Criptoativos

Bitcoin tem melhor dia da história, ETF movimenta US$ 1 bi e mais assuntos que vão movimentar o mercado de criptos hoje

ETF de Bitcoin registrou o segundo maior volume de negociações da história nos EUA

criptoativos

SÃO PAULO – O Bitcoin (BTC) atingiu na terça-feira (19) o maior fechamento diário de sua história ao bater US$ 64.490 na corretora Bitstamp. O valor ficou pouco abaixo da máxima de US$ 64.900, alcançada em 14 abril, quando a moeda digital encerrou o dia a US$ 63.577. Às 7h02 de hoje, a criptomoeda era negociada, em média, a US$ 63.960 nas exchanges.

Embora os mercados tenham registrado recorde em euros e ienes, por exemplo, não foi dessa vez que a criptomoeda ultrapassou seu maior preço em dólares. Havia grande expectativa por uma nova máxima ontem pela empolgação em torno do lançamento do primeiro ETF de Bitcoin dos EUA.

Mas, o ETF da ProShares não decepcionou. Sua estreia na bolsa de Nova York (NYSE) teve mais de US$ 570 milhões investidos e cerca de US$ 1 bilhão em volume de negociações, o segundo maior da história da bolsa, atrás apenas do US Carbon Transition Readiness, da BlackRock, que registrou US$ 1,16 bilhão em volume no dia da listagem em abril.

Negociando sob o ticker BITO, o ETF permite que os investidores comprem um ativo que rastreia o preço do Bitcoin, mas sem realmente possuir o ativo subjacente. Investidores negociaram 24.313 cotas no primeiro dia com preços que variaram entre US$ 40 e US$ 42,15 cada.

Até onde vai o Bitcoin? Especialista da Levante dá aula gratuita sobre o futuro da criptomoeda. Clique aqui para assistir

Nesta quarta, enquanto o Bitcoin estaciona perto dos US$ 64 mil, vários tokens de corretoras de criptomoedas dispararam de preço. As moedas OKB (OKB), da OKEx, Huobi Token (HT), da Huobi, e KuCoin Token (KCS), da Kucoin, sobem entre 8% e 25% no dia. O ativo da FTX, FTX Token (FTT), também vai bem, com ganhos de 6,8% nas últimas 24 horas.

O momento favorável do mercado cripto também impacta positivamente as ações de empresas ligadas ao setor. A Coinbase, por exemplo, sobe 24% desde que o ETF de BTC foi aprovado.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h03:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 63.960+2,6%
Ethereum (ETH)US$ 3.866+1,7%
Binance Coin (BNB)US$ 485-0,5%
Cardano (ADA)US$ 2,12-0,4%
XRP (XRP)US$ 1,10+1,5%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
OKB (OKB)US$ 23,07+25,2%
Huobi Token (HTUS$ 8,38+10,5%
Near (NEAR)US$ 8,53+9,4%+
KuCoin Token (KCS)US$ 14,28+8,6%
Terra (LUNA)US# 39,02+8,3%

As criptomoedas com as maiores baixas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Flow (FLOW)US$ 12,82-7,3%
Stacks (STX)US$ 2,23-5,3%
Ecomi (OMI)US$ 0,00652416-4,8%
Fantom (FTM)US$ 2,32-4,7%
Celsius Network (CEL)US$ 5,22-2,4%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 61,52+4,09%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 86,60+5,61%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 63,75+2,66%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 23,01+6,58%
QR Ether (QETH11)R$ 15,62+3,10%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quarta-feira (20):

Coinbase e outras ações ligadas ao setor cripto disparam nos EUA

As ações da Coinbase sobem 24% desde o começo da semana, quando a corretora fechou o primeiro acordo de patrocínio da liga americana de basquete NBA com uma empresa do setor de criptomoedas, e após a confirmação de que o ETF da ProShares tinha sido aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês).

Outras empresas do setor de criptomoedas listadas nas bolsas dos EUA também têm fortes ganhos em meio ao otimismo do mercado na expectativa por novas máximas do Bitcoin. Outro destaque é a mineradora Hut 8 Mining Corp, cujos papeis subiram 21% em dois dias.

O momento reforça os números do ano, marcado por intensa alta das ações de companhias de corretagem, mineração e infraestrutura para a indústria de criptomoedas. A Hut 8 Mining e as também mineradoras Marathon Digital Holdings e Bitfarms, por exemplo, já valorizam mais de 180% desde o início de 2021.

Segundo um levantamento da CoinShares, existem atualmente o equivalente a US$ 7,1 trilhões em ações de empresas ligadas ao setor cripto e ao desenvolvimento de aplicações descentralizadas da chamada Web 3.0.

Gestoras de criptoativos acumulam US$ 72 bilhões de ativos sob gestão

Gestoras especializadas em criptoativos já chegam a US$ 72 bilhões de patrimônio, aponta o relatório mais recente da CoinShares. A marca vem após entrada de mais US$ 69,9 milhões em produtos de Bitcoin, no que foi a quinta semana consecutiva de saldo positivo em investimentos na criptomoeda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O movimento, diz a CoinShares, decorre diretamente do otimismo em torno da aprovação do ETF da ProShares.

“A recente decisão da SEC de permitir um ETF baseado em futuros nos Estados Unidos pode gerar mais entradas significativas nas próximas semanas, à medida que os investidores norte-americanos começarem a adicionar posições”, apontou o documento.

Algumas altcoins também atraíram a atenção dos investidores na semana passada, com destaque para a Polkadot (DOT), que recebeu US$ 3,6 milhões a mais após após anúncio de investimento de US$ 770 milhões no seu ecossistema.

Já a Cardano (ADA), embora tenha perdido fôlego após alta impressionante em agosto, também registrou saldo positivo na semana em produtos de investimento, com entradas de US$ 2,7 milhões.

EUA querem que Facebook desista de piloto de carteira de criptomoedas

Um grupo de senadores americanos quer que o Facebook desista dos testes da carteira de criptomoedas Novi anunciados ontem.

Em carta, os congressistas, liderados pela senadora Elizabeth Warren, pedem que a empresa de Mark Zuckerberg “encerre imediatamente” o projeto.

“Dada a extensão dos escândalos que cercam sua empresa, escrevemos para expressar nossa mais forte oposição ao esforço reavivado do Facebook para lançar uma criptomoeda e carteira digital, agora com as marcas ‘Diem’ e ‘Novi’, respectivamente”, disse o documento.

O projeto Diem, antigo Libra, sofreu forte pressão por mudanças nos EUA após propor a criação de uma stablecoin lastreada em uma cesta de moedas fiduciárias, como o dólar e o euro. As críticas fizeram com que o ativo fosse modificado para refletir apenas o preço da moeda americana, mas ainda não recebeu sinal verde dos reguladores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Enquanto isso, o Facebook planeja iniciar testes da carteira utilizando a stablecoin Paxos Dollar (USDP) em parceria com a Paxos e a Coinbase, que oferecerá custódia dos ativos digitais. A fase Beta do serviço começou na terça-feira (19) nos EUA e na Guatemala.

Até onde vai o Bitcoin? Especialista da Levante dá aula gratuita sobre o futuro da criptomoeda. Clique aqui para assistir