Criptos de bancos centrais

CBDC dos EUA preservaria o status do dólar como moeda de reserva mundial, diz Bank of America

As CBDCs são uma evolução inevitável do dinheiro eletrônico de hoje, disseram os analistas do banco

Por  CoinDesk -

Uma moeda digital do banco central dos Estados Unidos (CBDC, na sigla em inglês) seria diferente do dinheiro digital atualmente disponível para o público, disse o Bank of America em um relatório divulgado nesta segunda-feira (24).

O motivo, segundo a instituição, é que a CBDC seria de responsabilidade do Federal Reserve (Fed), o banco central do país, e não teria risco de crédito ou liquidez, diferente do que aconteceria se fosse administrada por um banco comercial.

Preservar o status do dólar como moeda de reserva mundial, melhorar os pagamentos internacionais e aumentar a inclusão financeira são vistos como benefícios de uma moeda digital dos EUA, escreveram analistas liderados por Alkesh Shah na nota. O Fed publicou na semana passada outro documento sobre os benefícios e os riscos de uma CBDC do país.

Os riscos potenciais – que podem ser diminuídos pelas escolhas do formato da CBDC – incluem “mudar a estrutura de mercado do setor financeiro alterando os depósitos, aumentando o risco de liquidez do sistema financeiro se os depósitos em bancos comerciais forem convertidos para uma CBDC e diminuindo a eficácia da implementação da política monetária”, segundo o relatório.

O Bank of America disse que as principais considerações antes de emitir uma CBDC são a necessidade de proteção de privacidade, intermediação, transferência e verificação de identidade.

É provável que as stablecoins passem a ser ainda mais utilizadas na ausência de CBDCs, observou o banco, acrescentando que as duas maiores em valor de mercado, a Tether (USDT) e a USD Coin ( USDC), tinham um valor de mercado combinado de cerca de US$ 121 bilhões em 21 de janeiro. O uso delas como meio de pagamento está aumentando – principalmente para remessas transfronteiriças – por ser mais rápido e barato quando comparado à utilização de moedas fiduciárias, disse a nota.

Em um relatório publicado no início deste mês, o Bank of America contestou a afirmação do Banco da Inglaterra de que uma CBDC do Reino Unido atuaria apenas como uma forma de dinheiro digital. A instituição disse que os consumidores provavelmente substituirão as contas correntes pelas CBDCs como meio para guardarem a maior parte de seus fundos.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe