Conversão para minuto faz conta de telefone cair em cinco capitais em setembro

Foi a vez de Belo Horizonte, Recife, Belém, Fortaleza, e Salvador. Em outubro, impacto será verificado em mais 4 cidades

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A conversão da cobrança de telefone, de pulso para minuto, fez com que a conta da linha fixa caísse em cinco capitais pesquisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em setembro. Os dados fazem parte do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), referente ao nono mês do ano, divulgado nesta quarta-feira (10).

No mês passado, o barateamento foi sentido em Belo Horizonte (-3,86%), Recife (-2,92%), Belém (-3,20%), Fortaleza (-2,75%) e Salvador (-4,75%). Em São Paulo, houve alta de 1% em agosto e, no Rio de Janeiro, de 3,30% em julho. “O resultado diferenciado depende do perfil de consumo em cada cidade”, explicou a coordenadora do índice, Eulina Nunes.

Pelo Básico

De acordo com Eulina, para realização do cálculo, foi utilizado o conceito de que todos os consumidores optariam, após a conversão, pelo Plano Básico de minutos, “Este plano é indicado para quem fica pouco tempo ao telefone, enquanto que o alternativo, conhecido como Pasoo, é para aqueles que passam mais tempo na linha”, justificou.

Para levantamento do IPCA, o IBGE calcula preços empregados em 11 municípios. Em outubro, a conta de telefone deve vir mais cara em dois e mais barata em outros dois. O motivo será, novamente, a modificação da cobrança, cujo reflexo será percebido na conta dos consumidores apenas no décimo mês do ano:

Impacto na conta de telefone
CidadeTotalMês do reflexo
Rio de Janeiro3,30%julho
São Paulo1,04%agosto
Belo Horizonte-3,86%setembro
Recife-2,92%setembro
Belém-3,20%setembro
Fortaleza-2,75%setembro
Salvador-4,75%setembro
Porto Alegre0,24%outubro
Brasília3,70%outubro
Curitiba-0,61%outubro
Goiânia-3,52%outubro

Fonte: IPCA/IBGE

“Com isso, no final, a variação média brasileira será de 0,08%, praticamente nula”, finalizou a coordenadora do IPCA.

Entenda

Determinação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) estabelece que o Básico conceda uma franquia de 200 minutos mensais. A primeira cobrança será efetuada em um período de até 30 segundos da chamada. As demais serão feitas normalmente de seis em seis segundos. No horário reduzido, o pagamento será o equivalente a dois minutos por chamada, independentemente do tempo utilizado.

Esse horário reduzido é válido da meia-noite às 6 horas, em dias da semana, da meia-noite às 6 horas e das 14 horas à meia-noite, aos sábados, e durante todo o dia, aos domingos e feriados nacionais.

Já o Pasoo, que garante 400 minutos de conversação, deve ser contratado por aqueles que usam mais o aparelho. Nesse pacote, a cada chamada, é cobrada uma taxa de completamento, equivalente a quatro minutos, além dos minutos efetivamente utilizados. Durante o horário reduzido, cada ligação custará o equivalente a quatro minutos, também independentemente do tempo utilizado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando o pacote contratado “estourar”, a pessoa não terá sua linha bloqueada, mas pagará por cada minuto “falado”.

Compartilhe