Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

COGN3: após desabarem com balanço, ações da Cogna operam próximas a suporte

Na análise semanal, ativo negocia dentro de lateralização, mas no curto em tendência de baixa

Rodrigo Petry

Ações da COGN3 em doze meses, no gráfico diário. Fonte: Clear Trader

Publicidade

As ações da Cogna (COGN3) desabaram após a divulgação dos resultados do 4º trimestre, com queda de quase 12%, depois de prejuízo acima do esperado por efeito tributário, levando outras ações do setor a registrar perdas também.

Com isso, os papéis da Cogna acumulam queda de 40% em 2024, entre as três maiores quedas do Ibovespa, atrás apenas de Casas Bahia (BHIA3), -40%, e MRV (MRVE3), -31%. Em março, a ação cai quase 3%.

Pela análise técnica, os papéis encontram-se dentro de um movimento de lateralização, mas no curto em tendência de baixa. Nesta segunda-feira (25), as ações buscam recuperação, com alta de 2,45%, às 10h15, cotadas a R$ 2,50.

Curso gratuito

Semana do Trader Sossegado

Uma semana de conteúdo prático e gratuito para você ter ganhos consistentes na bolsa operando apenas 30 minutos por dia

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Análise técnica: COGN3

Para o analista técnico Rodrigo Paz, analisando Cogna (COGN3), pelo gráfico semanal, que segue abaixo, nota-se que o ativo negocia dentro de uma faixa de lateralização, abaixo das médias e próximo à faixa de suporte.

Segundo ele, um fôlego vendedor maior viria caso o ativo rompa a faixa de R$ 2,33. “Confirmando tal rompimento, tende a buscar as faixas de suporte na região de R$ 1,72, com alvo mais longo na região de R$1,50/R$ 1,30.”

No sentido inverso, complementa, o ativo buscaria reação compradora ao atingir a região de médias, nos R$ 2,62/R$ 2,92, para mirar as resistências nos R$ 3,41, com alvo mais longo na região de R$ 3,77. 

Curto prazo

Indo para a análise de curto prazo, com o gráfico diário, Paz reforça que há um movimento de baixa, com ativo seguindo linha nessa tendência, “mostrando potencial para continuidade”.

“Pode-se observar que as médias estão inclinadas para baixo, e vale atenção ao suporte na faixa de R$ 2,33. Pois caso rompa, deverá buscar alvo na região de R$ 2,10, com alvo mais longo em R$ 1,87/R$ 1,70.”

“Para retomar altas precisa de bom fôlego comprador para superar médias na região de R$ 2,60. Rompendo esta região, a tendência é buscar a resistência na região de R$ 2,89/R$ 2,96, com alvo mais longo na região de R$ 3,00/ R$ 3,10”, finaliza Paz.

Confira mais conteúdos sobre análise técnica no IM Trader. Diariamente, o infomoney publica o que esperar dos minicontratos de dólar e índice. A 1ª em corretagem zero. Abra sua conta na Clear.