Melhor opção

Coinbase ainda é a “blue chip” para ganhar exposição ao crescimento das criptos, diz Goldman Sachs

Banco continua com recomendação de “compra” para a exchange de criptomoedas, enquanto reduziu o preço-alvo para US$ 288

Por  CoinDesk -

As ações da exchange de criptomoedas Coinbase caíram cerca de 45% seguindo uma queda similar do mercado de ativos digitais, devido às expectativas de taxas de juros mais altas nos Estados Unidos e com o sell-off de “ações de crescimento (como empresas de tecnologia)”, disse o Goldman Sachs em relatório publicado na quarta-feira.

O banco continua vendo a Coinbase como a “blue chip” para ganhar exposição ao ecossistema em desenvolvimento do mercado de criptoativos, acrescentando que mais progressos em novas iniciativas de receita podem levar a ação a “superar seu beta sobre os preços de criptomoedas”, de acordo com a equipe de analistas liderada por Will Nance.

Leia também:

Apesar da recente volatilidade no mercado de criptomoedas, o Goldman mantém sua recomendação de compra para as ações da Coinbase e continua a ver uma série de potenciais novos fluxos de receita.

Tokens não fungíveis (NFTs), derivativos e adoção adicional de iniciativas de staking (depósito com rendimento) podem trazer um maior potencial de alta na previsão do banco.

O Goldman cortou seu preço-alvo de 12 meses de US$ 352 para US$ 288, para incorporar na análise os preços mais baixos das criptomoedas e uma taxa de execução média diária para volumes de cerca de US$ 4 bilhões no primeiro trimestre.

Os riscos negativos para o banco incluem preços de criptomoedas mais fracos/menor volatilidade, pressão de comissões e a ameaça de regulação das criptomoedas.

O banco de investimento rival Mizuho Securities não é tão otimista sobre a Coinbase. Em um relatório na terça-feira, a Mizuho disse que vê “uma queda significativa nas expectativas de receita no consenso”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe