Ações caem nos EUA

CVM dos EUA investiga Coinbase por listar valores mobiliários sem registro

Segundo a Bloomberg, a investigação é anterior ao caso de insider trading divulgado na semana passada

Por  CoinDesk -

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) está investigando a exchange de criptomoedas Coinbase, que tem capital aberto na Nasdaq, por suspeita de permitir que investidores americanos negociassem títulos não registrados.

De acordo com a Bloomberg, o regulador está investigando alguns dos tokens listados na exchange. A investigação da SEC é anterior àquela divulgada na semana passada sobre um suposto esquema de insider trading que levou o regulador a processar um ex-gerente da Coinbase e duas outras pessoas.

Anteriormente, o presidente da SEC, Gary Gensler, já havia dito que acreditava que a Coinbase deveria buscar uma licença de bolsa de valores, dadas algumas das criptomoedas listadas.

A Coinbase, por sua vez, critica a SEC por não fornecer regras claras para definir as criptomoedas. Segundo o diretor de políticas da exchange, Faryar Shirzad, as leis de valores mobiliários existentes podem não se adequar às criptos.

Leia mais:
Coinbase critica SEC por falta de regulação de criptomoedas

O movimento mostra que o objetivo declarado do CEO Brian Armstrong de listar todos os tokens possíveis em sua exchange pode ter suas desvantagens. De acordo com duas pessoas com quem a Bloomberg conversou, a SEC está analisando mais de perto as práticas da Coinbase em meio ao aumento do número de tokens listados. Ao todo, são mais de 200 criptos na plataforma.

“Estamos confiantes de que nosso rigoroso processo de diligência – um processo que a SEC já revisou – mantém os valores mobiliários fora de nossa plataforma. Vamos continuar colaborando com a SEC com o que for preciso”, disse o diretor jurídico da Coinbase, Paul Grewal, ao CoinDesk. Procurada, a SEC não respondeu aos pedidos de comentário.

No pré-mercado desta terça-feira (26), as ações da Coinbase tinham queda de até 4,8%. A ação já perdeu quase três quartos de seu valor este ano.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe