Comunicado

Coinbase diz que não teve exposição às plataformas Celsius, Three Arrows Capital e Voyager

A corretora afirmou que não foi prejudicada pelas três problemáticas empresas de criptomoedas

Por  CoinDesk -

A exchange de capital aberto Coinbase disse em um post publicado em seu blog nesta quarta-feira (20) que não teve exposição financeira ao credor de criptomoedas Celsius Network, ao fundo de hedge Three Arrows Capital (3AC) ou à corretora Voyager Digital. Essas três empresas problemáticas estão em processo de falência.

“Não nos envolvemos com práticas arriscadas de empréstimo. Em vez disso, nos concentramos em construir nosso negócio de financiamento com prudência e foco no cliente”, escreveram o head institucional da Coinbase, Brett Tejpaul, o head de finanças Prime Matt Boyd e a head de risco de crédito e mercado Caroline Tarick.

“Os choques no ambiente de crédito cripto nas últimas semanas provavelmente serão um grande ponto de inflexão para o setor”, escreveu o grupo. “Notavelmente, os problemas aqui eram previsíveis e, na verdade, específicos de crédito, não de natureza cripto. Muitas dessas empresas estavam superalavancadas com passivos de curto prazo incompatíveis com ativos ilíquidos de longa duração.”

No entanto, em uma nota de rodapé no post, o grupo disse embora “não tenha exposição de contraparte” a Celsius, Three Arrows e Voyager, “o programa de risco da Coinbase fez investimentos não materiais no Terraform Labs”.

A indústria das criptomoedas foi atingida neste ano por diversos eventos trágicos que abalaram o setor: o colapso de US$ 40 bilhões da stablecoin algorítmica TerraUSD (UST) e de sua moeda irmã Terra (LUNA) em maio; o pedido de liquidação do 3AC feito por um tribunal das Ilhas Virgens Britânicas no início de julho; e os processos de falência das plataformas cripto Voyager Digital e Celsius também neste mês. Só a Celsius tem um buraco de US$ 1,3 bilhão em seu balanço.

Apesar de a Coinbase ter evitado o risco de contraparte das três empresas, a exchange de capital aberto ainda foi significativamente prejudicada pelo forte declínio nos preços dos criptoativos, e suas ações caíram quase 74% no acumulado do ano.

Em maio, a Coinbase demitiu 18% de sua força de trabalho global, e disse que reduziria as contratações. A agência de classificação Moody’s rebaixou a dívida corporativa da corretora no final do mês passado devido a preocupações com a lucratividade.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe