% (R$ 375 milhões) previsto. Os recursos serão usados pela companhia para financiar operações rotineiras, como a compra de gado.

Desktop (DESK3)

A operadora de banda larga Desktop (DESK3) afirmou nesta sexta-feira que não “definiu a realização” de qualquer potencial transação depois de ser questionada pela Comissão de Valores Mobiliários sobre notícia envolvendo interesse da rival maior Telefônica Brasil.