Criptoativos

Criptos hoje: Bitcoin vai de novo a US$ 40.700, cripto DeFi dispara e mais notícias

Criptomoeda DYDX, que explodiu com adoção chinesa, já acumula mais de 80% de valorização nesta semana

Por  Rodrigo Tolotti, Paulo Alves -

SÃO PAULO – O Bitcoin (BTC) recuou pela terceira vez seguida para o preço de US$ 40.700, que vem se mostrando um nível importante de suporte desde que a criptomoeda caiu de US$ 48.000 em 18 de setembro.

Assim como nos dias 24 e 26 de setembro, o Bitcoin caiu para praticamente o mesmo patamar e logo se recuperou, mas sem força para superar a barreira dos US$ 44.000. Às 6h55 desta quarta-feira (29), a criptomoeda era negociada a US$ 42.363, com leve alta de 0,6% nas últimas 24 horas.

Maiores especialistas do Brasil te ensinam a investir melhor nessa classe de ativos: conheça o curso Criptoinvestidor!

Mas, o destaque do dia vai para uma criptomoeda desconhecida que dispara pela segunda vez nesta semana. Apoiada pela migração de traders após repressão às criptomoedas na China, o token do protocolo dYdX(DYDX) sobe outros 23,9% hoje, e acumula valorização que supera 81% desde o último domingo (26).

O ativo é a moeda nativa do protocolo que se destaca por oferecer algumas funções vistas normalmente apenas em corretoras comuns, mas forma descentralizada. Com total anonimato, é possível, por exemplo, fazer trades alavancados.

O mercado de finanças descentralizadas (DeFi) ganhou novo impulso nesta semana após medidas do governo chinês. A Polygon (MATIC), por exemplo, anunciou que, pela primeira vez, ultrapassou o Ethereum (ETH) em quantidade de endereços ativos diariamente. Por outro lado, a mineração de ETH já sofre com os impactos das novas medidas restritivas na China.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 6h55:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 42.363+0,6%
Ethereum (ETH)US$ 2.914-0,5%
Cardano (ADA)US$ 2,11-1,4%
Binance Coin (BNB)US$ 345+1,8%
XRP (XRP)US$ 0,920950-0,8%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
dydX (DYDX)US$ 25,47+23,9%
OKB (OKB)US$ 16,34+13,2%
Olympus (OHM)US$ 700+8,4%
Axie Infinity (AXS)US$ 70,44+3,4%
Near (NEAR)US$ 7,19+3,3%

As criptomoedas com as maiores baixas nas últimas 24 horas:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Tezos (XTZ)US$ 5,73-7,1%
XDC Network (XDC)US$ 0,134527-6,1%
Bitcoin Cash ABC (BCHA)US$ 260-8,0%
Quant (QNT)US$ 286-8,0%
Fantom (FTM)US$ 1,23-7,9%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 41,18-2,65%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 54,00-3,21%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 46,40-3,99%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 14,35-2,31%
QR Ether (QETH11)R$ 11,25-4,74%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quarta-feira (29):

Polygon ultrapassa endereços ativos do Ethereum pela primeira vez

A Polygon (MATIC) ultrapassou pela primeira vez o Ethereum (ETH) em termos de atividade da rede. Segundo o cofundador Mihailo Bjelic, o protocolo alcançou 351.000 endereços ativos no dia, contra 326.000 no Ethereum.

A Polygon é uma solução se segunda camada, ou seja, depende de uma blockchain principal para operar. Voltada para usuários de Ethereum, ela permite mover ativos para uma cadeia secundária onde as taxas de rede são menores, portanto barateando as transações.

Além disso, o sistema oferece recursos prontos para desenvolvedores e funciona em módulos, reduzindo o tamanho dos aplicativos criados para propósitos específicos.

Surgida na Índia, a Polygon ficou famosa após receber investimento do bilionário americano Mark Cuban.

Duas mineradoras de Ethereum anunciam suspensão de operações na China

Duas das maiores mineradoras de Ethereum do mundo anunciaram que vão suspender as operações na China após as novas medidas tomadas pelo governo local contra o mercado de criptomoedas.

O SparkPool, segundo maior do mundo com 22% do hashrate (poder computacional) global, vai fechar as portas já na próxima quinta-feira (30) e desde já não receberá novos usuários, sejam residentes ou não do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já o BeePool, quarto maior do mundo com 6,7% do hashrate, deixa de aceitar imediatamente novos mineradores chineses e estrangeiros, e irá encerrar as operações no dia 15 de outubro.

As medidas ocorrem após o comunicado do Banco Popular da China (PBOC, na sigla em inglês) resultar em ações concretas do governo. Na segunda-feira (27), a mídia local noticiou que autoridades haviam apreendido 10.000 máquinas de mineração apenas na região autônoma da Mongólia Interior.

Ainda de acordo com o noticiário chinês, o governo já fechou o total de 45 negócios de mineração de criptomoedas que consumiam, juntos, 6,58 bilhões de kWh de eletricidade anualmente.

É impossível destruir as criptomoedas, diz Elon Musk

Elon Musk voltou a comentar sobre o mercado de criptomoedas em meio à repressão contínua promovida pelo governo chinês.

“Não é possível, eu acho, destruir as criptomoedas, mas é possível que os governos desacelerem seu avanço”, disse o o CEO da Tesla (TSLA) durante participação no evento Code Conference, nos EUA, na terça-feira (28).

Para Musk, a China não gosta do fato de que as criptomoedas seriam “fundamentalmente voltadas a reduzir o poder de um governo central”. Por outro lado, ele afirmou que as medidas tomadas pelo governo de Xi Jinping podem ter relação com a crise energética que se instala em algumas regiões do país.

“Parte disso pode realmente ser devido à falta de eletricidade em muitas partes da China. Muito do sul da China agora está tendo quedas de energia aleatórias porque a demanda de energia é maior do que o esperado. A mineração de criptomoedas pode estar desempenhando um papel nisso”, disse.

Suíça aprova seu primeiro fundo de criptomoedas

A Autoridade Supervisora do Mercado Financeiro da Suíça (FINMA) aprovou o primeiro fundo de criptomoedas do país, informou o órgão em anúncio nesta quarta-feira (29).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Disponível para investidores qualificados, o fundo Crypto Market Index Fund tem gestão da firma Crypto Finance, é administrado pela PvB Pernet von Ballmoos AG e tem custódia do SEBA Bank AG. Ele acompanhará o desempenho do índice Crypto Market Index 10, administrado pela SIX Swiss Exchange.

Regulados no Brasil há três anos, os fundos de criptomoedas chegam à Suíça após longa discussão no país. Os reguladores enfatizam as regras específicas para o lançamento de produtos do tipo, como investimento em “criptoativos estabelecidos com um volume de negociação suficientemente grande”.

Os fundos também devem investir por meio de empresas com sede em um país membro da Força-Tarefa de Ação Financeira (FATF) e estão sujeitos a exigências específicas de gestão de risco.

Maiores especialistas do Brasil te ensinam a investir melhor nessa classe de ativos: conheça o curso Criptoinvestidor!

Compartilhe