Rali de altcoins

Criptomoedas Shiba Inu, Solana e Polkadot disparam puxadas por alta do Bitcoin

As altcoins acompanharam o BTC, que valorizou em meio a relatos de compras multimilionárias do ativo

Por  CoinDesk -

O Bitcoin (BTC) continua sendo negociado na manhã desta segunda-feira (28) acima dos US$ 47 mil, maior preço registrado no ano. Nas últimas 24 horas, a moeda digital valorizou 5,4%, adicionando US$ 100 bilhões à capitalização geral dos mercados de criptomoedas.

Alguns fundos atribuíram o aumento do BTC à demanda gerada pela Luna Foundation Guard (LFG). A LFG pretende acumular US$ 3 bilhões em Bitcoin como reserva para o TerraUSD (UST), uma stablecoin atrelada ao dólar, e comprou US$ 125 milhões do ativo na semana passada.

As principais criptomoedas exibiram ganhos após mais de duas semanas permanecendo estáveis. A Solana (SOL) saltou 14%, com ganhos similares aos registrados por Shiba Inu (SHIB) e Polkadot (DOT). A SOL bateu US$ 110, sua máxima de março, enquanto o SHIB encostou próximo do topo alcançado pelo ativo neste mês, segundo dados do Coingecko.

O salto da SOL levou prejuízo para traders que haviam apostado na queda de preço do ativo. Os dados mostram que quase US$ 30 milhões em liquidações ocorreram em futuros de SOL. Os futuros de Bitcoin acumularam US$ 172 milhões em perdas, as maiores entre todas as criptomoedas. Já os futuros de Ether seguiram com US$ 139 milhões.

As perdas no mercado de criptomoedas somaram quase US$ 455 milhões em liquidações gerais. A liquidação ocorre quando um trader tem fundos insuficientes para manter uma negociação alavancada aberta.

Traders dizem que US$ 50 mil é o próximo alvo do BTC

Os analistas alertaram contra o sentimento eufórico do BTC, pois os indicadores de sentimento sugerem que uma correção pode ocorrer.

“O Índice do Medo e Ganância atingiu 60, que é classificado como ‘ganância’ – a última vez que alcançou esse nível, o Bitcoin estava em torno de US$ 60 mil”, explicou Marcus Sotiriou, analista da corretora de criptomoedas GlobalBlock, em um e-mail para o CoinDesk. Esse índice calcula o sentimento do investidor, com “ganância” indicando uma alta probabilidade de correção iminente, e “medo” precedendo um período de tendência de alta.

Mas Sotiriou espera que os preços subam muito nos próximos dias. “O Bitcoin está enfrentando forte resistência, mas se for capaz de se manter acima do nível de US$ 46 mil (que marca aproximadamente a abertura anual) por vários dias, espero um movimento para US$ 52 mil, que é a próxima resistência importante”, disse ele no e-mail.

Vários outros analistas compartilharam alvos semelhantes para o Bitcoin.

“Uma sustentação da atual trajetória de crescimento pode elevar o preço do BTC acima de US$ 50 mil antes do final da semana e entre US$ 50 mil e US$ 55 mil antes de meados de abril”, falou Alexander Mamasidikov, cofundador do banco digital móvel MinePlex, em mensagem pelo Telegram.

Vasja Zupan, presidente da Matrix Exchange, concorda. “Pode ser um sinal de que os mercados estão começando a se recuperar do choque inicial da guerra na Ucrânia”, disse ele em uma mensagem no Telegram.

“O Bitcoin se desconectará dos mercados de ações de tecnologia e servirá como hedge em um ambiente inflacionário como ouro digital. A primeira meta é de US$ 50 mil.”

Empreendedores de criptomoedas como Zupan voltaram a fazer estimativas muito mais altas dos preços futuros do Bitcoin. “Eu não ficaria surpreso se atingirmos US$ 100 mil antes do final do ano, independentemente da situação geopolítica”, falou.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe