Consumidor de SP foi o que mais sentiu encarecimento do leite; alta é de 12,9%

IPC-S de 15 de junho mostrou que a bebida tipo longa vida ficou, na média nacional, 11,72% mais cara

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – O consumidor de São Paulo foi o que mais sentiu o aumento no preço do leite longa vida nas quatro semanas encerradas em 15 de junho. Pelo menos é isso o que mostram os dados regionalizados do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal, calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e divulgados nesta terça-feira (19).

Conforme o levantamento, o indicador no período acumulou alta de 11,72% em nível nacional, após ter atingido 10,02% na semana anterior. Analisando apenas os dados da capital paulista, no intervalo entre os dois períodos, a alta passou de 11,12% para 12,9%.

Menores altas

Moradores do Recife e de Salvador são, até o momento, os menos atingidos pelo encarecimento da bebida. O preço do leite nestes locais acumula, até o dia 15 deste mês, alta de 1,22% e 2,35%, respectivamente. “Essas foram as menores variações. É natural haver mudanças de capital para capital, devido a condições de mercado”, explicou o coordenador da pesquisa, André Braz.

Conforme o especialista, além da questão da oferta local do produto, o Nordeste sentiu menos a escassez do leite, por conta da menor influência do inverno em seu clima local. “Nessa época do ano, as variações climáticas fazem com que haja menos produção de leite. E naquela região essa tendência foi menos forte”, explicou.

Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Quando se desce o mapa do Brasil, chegando às regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, a situação vai ficando diferente. Em Brasília, por exemplo, o preço do leite está 9,37% maior no acumulado das quatro semanas encerradas em 15 de junho.

Veja, na tabela abaixo, a lista completa:

Preço do leite até 15 de junho
CapitalVariação
Recife1,22%
Salvador2,35%
Belo Horizonte7,61%
Brasília9,37%
Rio de Janeiro11,68%
Porto Alegre12,66%
São Paulo12,90%

Fonte: IPC-S/FGV

Compartilhe