AO VIVO Por Dentro dos Resultados - Cielo (CIEL3): conheça os detalhes do resultado da empresa em 2020 em entrevista com CEO

Por Dentro dos Resultados - Cielo (CIEL3): conheça os detalhes do resultado da empresa em 2020 em entrevista com CEO

Resumo da Bolsa

Campeãs da Bolsa caem até 20% em 3 pregões e Petrobras desaba 8%; veja destaques

Entre os destaques ainda estiveram os papéis da small cap Triunfo que fechou com queda de mais de 14%, além das ações da Magazine Luiza, que fechou com ganhos de mais de

valor de mercado petrobras

SÃO PAULO – A primeira segunda-feira (5) do ano foi de fortes perdas para a Bolsa, com o Ibovespa fechando com queda de 2,05%, a 47.516 pontos. Entre os destaques estiveram os papéis da Petrobras, que fechando com queda de 8% reagiram a uma nova derrocada dos preços do petróleo no exterior, enquanto a estatal se vê imersa em mais denúncias de corrupção na companhia.

Desta vez, o jornal O Globo do domingo informou que a empresa teria contratado empresas de fachada para construir gasoduto, o que foi desmentido pela estatal no mesmo dia. Ainda chamaram atenção os papéis do setor campeão da Bolsa em 2014: o de educação, que voltou a cair nesta segunda com novas restrições do Ministério da Educação ao acesso do FIES (programa de financiamento estudantil). Vale mencionar que nos últimos três pregões, os papéis da Estácio acumulam perdas de 20%, enquanto a Kroton, que fechou como a maior alta do ano, acumula perdas de 15%. Juntas, Kroton, Estácio, Anima, Ser Educacional e Abril Educação perdem no período R$ 7,13 bilhões de valor de mercado na Bolsa.

Na ponta negativa do Ibovespa, chamaram atenção papéis que vão desde small caps que subiram forte nos últimos dias – como é o caso da Triunfo (TPIS3, R$ 6,50, -14,47%), que acumulou ganhos de 50% nas últimas duas semanas e hoje despenca com volume 12 vezes maior que a média dos últimos 21 pregões (com Morgan Stanley como principal vendedor) e Time for Fun (SHOW3, R$ 2,57, -13,47%), que após acumularem ganhos de 15% em 5 sessões, hoje fecharam em queda – até ações que já vinham demonstrando desempenho negativo, como os papéis da Saraiva (SLED4, R$ 5,36, -8,38%), que hoje renovaram seu menor fechamento desde abril de 2004, além de BR Insurance (BRIN3, R$ 3,05, -5,57%), que caiu 23% nos últimos 4 pregões e ALL (ALLL3, R$ 4,55, -6,95%), que hoje renovou sua mínima histórica.

Enquanto isso, no positivo hoje estiveram os papéis da Magazine Luiza (MGLU3, R$ 7,59, +1,88%). No radar da empresa esteve a notícia de que a empresária Luiza Trajano, dona da companhia, anunciou que os novos ajustes do governo não irão atrapalhar o setor de varejo. Além dela, vale mencionar os papéis da Multiplus (MPLU3, R$ 33,00, +1,38%), que fecharam com ganhos hoje em meio à forte queda do Ibovespa. Vale mencionar também que Multiplan (MULT3, R$ 44,40, +0,31%) passou a integrar nesta segunda a carteira teórica da Bovespa.

Confira os principais destaques da Bolsa nesta segunda-feira:

Petrobras (PETR3, R$ 8,27, -8,11%; PETR4, R$ 8,61, -8,01%)

As ações da Petrobras despencaram neste pregão. Nas últimas três sessões, os papéis da petroleira acumularam queda de mais de 12%. No radar, a estatal divulgou nota esclarecendo que o Projeto Gasoduto do Nordeste – Gasene foi constituído por meio de um project finance, diferentemente do que foi dito em matéria do jornal O Globo, que afirmou que a empresa criou “empresas de papel” para construir e operar a rede de gasodutos. 

Além disso, o preço do petróleo seguiu em baixa. O barril negociado em Nova York caiu 4,55% nesta sessão, para US$ 50,35. 

Vale mencionar ainda que a empresa anunciou um bloqueio cautelar de 23 grupos econômicos citados na Operação Lava Jato, o que impede a celebração de novos contratos ou a participação em licitações. 

