Terrenos

Concorrência com FIIs deve aumentar, mas carência de galpões é tão grande que isso não preocupa, diz CEO da Log

Presidente da empresa eleita revelação no Melhores da Bolsa 2020 falou sobre seus planos e a situação logística brasileira

SÃO PAULO – Eleita empresa revelação no evento Melhores da Bolsa 2020 do InfoMoney e Stock Pickers, a Log Commercial Properties (LOGG3) atua no mercado de galpões logísticos, que enfrenta cada vez mais concorrência dos fundos imobiliários que operam neste setor.

Entretanto, o presidente da companhia, Sérgio Fischer, garante que isso não é algo que lhe tire o sono. “A concorrência deve ser maior, mas o Brasil tem uma carência tão grande de galpões que não tenho medo da competição”, avaliou o CEO durante o evento, online e gratuito, que vai até dia 26. Para participar, basta se cadastrar aqui.

A Log foi uma das poucas empresas que podem dizer que saíram mais fortes da pandemia. Isso porque, com as medidas de isolamento social tomadas para conter o avanço do contágio pela Covid-19, o comércio eletrônico no Brasil cresceu de forma muito relevante.

O número de consumidores no e-commerce avançou em 40% no primeiro semestre de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o relatório Webshoppers 42 da Ebit|Nielsen, totalizando 41 milhões de pessoas.

Para Fischer, esse número vai crescer mais ainda, pois no início do ano a participação do comércio eletrônico no total das vendas do varejo no Brasil era de apenas 5% contra 30% registrados na China, 18% no Reino Unido e 11% nos Estados Unidos.

Leia também
Campos Neto: “O equilíbrio fiscal é muito relevante para a condução da nossa política monetária”

Equatorial: saneamento e tele podem ser próximos alvos da melhor empresa da Bolsa

Para gestores, caso Carrefour pode contribuir para reforçar importância do ESG no mercado local

“O Brasil tem dimensões continentais, mas não tem um parque logístico de qualidade”, sentencia o executivo. “A tendência é que a participação do e-commerce suba cada vez mais em nosso portfolio, pois a pandemia está impactando positivamente o setor.”

Dobrar de tamanho até 2024

Com vistas a se posicionar para essa mudança no comportamento do consumidor brasileiro, Fischer afirma esperar que a Log chegue ao final de 2024 com quase o dobro do tamanho da companhia que foi listada na B3 em 2018.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Temos mapeadas 20 praças em que ainda não estamos e nas quais cabe um projeto da Log”, destacou. “Estamos antecipado a compra de terrenos e queremos ter cada vez mais projetos aprovados na prateleira.”

Outro ponto positivo é que o presidente da Log enxerga uma melhora nos preços de locação no Brasil afora, o que significa um viés de alta no retorno de cada projeto. Por outro lado, ele diz estar preocupado com a situação fiscal do País.

“Se não tivermos um ajuste com as reformas podemos ser impactados pela inflação”, alerta.

Invista no ativo com maior potencial de valorização: o seu conhecimento. Aproveite descontos de até R$ 1.319 nos cursos do InfoMoney e Xpeed – vagas limitadas!