Leilão na B3

BRK vence leilão de águas em Maceió com oferta de R$ 2 bi; operação é a primeira após aprovação do novo marco

A empresa agora assume responsabilidade pela distribuição de água e pela coleta de esgoto de 1,5 milhão de habitantes em 13 cidades da grande Maceió

arrow_forwardMais sobre
Saneamento (Foto: Reuters)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO, 30 Set (Reuters) – O grupo BRK Ambiental, que tem entre os investidores a canadense Brookfield, venceu nesta quarta-feira o leilão de serviços de distribuição de água e esgotamento sanitário da região metropolitana de Maceió, com oferta de outorga de cerca de 2 bilhões de reais ante valor mínimo da disputa de 15,1 milhões.

A BRK superou outras seis ofertas, incluindo de rivais como Aegea, que ofertou 1,21 bilhão de reais.

A empresa agora assume responsabilidade pela distribuição de água e pela coleta de esgoto de 1,5 milhão de habitantes em 13 cidades da grande Maceió.

Aprenda a investir na bolsa

Para isso, terá de investir um total de 2,6 bilhões de reais em infraestrutura de saneamento básico ao longo dos 35 anos de contrato, sendo 2 bilhões deste total nos primeiros seis anos.

O leilão foi o primeiro realizado desde a aprovação do novo marco do saneamento básico neste ano.

A concessão tem como objetivo a universalização do serviço de água em seis anos e o acesso à rede de esgotamento para 90% da população até o décimo sexto ano de contrato, informou o BNDES, responsável pelos estudos que permitiram a realização do leilão.

Segundo o banco, atualmente 89% da população da região metropolitana de Maceió tem acesso à água, mas apenas 27% possui acesso a tratamento de esgoto. A BRK deverá cumprir vários indicadores de desempenho de qualidade e eficiência, incluindo a redução do índice de perdas de água para no máximo 25% ante desperdício atual de 59%.

Questionado sobre a origem dos recursos para o pagamento da outorga, o vice-presidente financeiro da BRK, Sergio Garrido de Barros, afirmou que a empresa vai financiar o resultado do leilão com recursos próprios e emissão de dívida.

“Temos BNDES, Caixa, possibilidade de debêntures de infraestrutura, BNB…Há um mix de dívida e recursos próprios disponibilizados em caixa”, afirmou o executivo.A BRK que afirma ser a maior empresa privada de saneamento do país em termos de população atendida e tem interesse em participar “de maneira relevante” dos próximos leilões de saneamento do país, disse ele. Antes de assumir os ativos em Maceió, a BRK atende 15 milhões de pessoas no país, incluindo em outras cidades do Nordeste como Recife e Salvador.

PUBLICIDADE

Na pauta de privatizações do BNDES no setor está a companhia fluminense de saneamento Cedae, cujo processo tem sido alvo de disputas judiciais e indefinição do governo.

O diretor de infraestrutura do BNDES, Fabio Abrahão, afirmou que o banco de fomento está “preparado tecnicamente” para o leilão da Cedae até o fim deste ano.Além da Cedae, o BNDES está envolvido em processos de concessão de serviços de água e saneamento no Acre, Amapá, Rondônia, Rio Grande do Sul, Paraíba e Ceará.

Operação Stock Pickers: série gratuita explica como você pode ingressar e construir uma carreira bem remunerada no mercado de investimentos