Diz Valor

Bradesco tem concorrência: Itaú e Santander ainda estão na briga pelo HSBC Brasil

Segundo o Valor Econômico, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander se qualificaram para a segunda etapa do processo para a compra das operações brasileiras do banco britânico

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com notícias do jornal Valor Econômico, o Goldman Sachs abre segunda-feira o “data room” com informações do HSBC aos interessados em comprar a operação no Brasil. Bradesco (BBDC4), Itaú Unibanco (ITUB4) e Santander Brasil (SANB11) terão acesso aos dados porque se qualificaram para a segunda etapa do processo, depois de terem apresentado propostas na semana passada. Por outro lado, o BTG Pactual (BBTG11), que seria outro potencial interessado, não fez proposta por considerar que a disputa se tornou muito competitiva. 

Depois da fase de auditoria nos números, os candidatos devem apresentar propostas firmes de compra, cujo valor vem sendo estimado entre US$ 3,2 bilhões e US$ 4 bilhões. 

Vale lembrar que, ontem, o HSBC confirmou que venderá a filial de varejo no Brasil, mas pretende manter alguma presença no País para atender grandes corporações. Em apresentação aos investidores, a casa explica a saída do mercado brasileiro com a lembrança de que, para ser um dos três maiores, teria de multiplicar o total de ativos por seis no País. O redimensionamento do banco, que também atinge outros mercados e áreas de negócios, permitirá à casa estar “alinhada com as maiores zonas econômicas e de comércio do mundo”.

Aprenda a investir na bolsa

E, de acordo com informações do Estado de S. Paulo e da Bloomberg, o banco mais provável a levar as operações brasileiras é o Bradesco. Segundo a Bloomberg, o valor de compra seria entre R$ 10 bilhões e R$ 14 bilhões. 

Segundo a agência, o Bradesco teria mais facilidade de integrar os ativos do HSBC e de obter aprovação do governo do que um banco estrangeiro como o Santander, que também fez uma oferta, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas porque as negociações são privadas. O Bradesco estaria disposto a pagar em dinheiro.

A compra, contudo, não seria suficiente para o Bradesco passar o Itaú Unibanco (ITUB4) em ativos, com o primeiro totalizando R$ 1,18 trilhão em ativos e o Itaú com R$ 1,3 trilhão. Já o Banco do Brasil (BBAS3) é o maior, com R$ 1,54 trilhão em ativos. O Itaú também fez a oferta, mas teria menos interesse por ser o banco com maior valor de mercado do Brasil. Procurados pela Bloomberg, Itaú, Bradesco, HSBC, Santander e Goldman Sachs não quiseram comentar o assunto. 

Na semana passada, o jornal O Estado de S. Paulo destacou que o Bradesco havia saído na frente na disputa pelas operações brasileiras do HSBC, com uma proposta de R$ 10 bilhões. Na sexta-feira, o Bradesco afirmou desconhecer a fonte da notícia.