Desde a entressafra, álcool fica 11,65% mais caro. Em maio, preço subiu 0,3%

Mesmo com a volta da colheita, ANP mostra que o consumidor pagou a mais pelo produto no quinto mês do ano

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A safra de cana-de-açúcar começou no mês passado. Contudo, o preço do álcool combustível vendido ao consumidor esteve mais caro em maio do que em abril, quando ainda faltava um mês para a colheita começar. Dados da Agência Nacional de Petróleo mostram que, no quinto mês do ano, o preço médio do litro em nível nacional era de R$ 1,668 – ou 0,30% a mais do que o R$ 1,663 cobrado nos 30 dias imediatamente anteriores.

O período de entressafra da matéria-prima do álcool começou em dezembro último. Dessa forma, desde o mês anterior (novembro), quando a sazonalidade ainda não gerava impactos tão diretos no preço do produto, o litro do álcool já custa 11,65% a mais, passando de R$ 1,494 para R$ 1,668. Por outro lado, na comparação com maio de 2006, o levantamento mostrou queda de preço da ordem de 5,5%. Naquela época, o litro saía por R$ 1,765.

Produção

Nos períodos de entressafra, o álcool fica mais caro porque há menor produção. Previsões divulgadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) fazem com que ritmo semelhante não seja completamente justificado neste ano.

O álcool terá o maior volume da história, com 20,01 bilhões de litros, resultado 14,54% superior ao da última safra. Destes, 10,6 bilhões de litros são de álcool hidratado (combustível), 9,35 bilhões de litros de anidro (utilizado na mistura da gasolina) e o restante do tipo neutro.

“O resultado se deve à forte demanda do produto nos mercados interno e externo, motivado principalmente pela fabricação de carros flex”, explicou o órgão por meio de nota.

O vilão do mês

Já o vilão do mês para o bolso do consumidor, o gás natural veicular (GNV), comprovou tendência apresentada nos levantamentos semanais da ANP. Conforme os dados fechados de maio, o metro cúbico do produto ficou 5,59% mais caro na média nacional, motivado pelo aumento de 20% no preço empregado aos distribuidores, pela Petrobras.

Na comparação com o mesmo mês de 2006, a tendência é parecida, com encarecimento de 5,17%. Até esses últimos encarecimentos, o metro cúbico do GNV tinha seu preço praticamente congelado desde 2005.

Demais combustíveis

Diante de suas características próprias e dos efeitos sazonais, os preços dos demais combustíveis não apresentaram oscilações muito consideráveis na comparação maio x abril. Veja:

Levantamento de preços(*)
CombustívelPreço de abrilPreço de maioVariação
DieselR$ 1,859R$ 1,858-0,05%
GasolinaR$ 2,528R$ 2,5330,20%
GLP
(botijão de 13 quilos)
R$ 33,09R$ 33,05-0,12%

Fonte: ANP
* Por litro

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Compartilhe