Prévia de resultado

Coinbase: o que esperar do resultado de 4º trimestre da exchange de criptomoedas?

Especialistas acreditam, no entanto, que as perspectivas para a empresa podem ficar sombrias em meio à volatilidade dos preços

Por  CoinDesk -

A Coinbase irá divulgar nesta quinta-feira (24) os resultados do quarto trimestre. No documento, segundo analistas, a exchange deve relatar um aumento de seus volumes de negociações de criptomoedas no período. Um início de ano volátil, no entanto, pode criar alguma incerteza nas perspectivas da corretora.

O analista de pesquisa de ações da Mizuho Securities, Dan Dolev, espera que a maior exchange de criptomoedas dos EUA registre um volume de negociação de US$ 525 bilhões no quarto trimestre, um aumento de 61% em relação aos US$ 327 bilhões do terceiro trimestre.

John Todaro, analista da Needham & Company que recomenda a compra das ações da corretora, espera um volume de US$ 465 bilhões, maior do que a estimativa anterior de US$ 355 bilhões citada por ele. A aposta é maior, segundo Todaro, porque houve uma maior negociação no varejo em outubro, no início do trimestre, juntamente com um aumento nos downloads de aplicativos.

A Coinbase disse em novembro, em sua última divulgação de resultados, que “enquanto entramos no terceiro trimestre com condições de mercado de criptomoedas mais suaves, impulsionadas pela baixa volatilidade e pela queda nos preços dos ativos, as condições de mercado melhoraram significativamente no final do período, o que continuamos vendo no início do quarto trimestre”.

Desde então, os preços das criptomoedas, incluindo Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH), permaneceram especialmente voláteis em meio ao que alguns chamam de “crypto winter” (inverno cripto). As categorias mais amplas de tecnologia e ações de crescimento também recuaram à medida que Wall Street se prepara para taxas de juros mais altas.

Ainda assim, Dolev, da Mizuho, acha que o primeiro trimestre deste ano pode trazer mais ventos contrários para a Coinbase. “O início relativamente lento de 2022 pode impactar o guia de administração para o ano inteiro” da empresa em relação à receita geral, disse ele aos clientes em nota, mantendo uma classificação neutra para as ações.

Outros estão apostando na Coinbase e continuando a recomendá-la aos clientes, apesar de sua volatilidade de curto prazo. “Embora reconheçamos que os recentes declínios nos preços das criptomoedas tenham implicações negativas para os ganhos de curto prazo, continuamos acreditando que 2022 pode trazer novas oportunidades para novos fluxos de receita e novos produtos”, disse Will Nance, do Goldman Sachs, a clientes em um comunicado divulgado dia 26 de janeiro.

  • Assista: Para onde vai a Solana? Vale a pena comprar? Analista responde no Cripto+

O grupo financeiro manteve sua recomendação de compra das ações, embora tenha reduzido seu preço-alvo de US$ 352 para US$ 288. Também citou novos negócios, como tokens não fungíveis (NFTs) e derivativos, como maneiras pelas quais a Coinbase pode diversificar seus fluxos de receita.

No geral, os analistas esperam que a corretora reporte US$ 585,1 milhões em receita para o quarto trimestre, de acordo com a FactSet, em comparação com US$ 1,24 bilhão no terceiro trimestre e US$ 497 milhões no mesmo trimestre do ano anterior. Citam ainda um lucro ajustado por ação de US$ 0,83, contra US$ 1,62 no terceiro trimestre. As ações da Coinbase caíram cerca de 30% neste ano e quase 50% desde a estreia da exchange na Nasdaq em abril do ano passado.

Quanto ao primeiro trimestre, a Coinbase pode receber um impulso de seu muito falado anúncio no Super Bowl LVI, que apresentava um código QR que mudava de cor saltando em uma tela em branco por um minuto inteiro. Quando digitalizado, o código levava os usuários a uma página de inscrição da exchange. O tráfego resultante foi tão grande que o site ficou fora do ar por um tempo.

“Essa estratégia de marketing funcionou, e a implicação é que a Coinbase pode ter conseguido muitos novos usuários no primeiro trimestre de 2022 a um custo razoável”, disse Owen Lau, da Oppenheimer. Lau, que mantém uma recomendação de desempenho superior para as ações, disse em nota aos clientes que isso pode levar a um salto no total de usuários da empresa nos primeiros meses deste ano.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe