Criptoativos

Cripto Elongate dispara 100% com polêmicas sobre Musk; entenda os riscos

Em dia de polêmica envolvendo Elon Musk, criptomoeda desconhecida tem forte alta e chama atenção no mercado

Por  Rodrigo Tolotti, CoinDesk -

Elon Musk é o grande assunto desta sexta-feira (20) com sua visita ao Brasil e o surgimento de um escândalo sexual envolvendo o CEO da Tesla e homem mais rico do mundo. E mesmo que nenhum desses casos tenham relação com criptomoedas, um dos assuntos que Musk adora comentar, mais uma vez o mercado de moedas digitais sofre um impacto.

Mas, desta vez não tem nenhuma relação com Bitcoin (BTC) ou Dogecoin (DOGE), mas sim um token desconhecido chamado Elongate, que salta mais de 100%, principalmente por conta do escândalo.

Matéria publicada pelo site Business Insider aponta que a SpaceX teria pago US$ 250 mil a uma comissária de bordo para acobertar uma reclamação de má conduta sexual contra o bilionário em 2018.

Musk negou as acusações pelo Twitter e disse que os ataques contra ele “devem ser vistos por uma lente política”. Na publicação, ele afirmou que nada o impedirá “de lutar por um futuro bom e seu direito à liberdade de expressão”.

Nos últimos dias, o CEO da Tesla contou que sempre votou no partido Democrata nas eleições dos Estados Unidos, mas que migrou para o lado Republicano, apesar de afirmar que está descontente com os dois partidos.

O que é a Elongate

Criada em março de 2021, a Elongate começou como uma piada depois que o executivo tuitou que “se um dia houve um escândalo sobre mim, por favor, chame de Elongate”.

Na ocasião, tão logo o bilionário fez a publicação, um fã criou a criptomoeda na Binance Smart Chain, criando uma rede focada em um movimento de impacto social.

O token possui uma taxa de transação de 10% e recompensa os titulares com parte desses valores, além de doar quantias significativas para organizações filantrópicas.

Metade da taxa de transação é enviada para os usuários, proporcional ao número de tokens Elongate que eles possuem. A outra metade vai para o pool de liquidez da PancakeSwap (CAKE). Toda semana, 60% dos tokens acumulados são supostamente distribuídos para várias instituições de caridade.

Segundo o site oficial do projeto, já foram doados US$ 3,7 milhões para projetos beneficentes.

Tem sido comum a Elongate disparar de preço sempre que Musk tuita, especialmente algo relacionado a criptomoedas. Ao contrário da Dogecoin, que é de natureza inflacionária, a Elongate se diz deflacionária, o que significa que nenhuma nova moeda pode ser extraída após um limite pré-estabelecido ser atingido – ele, no entanto, é alto, de um quatrilhão de tokens.

Por que a Elongate está disparando

Como já aconteceu algumas vezes desde sua criação, novamente a Elongate dispara após alguma polêmica envolvendo Musk. Porém, dessa vez ainda há um motivo “a mais”, já que o próprio bilionário lembrou de seu antigo tuite sobre quando surgisse um escândalo com ele.

“Finalmente, podemos usar Elongate como nome de um escândalo. É perfeito”, disse o executivo no Twitter.

Por volta das 11h30 desta sexta, a Elongate tinha alta de 112%, cotada a US$ 0.00000003108. Vale destacar que além dos riscos envolvendo um token que não tem um projeto bem estruturado, esse baixo valor de face da criptomoeda também aumenta sua volatilidade, que pode variar grandes porcentagens muito rapidamente.

Riscos da Elongate

Se de um lado existem muitos projetos bem estruturados e com potencial para o futuro, diversas criptos são criadas como piadas e fadadas ao fracasso.

A rede Ethereum, a Binance Smart Chain e outros sistemas possuem ferramentas para criar rapidamente tokens secundários. Eles, no entanto, não têm valor inerente e podem tomar do criador apenas alguns minutos para lançar um “novo projeto”, alegando alguma associação vaga com uma figura pública ou evento cultural, por exemplo.

Em 2014, por exemplo, foi criado o projeto “Coinye West”, em referência ao rapper americano Kanye West, mas que ele não tinha nenhuma relação. Mais recentemente, surgiu o “Squid Game Token”, na onda do sucesso da série Round 6, da Netflix. O próprio Elon Musk já teve diversas criptos, como “Dogelon Mars” e “Elon Doge”, criadas para tentar capitalizar qualquer coisa que ele faça.

Como o mercado de criptomoedas é global e você pode vender mais ou menos qualquer token em uma exchange descentralizada (DEX), essas ideias superficiais ganham impulso e volume de negociação. Mas, esses movimentos são fundamentalmente truques, e quase todos esses tokens desmoronam tão rápido quanto sobem.

Na maioria das vezes não é preciso de ajuda externa, dado que esses ativos desabam sozinhos. Foi o caso do token de Round 6, que, após disparar em poucos dias, caiu para zero após ser abandonado pelos próprios “desenvolvedores” – um clássico golpe de “puxada de tapete”.

Por isso, principalmente para quem é novo no mercado cripto, é preciso ter muito cuidado com essa ânsia de ganhar dinheiro rápido e “fácil”, é preciso estudar cada projeto, entender o que está por trás dele e quem são as pessoas envolvidas.

E, embora “quente e novo” seja alvo visto como positivo em muitos setores, geralmente é uma coisa ruim para criptomoedas, onde o “Efeito Lindy” parece ser bastante forte. O Efeito Lindy é uma teoria de investimento de que quanto mais tempo algo existe, mais tempo continuará a existir. E novas criptomoedas, assim como novas empresas, têm uma taxa de mortalidade muito alta.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe