Dólar oscila em margens estreitas e fecha em alta de 0,20%, a R$ 4,98

Em março, a moeda norte-americana acumula alta de 0,25%

Reuters

Dólar e Real (Foto: Getty Images)

Publicidade

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar à vista fechou a terça-feira em alta ante o real, numa sessão em que as cotações voltaram a oscilar em margens estreitas no Brasil, após a divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central e da inflação pelo IPCA-15 em março.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9839 reais na venda, em alta de 0,20%. Em março, a moeda norte-americana acumula alta de 0,25%.

Às 17h04, na B3 o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,20%, a 4,984 reais na venda.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A agenda desta terça-feira trouxe duas divulgações de importância no Brasil, ainda no início do dia.

Em primeiro lugar, a ata do Copom indicou que alguns membros do colegiado avaliam que pode ser necessário reduzir o ritmo de cortes da taxa básica Selic, hoje em 10,75% ao ano. O documento reforçou a leitura de que o Copom tende a cortar a Selic em 50 pontos-base em maio, mas em apenas 25 pontos-base em junho.

Em segundo lugar, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) desacelerou sua alta de 0,78% em fevereiro para 0,36% em março. Porém, o resultado deste mês ficou acima da expectativa de 0,32% do mercado, conforme pesquisa da Reuters.

Continua depois da publicidade

Esses dois fatores deram força às taxas futuras de juros durante todo o dia e chegaram a favorecer a queda do dólar ante o real no início da sessão, em meio à leitura de que uma Selic não tão baixa contribui para a atração de investimentos pelo Brasil.

Às 9h02 — no início da sessão, pouco após o anúncio do IPCA-15 e já após a divulgação da ata — o dólar à vista marcou a cotação mínima de 4,9654 reais (-0,17%).

Mas o movimento no câmbio não se sustentou. O dólar passou a subir ainda na primeira hora de negócios, embora as oscilações fossem contidas.

“A ata do Copom veio em linha do que foi indicado na quarta-feira (quando o comunicado do colegiado foi divulgado). Apesar de o mercado demonstrar cautela, ela pouco influenciou o câmbio no Brasil”, pontuou Matheus Massote, especialista em câmbio da One Investimentos.

Às 12h42, o dólar à vista marcou a máxima de 4,9947 reais (+0,41%). O movimento ocorreu enquanto, no exterior, a moeda norte-americana apresentava sinais mistos ante outras divisas.

No fim da tarde, às 17h09, o índice do dólar — que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas — subia 0,11%, a 104,330.

Pela manhã, o BC vendeu todos os 16.000 contratos de swap cambial tradicional ofertados para rolagem dos vencimentos de junho.

Tópicos relacionados