Quebra das criptomoedas

Crise do protocolo Celsius e colapso da UST podem ser benéficos para criptos no longo prazo, diz FSInsight

Segundo relatório, a plataforma de empréstimos de criptomoedas era conhecida por promover rendimentos sem riscos para ativos de clientes

Por  CoinDesk -

Em relatório publicado ontem (14), a empresa de pesquisa de mercado FSInsight apontou que a combinação de adversidades macroeconômicas e excessiva alavancagem de estratégias de rendimento resultou na venda forçada de criptomoedas nos últimos dias, retirando mais de US$ 200 bilhões do mercado de ativos digitais.

O “colapso do TerraUSD (UST) e da Celsius, a longo prazo, vai ser construtivo para a indústria”, escreveu Sean Farrell, chefe de estratégia de ativos digitais.

“Essas demonstrações públicas de destruição ignorante de capital muitas vezes são ignoradas na indústria financeira tradicional (ou levam muito tempo para serem interpretadas)”. Felizmente, o mercado de criptomoedas tem o benefício de “iterar e melhorar mais rapidamente”.

Em relação à Celsius, a FSInsight disse que, se as estratégias de geração de rendimento são boas demais para ser verdade, é porque elas provavelmente são, acrescentando que a plataforma era “conhecida por promover rendimentos ‘sem risco’ para ativos de clientes”, sendo, para isso, necessários uma grande quantidade de alavancagem e mecanismos de staking arriscado e ilíquidos.

Leia mais:

Segundo o relatório, a diferença entre ter ativos e ter a custódia deles só fica evidente durante épocas de aperto no mercado, e muitos usuários do Celsius que acreditavam ter os ativos descobriram que não iam poder fazer saques durante este período de volatilidade crescente no mercado.

“Em um ambiente restrito, a alavancagem se torna uma faca de dois gumes perigosa que pode atacar quando se menos espera”, declarou a nota.

A FSInsight afirmou que ainda acredita na subida dos preços das criptomoedas na segunda metade do ano e disse que essa é a hora para investidores de médio e longo prazo considerarem alocar em Bitcoin (BTC) de maneira mais agressiva.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe