Entrevista

Colapso da TerraUSD mostra que pressa é um problema para o mercado cripto, diz fundador da Cardano

“Se você andar rápido demais… todo mundo perde dinheiro”, falou Hoskinson em entrevista ao CoinDesk

Por  CoinDesk -

Para muitos observadores, o colapso da TerraUSD (UST) e de sua criptomoeda irmã Terra (LUNA) foi uma vergonha para o mercado das criptomoedas. Para Charles Hoskinson, fundador da Cardano (ADA), o episódio foi uma validação de sua abordagem lenta para desenvolver uma blockchain.

“Se você se mover muito rápido, como vimos com o ecossistema Luna, e também com os US$ 10,5 bilhões em hacks no ano passado, você pode realmente fazer uma blockchain funcionar até que não funcione mais, e então, quando isso acontecer, é um falha catastrófica e todo mundo perde dinheiro”, disse Hoskinson em uma entrevista recente ao CoinDesk.

Em contraste, falou, ele e sua empresa IOG (anteriormente IOHK) estão se movendo deliberadamente na construção da rede Cardano, passo a passo, medido não em semanas ou meses, mas em anos ou décadas.

“Nós sempre dizemos que não é o primeiro, mas o melhor” que tem sucesso, disse Hoskinson. “As pessoas que vão sobreviver são aquelas que são testadas sob estresse e exibem resiliência.”

Hoskinson, que falará no Consensus 2022 (evento do CoinDesk) em Austin, Texas, no próximo mês, trabalha no setor há quase uma década – uma vida inteira em “cripto anos”. Membro da equipe fundadora do Ethereum (ETH), ele teve um desentendimento com o criador da blockchain, o programador russo-canadense Vitalik Buterin.

Apesar da propensão de Hoskinson à controvérsia e do desenvolvimento prolongado da Cardano, o projeto está entre os maiores do setor cripto, com a ADA, a moeda nativa da rede, comandando um valor de mercado de US$ 15,9 bilhões no final de maio, o oitavo maior.

Hoskinson reconheceu prontamente que o processo de desenvolvimento da Cardano é “um pouco mais lento” do que as outras plataformas. De fato, a Cardano ganhou a capacidade de executar contratos inteligentes apenas no ano passado, quatro anos depois que a rede foi lançada, ficando bem atrás do Ethereum e de outras blockchains de uso geral.

Este mês, o colapso da UST – uma stablecoin algorítmica projetada para manter seu valor em relação ao dólar sem garantias – e de seu token complementar LUNA abalou os mercados globais de criptomoedas. Para Hoskinson, o desastre ressaltou os perigos de um “espaço onde os incentivos financeiros e as configurações de mercado são estruturados de forma a dar ênfase na velocidade sobre a qualidade”.

No longo prazo, disse Hoskinson, a abordagem mais lenta vencerá. Projetos orientados a curto prazo “continuarão entrando em colapso” e o mercado acabará por se tornar sábio.

Cardano na Etiópia

Em abril do ano passado, a IOG anunciou uma parceria com o governo etíope para criar um sistema baseado na tecnologia blockchain para acompanhar o desempenho dos alunos nas escolas locais.

Questionado sobre o projeto, Hoskinson disse o seguinte: “Você dá dois passos para frente, um passo para trás”. Em outubro, um novo ministro da Educação sucedeu aquele que fez o acordo com a empresa. A eclosão de uma guerra civil no país no mês seguinte complicou ainda mais as coisas.

Felizmente para a Cardano, a IOG se reuniu com o novo ministro da Educação “para garantir que eles assinassem uma continuidade com o acordo que tínhamos com o ministro anterior”, disse Hoskinson. “Chegamos a um ponto em que agora há um lançamento sistemático. Então, com alguma sorte, achamos que cerca de 1 a 2 milhões de alunos devem estar no sistema até o final do ano.”

Ao todo, Hoskinson disse: “É extraordinário que, apesar de todas essas lutas, o projeto esteja realmente no caminho certo. A meta final é de 5 milhões de alunos. Acho que chegaremos lá em algum momento de 2023 nessa velocidade atual.”

Se isso acontecer, disse ele, “será muito simples lançá-lo para outros 15 milhões, e então pode ser até possível integrar essas ideias no plano de transformação digital da Etiópia, que o primeiro-ministro quer fazer até 2025.”

Blockchain e ESG

Neste mês, Hoskinson participou da Conferência Global da Milken Institute, em Los Angeles, e captou sinais favoráveis para os construtores de blockchain.

O tema “A” do evento, que reúne lideres para discutir questões globais, foi práticas empresariais ambientalmente responsáveis, conhecidas pela sigla em inglês ESG (ambiental, social e governança corporativa).

“A coisa número 1 sobre a qual eles estavam falando era como fazer ESG da perspectiva das empresas de petróleo, de carros movidos a bateria e do governo?”, disse Hoskinson.

Falar de blockchains como uma forma de avaliar o desempenho ESG dessas empresas proliferaram durante a conferência, disse ele, porque o ponto principal da tecnologia é o seguinte: “Podemos criar alguns padrões de negócios unificados entre todos e, de alguma forma, aplicar isso onde você pode auditar e rastrear?”

Embora o processo de mineração com uso intensivo de energia do Bitcoin (BTC) seja frequentemente ridicularizado, de forma justa ou não, como um grande contribuinte para as mudanças climáticas, não é a única maneira pela qual os participantes de uma rede blockchain podem chegar a um consenso sobre qual conjunto de registros é verdadeiro. A Cardano, por exemplo, usa prova de participação (proof-of-stake, ou PoS), que requer menos poder de computação e eletricidade do que o sistema de prova de trabalho (proof-of-work, ou PoW) do Bitcoin, embora a questão da segurança da PoS gere debate.

Além disso, Hoskinson disse: “A parte mais importante do ESG são os metadados e o componente de identidade. Você precisa saber quem está fazendo o que e onde, e precisa ter metadados ricos sobre os fatos e as circunstâncias, porque então você pode começar a falar sobre um regime de auditoria e pontuação ESG.”

Hoskinson, que doou US$ 25 milhões no ano passado para a Carnegie Mellon University, disse que poderia se aposentar e viver em um rancho de bisões em Wyoming, nos Estados Unidos, mas continua na ativa porque quer resolver esses problemas sociais. Ele até jogou uma palavra gentil para seu antigo colega para sustentar seu ponto de vista.

“Os grandes empreendedores em nosso espaço, como Vitalik… têm coisas com as quais eles se preocupam profundamente e que querem resolver”, disse Hoskinson. “Eles não vão se aposentar até que resolvam esse problema”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe