Recomendações

Credit Suisse destaca os próximos grandes passos da PetroRio e inicia cobertura para ação recomendando compra

Os analistas avaliam que a PetroRio aumentará a produção mais do que duas vezes até 2025 e chegará a um Ebitda de US$ 1,27 bilhão

SÃO PAULO – O Credit Suisse iniciou a cobertura para as ações da PetroRio (PRIO3) com recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 25 por ação, ou potencial de alta de 29% em relação ao fechamento de sexta-feira.

Os analistas avaliam que a PetroRio aumentará a produção mais do que duas vezes para atingir cerca de 78 mil barris por dia em 2025 e chegará a US$ 1,27 bilhão de lucro antes juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês). As fusões e aquisições podem aumentar ainda mais o upside, destacam.

A ação da PetroRio ganhou espaço nas carteiras de quem está otimista com petróleo e tem uma liquidez média bastante forte, de cerca de R$ 400 milhões por dia ao longo de 2021.

A maior volatilidade esperada para Petrobras (PETR3;PETR4) com a proximidade das eleições também tem sido vista como um ponto favorável para a petroleira independente.

Leia também: Com cenário mais volátil no Brasil, Bradesco BBI vê ação da PetroRio como “hedge” no setor de petróleo e gás

Regis Cardoso e Marcelo Gumiero, analistas que assinam o relatório, veem que o modelo de negócios da petroleira, que inclui aquisição e revitalização de campos maduros, sem exposição a riscos de exploração, é um bom investimento para exposição direta ao petróleo e com potencial de expansão.

A avaliação também conta a expansão orgânica da PetroRio, a ligação entre os campos de Polvo e Tubarão Martelo (TBMT), um novo poço em TBMT e o desenvolvimento em Frade e Wahoo.

“A PetroRio consegue uma combinação bastante interessante de histórico tanto em fusões e aquisições quanto em operações através de uma estratégia muito bem sucedida de sinergias dentro do portfolio atual, especialmente entre Polvo e TMBT e Wahoo e Frade”, apontam.

Para os analistas, a PetroRio pode ser considerada um case de crescimento e a a prioridade daqui pra frente deve ficar em torno de capturar sinergias de custo entre Tubarão Martelo e Polvo, novo poço em TBMT 10, perfuração em Frade, desenvolvimento do recém adquirido campo de Wahoo.

PUBLICIDADE

“Também vemos bom potencial de expansão com aquisições, uma vez que a PetroRio participa do processo de venda a Albacora Leste e/ou de Albacora, que são oportunidades transformacionais para a empresa, mas há outras oportunidades que podem adicionar valor”, dizem os analistas.

O fluxo de caixa deve ser usado principalmente para despesas de capital no curto prazo. A expectativa está na linha de que até 2025 todos os projetos estejam operando e a produção cresça 2,5 vezes com um cash flow yield (rendimento do fluxo de caixa, ou fluxo de caixa por ação sobre o preço atual da ação) de 20% por ano se os preços de Brent se mantiveram em US$  62 o barril.

Entrando em valuation, os analistas destacaram que o papel teve uma performance excelente nos últimos trimestres. Contudo, o potencial de valorização que eles veem pode ser explicado pelo fato de que os preços ainda não refletiram a geração de valor de cada um dos projetos dado que ainda estão nos estágios iniciais. “Acreditamos também na capacidade da empresa de crescer de forma inorgânica, através de fusões e aquisições”, apontam Cardoso e Gumiero.

Já entre os riscos no radar, os analistas destacam que a operação está muito atrelada ao preço do petróleo. Além disso, há riscos de acidentes e de controle de custos, uma vez que são mais concentrados que em outras empresas.

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.