Desde 2006, preço do álcool cai 22% ao distribuidor. Ao consumidor, fica estável

Depois de quase sete meses de altas, litro vendido nos postos voltou ao seu patamar de dezembro, ao redor de R$ 1,49

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – O preço do álcool hidratado vendido ao consumidor, após quase sete meses de altas freqüentes, voltou ao seu antigo patamar, de antes da entressafra de cana-de-açúcar (iniciada em dezembro de 2006). Dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP) mostraram que, na semana encerrada em 23 de junho, o litro saía, na média dos postos brasileiros, por R$ 1,494 – praticamente o mesmo valor fechado do último mês do ano passado, que era de R$ 1,491.

Contudo, o motorista não tem muitos motivos para comemorar. Nesse mesmo intervalo de tempo, o distribuidor pagou pelo combustível 22,34% a menos: no começo de dezembro último, o litro saía por R$ 0,74663, preço que, na semana encerrada em 22 deste mês, era de R$ 0,57985, segundo dados do Centro de Estudos em Economia Aplicada (Cepea).

Repasse e gasolina

A entressafra de cana-de-açúcar, iniciada em dezembro do ano passado, acabou em maio deste ano. Em recente entrevista à InfoMoney, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro) explicou que a queda no preço do derivado de cana praticado aos distribuidores não é repassada aos postos em sua totalidade, o que atrapalha a possibilidade de o consumidor ter preços menores.

De qualquer maneira, vale lembrar que, a partir de 1º de julho, haverá maior proporção de álcool anidro (de 23% para 25%) na composição da gasolina. Não há expectativas de que o preço do derivado de cana aumente por problemas de oferta e demanda, uma vez que a safra da matéria-prima do produto deve ser suficiente para atender ao consumo.

Na semana

Analisando apenas o ritmo da semana compreendida entre 17 e 22 de junho, em comparação com os sete dias findos em 16 do mesmo mês, a queda de preço do álcool foi de 2,29% – de R$ 1,529 para o já informado R$ 1,494.

O barateamento verificado no produto vendido ao distribuidor foi menor, de 1,66%, passando de R$ 0,58963 em 15 de junho para R$ 0,57985 no dia 22 do mesmo mês.

As variações dos demais combustíveis foi menos acentuada. Veja:

  • Diesel: estabilidade em R$ 1,856 o litro;
  • Gasolina: -0,20% (de R$ 2,519 para R$ 2,514 por litro);
  • Botijão de gás: 0,09% (de R$ 33,01 para R$ 33,04 o recipiente com 13 quilos);
  • Gás natural veicular (GNV): -0,15% (de R$ 1,338 para R$ 1,336 por metro cúbico).
Compartilhe