Educacionais

As ações das companhias do setor de educação fecharam com forte queda hoje com anúncio da nova portaria do Ministério da Educação. Neste momento, os papéis figuram como as maiores baixas do Ibovespa. A portaria restringe os alunos que tem acesso ao FIES (programa de financiamento estudantil) apenas para aqueles que tiverem nota acima de 450 no Enem (a nota máxima é 1.000) e não zerarem a redação. Antes não havia qualquer restrição. Nesta sessão, caem as ações da Anima (ANIM3, R$ 31,45, -6,26%), Ser Educação (SEER3, R$ 24,92, -9,05%), Kroton (KROT3, R$ 13,86, -6,35%), Estácio (ESTC3, R$ 20,79, -5,71%) e Abril Educação (ABRE3, R$ 10,30, -5,59%). Esse é o terceiro pregão seguido de forte queda desses ativos. Com esse movimento, as ações da Estácio batem o menor patamar desde março de 2014. 

PUBLICIDADE

Em relatório, a Guide Investimentos apontou que continua positiva com o setor no longo prazo, mesmo que as novas medidas impactem negativamente essas empresas no curto prazo. 

Eletropaulo, Cosan Logística e Rossi

As ações da Cosan Logística (RLOG3, R$ 2,70, -7,85%) e Rossi (RSID3, R$ 2,87, -14,33%) caíram forte no primeiro dia de negociação fora do Ibovespa. A nova carteira teórica do índice passou a vigorar hoje. Contrariando o movimento, os papéis da Eletropaulo (ELPL4, R$ 9,38, +1,96%) fecharam em alta hoje em meio a notícias para a companhia. Vale lembrar que na última sexta-feira as ações da Eletropaulo e Cosan Logística subiram 6,24% e 2,45%, nesta ordem. No entanto, os papéis da Eletropaulo fecham hoje em seu menor patamar de fechamento desde setembro do ano passado.

De acordo com informações do Valor Econômico, nesta segunda o Tribunal Regional Federal restabeleceu a liminar que suspende a devolução de R$ 626 milhões da Eletropaulo aos seus consumidores, mediante reduções nas tarifas. Ainda de acordo com a matéria, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) realizará reunião hoje às 17h para analisar o cumprimento da decisão. Para o analista técnico da Guide Investimentos, Lauro Vilares, caso a decisão da justiça seja final, esta pode ser uma boa notícia para a companhia, já que o montante é considerável. 

De acordo com relatório assinado por Roberto Altenhofen, a Empiricus ressalta que a exclusão dos papéis do índice é um evento meramente de fluxo, e que em nada interfere nos fundamentos das companhias; no entanto, influencia na visibilidade e liquidez das negociações destas ações. Sendo assim, de acordo com ele, não temos como saber quanto a queda se justifica pelos fundamentos ruins e quanto se deu pela retirada da carteira teórica.

Embraer (EMBR3, R$ 24,30, -2,21%)

Depois de operarem em alta durante a manhã, as ações da Embraer fecharam entre as quedas do Ibovespa nesta sessão. O brigadeiro Juniti Saito afirmou que os Emirados Árabes Unidos querem comprar do Brasil 24 aviões turboélice Super Tucano, da Embraer. Saito não soube informar o valor da operação, mas revelou que entre as discussões está a antecipação de entrega de seis aeronaves àquele país. As unidades seriam disponibilizadas pela Força Aérea Brasileira (FAB). 

Oi (OIBR4, R$ 7,86, -6,76%)

A operadora de telecomunicações Oi projetou hoje que atingirá um Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de rotina das operações no Brasil em 2015 de R$ 7 bilhões a R$ 7,4 bilhões. Em fato relevante, a companhia afirmou que a meta leva em conta uma expansão de 0,55% do PIB em 2015, e uma taxa de inflação medida pelo IPCA de 6,5% no ano. Os papéis da operadora registraram hoje sua sétima queda seguida.

Guararapes (GUAR4, R$ 74,00, +4,23%)

As ações da Guararapes, dona da Riachuelo, fecharam com forte alta hoje. Segundo a coluna Radar, da Veja, a Riachuelo estaria prestes a assinar um contrato com a Multiplan para ocupar um lugar privilegiado no Barra Shopping (RJ), que é alugada hoje para a Lojas Americanas (LAME4, R$ 16,47, -2,31%). De acordo com a publicação, a loja era responsável pelo maior faturamento da Lojas Americanas no Brasil, mas uma briga com a Multiplan resultou no fim do contrato.