Dia Internacional do Macarrão: brasileiro gasta R$ 25 ao mês com massas

Mesmo com as constantes altas de preço do trigo e de seus derivados, consumo não foi prejudicado

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – O brasileiro destina R$ 25 mensais para o consumo de massas e outros derivados de trigo. A informação é da Abima (Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias), que divulgou estudo sobre o perfil desses alimentos no País a fim de comemorar o Dia Internacional do Macarrão, celebrado nesta quinta-feira (25).

Conforme o levantamento, feito pela Latin Panel, esse montante representa 5% de toda a reserva voltada para gastos com alimentação, que fica em quase R$ 280 mensais. Ainda neste ano, a forte procura dos consumidores por massas deve fazer com que o setor apresente crescimento de 7%.

Caso da farinha de trigo

“Os constantes aumentos da farinha de trigo, principal matéria-prima, não estão atrapalhando o desempenho do setor. Até o fim de dezembro, o preço do macarrão deve subir 25%, mas este continua sendo um produto barato e acessível para o consumidor”, explicou o presidente da Abima, Cláudio Zanão.

No âmbito do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a farinha está 6,3% mais cara neste ano, no acumulado até setembro. O macarrão pesa quase 4% a mais no bolso do consumidor, enquanto que o pão francês (5%) e os biscoitos (4,8%) também estão em ritmo de valorização.

Praticidade

Zanão explicou que a procura por massas cresce à medida que o consumidor precisa de mais praticidade para fazer suas refeições. O estudo mostrou que o gasto com esses alimentos saltou de 28%, em 2002, para 31%, em 2006. No que diz respeito a consumo em restaurantes, o desembolso aumentou 24%.

Cada brasileiro consome sete quilos de massas por ano. Para atender à demanda, a produção, também anual, fica em 1,3 tonelada. A fabricação fica atrás apenas da Itália e dos Estados Unidos.

Compartilhe